2013
27
jun

Atualização nas imagens faz Google Maps deixar de mostrar nuvens

O Google atualiza as imagens de satélites usadas no Google Maps e no Google Earth periodicamente, mas as últimas modificações incluíram um procedimento diferente: a eliminação das nuvens que aparecem sobre o mapa. A princípio, trata-se de uma decisão bastante inusitada, mas não resta dúvidas de que, sem as nuvens, o serviço fica muito menos “poluído”.

Antes e depois: com nuvens, sem nuvens (Imagem por Google)

Antes e depois: com nuvens, sem nuvens (Imagem por Google)

Além de eliminar quase que completamente as nuvens, o Google incluiu imagens muito mais detalhadas de várias localidades ao redor do mundo oriundas especialmente do satélite Landsat 7, da NASA. Estas fotos chegam a permitir uma escala de visualização equivalente a 15 metros por pixel.  O resultado? Imagens bastante claras de pontos que antes ficavam “borrados” com a aproximação do zoom:

Antes e depois com o mesmo nível de aproximação (Imagem por Google)

Antes e depois com o mesmo nível de aproximação (Imagem por Google)

Estas atualizações não foram “indolores” ao Google. O satélite Landsat 7 apresentou alguns problemas de hardware que causaram erros na captura de muitas imagens, obrigando a empresa a fazer uma análise ampla para identificar e corrigir as fotos defeituosas. Os especialistas do Google resolveram então aproveitar esta tarefa para fazer a “limpeza das nuvens”.

À esquerda, uma imagem com erro; à direita, a foto corrigida (Imagem por Google)

À esquerda, uma imagem com erro; à direita, a foto corrigida (Imagem por Google)

Para corrigir as falhas e eliminar as nuvens, o Google usou imagens dos mesmos locais capturadas em momentos diferentes e combinou os “pedaços” limpos destas.

E o que já é bom deverá ficar ainda melhor: o Google frisou que as próximas atualizações incluirão imagens do satélite Landsat 8, que foi lançado no início de 2013 e é capaz de gerar capturas ainda mais detalhadas e bonitas.

Referência: Google Lat Long.

1
comentário

2013
15
maio

Resumo: novo Maps e outras novidades do Google anunciadas nesta quarta-feira

Hoje (15/05/2013) é o primeiro dia da edição 2013 do Google I/O, conferência promovida pelo Google que acontece até a próxima sexta-feira, nos Estados Unidos. Como de praxe, a empresa aproveitou o evento para anunciar várias novidades importantes em seus serviços.

Evento Google I/O – Imagem por Google

Evento Google I/O – Imagem por Google

Eis um resumo dos principais anúncios:

– Novo Google Maps: o Google apresentou uma versão melhorada do seu serviço de mapas. Nela, a tradicional barra lateral esquerda foi removida e os campos de pesquisa foram jogados para uma caixa no topo da tela, fazendo com que esta consiga exibir mais informações. Além disso, o novo Google Maps mostra recomendações de locais próximos a pontos de interesse e teve a ferramenta de zoom melhorada. Por enquanto, só é possível usufruir da novidade via convite:

– Google Play Music All Access: trata-se de um serviço de streaming de áudio, criado para concorrer com o Spotify, por exemplo. Para popularizá-lo, o Google aposta em ferramentas de “descobertas” de músicas e rádios personalizadas. Seu preço é de 9,99 dólares por mês. Pelo menos inicialmente, o serviço funcionará apenas nos Estados Unidos;

– Google+ reformulado: a interface do Google+ foi alterada novamente e, agora, lembra o formato adotado pelo Pinterest. Houve também atualizações em algumas de suas ferramentas, entre elas, o Hangout, que agora é capaz de estabelecer mais facilmente conversas entre dispositivos distintos – por exemplo, entre um PC e um smartphone – e também integra mensagens instantâneas em seu app, substituindo o aplicativo do Google Talk:

– Google Play Game Services: ferramenta para Android criada para integrar jogadores. Com ela, o usuário pode, por exemplo, salvar o progresso de um game nas nuvens para continuá-lo posteriormente em outro dispositivo. Também é possível fazer disputas multiplayer, guardar pontuação, entre outros;

– Novas opções no Google Now: o assistente Google Now recebeu melhorias e novos cards – os comandos de voz ficaram mais precisos e agora é possível também utilizar informações referentes a games, fotos, vídeos e assim por diante;

– Samsung Galaxy S 4 “puro”: esta, talvez, tenha sido a novidade mais inusitada. O Google anunciou uma versão do smartphone Samsung Galaxy S 4 que roda o Android 4.2 “puro”, ou seja, sem aplicativos ou interfaces customizadas pelo fabricante. Pelo menos por enquanto, sua comercialização acontecerá apenas nos Estados Unidos, pelo preço de 649 dólares (versão com 4G LTE e 16 GB de espaço).

Mais informações sobre o Google I/O 2013 em developers.google.com/events/io.

Comentários desativados em Resumo: novo Maps e outras novidades do Google anunciadas nesta quarta-feira

2013
13
maio

Agora com 15 GB: Google unifica espaços de armazenamento do Gmail, Drive e Google+

15 GB compartilhados no Gmail, Google Drive e Google+ - Imagem por GoogleAté agora, o Google oferecia 10 GB de espaço nas contas gratuitas do Gmail. Mas, nesta segunda-feira (13/05/2013), a empresa anunciou a unificação dos espaços de armazenamento deste e dos serviços Google Drive e Google+ (fotos). Com a novidade, os usuários passarão a contar com 15 GB de de espaço compartilhados entre estas três ferramentas.

No caso do Google Drive, os documentos armazenamentos nos formatos do serviço não serão contabilizados para a cota de espaço, tal como já acontecia. O mesmo vale para imagens com resolução inferior a 2048 pixels no armazenamento de fotos no Google+: estas só serão incluídas na cota caso possuam tamanho superior a este limite, do contrário, poderão ser guardadas no serviço irrestritamente.

Contas do Google Apps também serão contempladas pela mudança: o padrão atual consiste em 25 GB de espaço para o Gmail e 5 GB para o Google Drive, mas a unificação fará com que ambos os serviços compartilhem 30 GB para o armazenamento.

O usuário que precisar de mais espaço poderá continuar contratando limites maiores: a expansão mais barata e que oferece 100 GB de espaço custa 4,99 dólares por mês; a mais cara, com capacidade de 16 TB (sim, terabytes!), tem assinatura mensal de 799,99 dólares.

Se você olhar a sua conta no Gmail agora e não notar nenhum alteração, não se preocupe: de acordo com o Google, a unificação está sendo implementada de maneira progressiva e poderá demorar alguns dias para cobrir todos os usuários.

Referência: Official Google Entrerprise Blog.

Comentários desativados em Agora com 15 GB: Google unifica espaços de armazenamento do Gmail, Drive e Google+

2013
09
maio

Google estreia canais pagos no YouTube

Tardou, mas não falhou: nesta quinta-feira (09/05/2013), o Google colocou no ar os primeiros canais pagos do YouTube e que, obviamente, exibem conteúdo exclusivo para os assinantes. É verdade que se trata de uma fase de testes – há apenas pouco mais de 50 canais disponíveis inicialmente, sendo que boa parte deles não está acessível no Brasil –, mas há grandes chances de a ideia emplacar.

Canais pagos no YouTube

Canais pagos no YouTube

O preço de assinatura de cada canal varia. O mais barato custa, no Brasil, 3,90 reais por mês; o mais caro, 19,90 reais. Em alguns casos, é possível também optar por uma assinatura anual. Independente da forma escolhida, o pagamento é feito via cartão de crédito. Para que o usuário possa se decidir entre assinar ou não, muitos canais permitem também um período de teste gratuito por 14 dias.

Uma observação importante é que, mesmo sendo pagos, alguns canais podem continuar exibindo anúncios nos vídeos, com este detalhe sendo informado na página inicial de cada um. Vale ressaltar também que, por enquanto, os canais pagos só podem ser acessados a partir da versão Web do YouTube. Os apps do serviços passarão a exibir este conteúdo em breve, segundo o Google.

Para visualizar os canais pagos disponíveis, acesse www.youtube.com/channels/paid_channels.

Comentários desativados em Google estreia canais pagos no YouTube

2013
29
abr

Pesquisa mostra que trabalhar no Google é o desejo da maioria dos executivos brasileiros

GoogleNão é surpresa quando um estudante universitário ou um jovem em início de carreira diz que o seu sonho é trabalhar no Google. Mas, uma pesquisa recente realizada pela DMRH, consultoria especializada em recursos humanos, mostra que a empresa fundada por Sergey Brin e Larry Page também está no imaginário de boa parte dos executivos brasileiros.

Para chegar a esta conclusão, a DMRH entrevistou, em parceria com a empresa de pesquisas Nextview People, cerca de 4.100 executivos de companhias atuantes no Brasil com cargos como presidente, diretor e gerente-sênior. Além de indicar a empresa em que sonham trabalhar (havendo uma), estes profissionais tiveram que relacionar os motivos. Fatores como equilíbrio entre vida profissional e pessoal, valores compatíveis com suas crenças e admiração pública pelos seus serviços e produtos foram os mais apontados.

Considerando estes aspectos, o Google apareceu, pela primeira vez, como a companhia mais visada entre os executivos. E não é de se estranhar: com o aquecimento da economia brasileira, estes profissionais se sentem mais motivados a buscar posições em companhias que ofereçam não só remuneração satisfatória, mas valorizem as mencionadas características.

Mas é claro que o Google não é a única opção: em relação à área de tecnologia, Apple e Microsoft também figuram na lista, como mostram as dez primeiras colocações:

  1. Google;
  2. Natura;
  3. Petrobras;
  4. Unilever;
  5. Nestlé;
  6. Vale;
  7. Apple;
  8. General Eletric (GE);
  9. Odebrecht;
  10. Microsoft.

 

Referências: O Globo, Exame.

Comentários desativados em Pesquisa mostra que trabalhar no Google é o desejo da maioria dos executivos brasileiros

2013
16
abr

Prestes a entregar as primeiras unidades, Google divulga as especificações do Google Glass

Os tão esperados “óculos inteligentes” do Google – o Google Glass – deverão ser disponibilizados para o público em geral somente em 2014, mas as primeiras unidades do dispositivo serão entregues nos próximos dias aos desenvolvedores que o adquiriram em pré-venda. Diante desta proximidade, a empresa revelou recentemente alguns detalhes de suas especificações.

Google Glass – Imagem por Google

Google Glass – Imagem por Google

O Google Glass contará com 16 GB de espaço para armazenamento de dados (mas somente 12 GB estarão disponíveis ao usuário), câmera de 5 megapixels capaz de gravar vídeos com resolução de 720p, visor equivalente a uma tela de 25 polegadas visualizada à distância de 8 pés (2,4 metros), sistema de áudio baseado em condução óssea (o usuário recebe o som a partir de ondas que percorrem os ossos do crânio até chegar aos canais auditivos) e bateria com autonomia de um dia em condições de uso típicas.

No aspecto da conectividade, o Google Glass oferecerá Wi-Fi 802.11g, Bluetooth e porta microUSB, por onde é feita a recarga da bateria do dispositivo.

O Google também enfatizou os principais aspectos que devem ser seguidos pelos desenvolvedores interessados em disponibilizar aplicativos para o Google Glass:

  • o software deve ser testado no Google Glass (e não em um simulador, por exemplo), uma vez que este é um dispositivo novo e, portanto, requer bastante atenção na avaliação de sua experiência de uso;
  • deve-se evitar notificações desnecessárias do aplicativo e fornecer recursos adequados para que o usuário possa usufruí-lo devidamente;
  • o aplicativo deve sempre exibir informações atualizadas, em tempo hábil;
  • para que o usuário não seja negativamente surpreendido, é necessário ser “transparente” com ele, solicitando autorização para realizar determinadas tarefas, por exemplo.

Outras informações sobre o Google Glass podem ser encontradas nos endereços www.google.com/glass/start e developers.google.com/glass.

Referências: TechCrunch, SlashGear.

Comentários desativados em Prestes a entregar as primeiras unidades, Google divulga as especificações do Google Glass

2013
20
mar

Rumores confirmados: ferramenta de notas rápidas Google Keep já está no ar

No início da semana, relatamos aqui no InfoWester os rumores do que poderia ser um novo serviço de notas do Google chamado “Google Keep”. Até então, havia expectativa de que a empresa liberasse informações a respeito no evento Google I/O, que acontecerá entre 15 e 17 de maio de 2013, mas a revelação veio muito antes: o Google Keep foi liberado para todos os usuários na tarde desta quarta-feira (20/03/2013).

Google Keep

Integrado ao Google Drive e podendo ser acessado diretamente pelo endereço drive.google.com/keep, o Google Keep é uma ferramenta para que o usuário possa fazer anotações ou guardar informações rapidamente, inclusive imagens e mensagens de voz. A organização das notas pode ser feita por lista e por cores, lembrando os tradicionais post-its. O vídeo a seguir dá mais detalhes:

Como o vídeo deixa claro, o Google disponibilizou também um aplicativo do Google Keep para Android que funciona de maneira sincronizada à versão Web (ainda não há informação sobre lançamento de versões para outros sistemas). Para quem utiliza a versão 4.2 ou superior da plataforma, é possível inclusive exibir e gravar lembretes da ferramenta a partir da tela de bloqueio do aparelho.

É válido frisar que, como se trata de um serviço recém-lançado, o usuário poderá se deparar com instabilidades ao tentar acessar o Google Keep nas primeiras horas após a sua disponibilização.

Comentários desativados em Rumores confirmados: ferramenta de notas rápidas Google Keep já está no ar

2013
18
mar

Google Keep: imagens mostram o que pode ser um novo serviço de notas do Google

Na semana passada, o anúncio da descontinuação do Google Reader desviou as atenções para o que pode ser um novo serviço do Google: o Google Keep. A princípio, trata-se de uma ferramenta on-line para que o usuário possa guardar e consultar anotações de qualquer tipo rapidamente, no melhor estilo Evernote.

Aparentemente, esta possível novidade será mais uma ferramenta do Google Drive e será acessível pelo endereço https://drive.google.com/keep/. Se você tentar entrar nesta URL agora, muito provavelmente se deparará com um aviso de “página não encontrada”. No entanto, segundo o site Android Police, a página esteve acessível por alguns minutos na última semana, o que possibilitou a captura de algumas imagens:

Imagem do suposto Google Keep - Por Android Police

Imagem do suposto Google Keep - Por Android Police

Imagens do suposto Google Keep – Por Android Police

Ainda não há qualquer manifestação do Google sobre o assunto, assim, não se sabe se o Keep será mesmo lançado ou se se trata apenas de uma ferramental experimental, por exemplo. A expectativa é a de que a edição 2013 do evento para desenvolvedores Google I/O, que acontecerá entre 15 e 17 de maio, revele alguma coisa.

Curiosamente, se o Google Keep for mesmo disponibilizado, não será a primeira experiência do Google com serviços de notas: por algum tempo, a empresa manteve o Google Notebook, uma ferramenta on-line para anotações que foi descontinuada permanentemente em 2011.

Referências: TechCrunch, Android Police.

Comentários desativados em Google Keep: imagens mostram o que pode ser um novo serviço de notas do Google

2013
13
mar

Em nova “limpeza”, Google decide descontinuar o Google Reader

Google ReaderPeriodicamente, o Google  elimina serviços que possuem poucos usuários, apresentam funções já executadas por outras ferramentas da empresa ou mesmo dão prejuízo. Nesta quarta-feira, (13/03/2013), mais uma destas “limpezas” foi anunciada. O problema é que, entre os serviços listados, está o mais popular leitor de feeds RSS da Web: o Google Reader.

De acordo com a companhia, o Google Reader deixará de estar disponível a partir de 1º de julho de 2013. O Google não explicou os motivos que levaram a esta decisão, apenas argumentou que, nos últimos anos, a quantidade de usuários da ferramenta regrediu.

É possível que a intenção da empresa seja a de concentrar esforços no compartilhamento de conteúdo a partir do Google+, uma vez que as redes sociais, de fato, são bastante utilizadas para este fim. O primeiro passo neste sentido foi dado no último trimestre de 2011, quando o Google Reader teve a função de compartilhamento de conteúdo “migrada” para o Google+.

Na ocasião, as inúmeras manifestações contrárias não foram suficientes para fazer a empresa mudar de ideia. Assim, não se sabe se as reclamações de agora – o assunto chegou a ocupar os trend topics do Twitter, por exemplo – terão este poder.

Entre as outras ferramentas a serem descontinuadas estão o Google Building Maker, o Google Cloud Connect, o Google Voice App for BlackBerry e o Search API for Shopping.

Referência: Official Google Blog.

3
comentários

2013
26
fev

Próximas versões do Chrome poderão “dedurar” abas que estão executando áudio

Você está com dez, vinte, trinta abas abertas em seu navegador e, de repente, uma delas começa a tocar um som qualquer, sem que você tenha apertado “Play” ou qualquer botão do tipo. A solução é abrir aba por aba para encontrar a página “rebelde”. Felizmente, esta tarefa deverá ficar mais fácil nas próximas versões do navegador Chrome.

Botão "mudo" - Imagem ilustrativa

Um desenvolvedor de nome François Beaufort descobriu que a última versão do Chromium – navegador open source que é base do browser do Google – contém um recurso ainda em teste que faz com que o favicon de uma página que estiver executando áudio fique animado. Assim, ao olhar para as abas abertas, o usuário conseguirá identificar rapidamente de onde está vindo o som. O vídeo abaixo mostra a novidade em ação:

O objetivo, com a ideia, não é só o de livrar o usuário rapidamente do barulho inconveniente, mas também ajudar a identificar abas que possam estar consumindo recursos de memória em excesso.

Não se sabe quando e se de fato o Google Chrome incorporará esta funcionalidade, mesmo porque ela ainda é limitada: por ora, apenas áudio oriundo de reprodutores HTML5 está sendo identificado a contento. A boa notícia é que já há testes sendo feitos com conteúdo em Flash, o que sugere que poderemos contar com este recurso ainda em 2013 (vale a torcida!).

Quem não puder esperar tem como alternativa plugins que possuem a mesma finalidade. Para o Chrome, existe o MuteTab, por exemplo; usuários do Firefox, por sua vez, podem recorrer ao Muter.

Referência: The Next Web.

1
comentário

Página 1 de 812345...Última »