2013
25
jun

Preço grande, tamanho pequeno: iPad mini chega ao Brasil

A Apple lançou o iPad mini em outubro de 2012, mas só agora está disponibilizando oficialmente o tablet no Brasil. Mas este “atraso”, por assim dizer, é o menor dos problemas: para variar, os preços praticados no Brasil são surreais, principalmente para um modelo que é atual, mas que há tempos perdeu o ar de novidade.

iPad mini – imagem por Apple

iPad mini – imagem por Apple

Como comparação, o iPad mini mais barato, com 16 GB de capacidade e conectividade Wi-Fi, custa 329 dólares no site da Apple nos Estados Unidos. Na versão brasileira da loja, o mesmo modelo sai por 1.299 reais, conforme mostra a lista de preços abaixo:

  • iPad mini de 16 GB: 1.299 reais;
  • iPad mini de 32 GB: 1.549 reais;
  • iPad mini de 64 GB: 1.799 reais;
  • iPad mini de 16 GB + 3G: 1.649 reais;
  • iPad mini de 32 GB + 3G: 1.899 reais;
  • iPad mini de 64 GB + 3G: 2.149 reais.

É possível encontrar valores promocionais em redes varejistas e em sites de comércio eletrônico, mas mesmo nestes casos os preços continuam elevados. E este fator tem um peso ainda maior se levarmos em conta os rumores que indicam que a Apple lançará uma nova versão do iPad mini no último trimestre de 2013.

Entre as suas especificações básicas, vale frisar, o iPad mini possui tela de 7,9 polegadas com resolução de 1024 x 768 pixels, processador A5 (dual core), câmera traseira de 5 megapixels, câmera frontal de 1,2 megapixel, Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 4.0, conector Lightning e bateria com autonomia estimada em 10 horas.

Comentários desativados em Preço grande, tamanho pequeno: iPad mini chega ao Brasil

2013
10
jun

Apple atualiza linha MacBook Air – novos modelos já estão disponíveis no Brasil

Entre as várias novidades anunciadas hoje (10/06/2013) pela Apple na conferência para desenvolvedores WWDC 13 está o novo Mac Pro, que levará alguns meses para chegar ao mercado. No entanto, há uma novidade que já está disponível, inclusive no Brasil: as versões recém-atualizadas da linha MacBook Air.

Linha MacBook Air – Imagem por Apple

Linha MacBook Air – Imagem por Apple

Os portáteis – com telas de 11 e 13 polegadas – agora poderão ser equipados com os novos processadores Intel Core i5 de 1,3 GHz ou com chips Intel Core i7 de 1,7 GHz  (ambos da arquitetura Haswell). Além disso, como padrão, a linha agora possui 4 GB de memória DDR 3 (expansível para 8 GB), SSD de 128 GB (com opção de 256 GB) e bateria com duração de até 12 horas em uso contínuo (9 horas na versão de 11 polegadas).

Assim como no Mac Pro, os novos MacBook Air também contam com as versões mais recentes de determinadas tecnologias de conectividade: Wi-Fi 802.11ac, Bluetooth 4.0, duas portas USB 3.0, além de uma porta Thunderbolt (10 Gb/s).

Os novos MacBook Air já podem ser adquiridos no site da Apple – www.apple.com.br. A versão mais barata do modelo de 11 polegadas custa 4.199 reais; na versão de 13 polegadas, o valor inicial é de 4.599 reais.

Comentários desativados em Apple atualiza linha MacBook Air – novos modelos já estão disponíveis no Brasil

2013
23
Maio

BrandZ: Apple continua sendo a marca mais valiosa do mundo

AppleCom o crescimento da plataforma Android, a Apple pode não estar necessariamente nos seus melhores dias, mas esta situação está longe de indicar uma crise: a BrandZ divulgou recentemente os resultados da edição 2013 das “100 Marcas mais Valiosas do Mundo” e a companhia fundada por Steve Jobs apareceu novamente na liderança.

Eis as dez primeiras colocações:

  1. Apple – valor da marca: 185 bilhões de dólares;
  2. Google – valor da marca: 113,6 bilhões de dólares;
  3. IBM – valor da marca: 112,5 bilhões de dólares;
  4. McDonald’s – valor da marca: 90,2 bilhões de dólares;
  5. Coca-Cola – valor da marca: 78,4 bilhões de dólares;
  6. AT&T – valor da marca: 75,5 bilhões de dólares;
  7. Microsoft – valor da marca: 69,8 bilhões de dólares;
  8. Marlboro – valor da marca: 69,3 bilhões de dólares;
  9. Visa – valor da marca: 56 bilhões de dólares;
  10. China Mobile – valor da marca: 55,3 bilhões de dólares.

Como é possível observar, há quatro companhias de tecnologia nas colocações iniciais: Apple, Google, IBM e Microsoft. Esta última perdeu números: na edição 2012, a marca esteve na quinta posição da lista. O Google, por sua vez, “tomou” o lugar da IBM, que esteve na segunda colocação no ano passado.

Mas queda gritante mesmo teve o Facebook: a rede social está na 31ª posição da lista com valor de 21,2 bilhões de dólares, sendo que, na edição 2012, ocupou a 19ª. A sua desvalorização foi de 36%, uma das mais altas de todo o ranking.

Mas o que chama atenção mesmo é o avanço das marcas chinesas. Além da China Mobile, que chegou à décima posição, estão presentes no ranking outras 28 marcas do país. Se somadas, o valor de todas elas supera a casa do 1 trilhão de dólares.

A lista completa das marca mais valiosas pode ser acessada aqui (PDF, em inglês).

Comentários desativados em BrandZ: Apple continua sendo a marca mais valiosa do mundo

2013
25
jan

Apple publica relatório sobre fiscalização em fábricas chinesas

Apesar de não ser a única companhia que contrata empresas chinesas para fabricar seus produtos, a Apple foi seriamente criticada nos últimos anos após as notícias de suicídios de funcionários da Foxconn que trabalhavam na produção de seus equipamentos. Como que para provar que está tratando o assunto com seriedade, a empresa publicou um relatório recentemente que detalha os resultados obtidos com a fiscalização realizada nas unidades fabris.

Fábrica na China – Imagem por Apple

Fábrica na China – Imagem por Apple

Um dos problemas mais sérios diz respeito ao trabalho infantil. No documento, é possível ver que a Apple descobriu que 11 fábricas que fornecem componentes empregavam menores de idade nas linhas de produção. Em um dos casos, a fábrica não atendeu às exigências para corrigir o problema e teve o seu contrato cancelado.

Em outro, a empresa identificou uma firma especializada em recursos humanos que ajudava famílias na falsificação de documentos para fazer com que menores de idade pudessem trabalhar em uma fábrica de componentes sem serem descobertos. A empresa em questão foi denunciada às autoridades chinesas, pagou multa e teve suas atividades suspensas.

Outro problema sério que exigiu esforços da Apple foram as jornadas de trabalho excessivas. A empresa afirma ter obtido resultados expressivos nos procedimentos que tentam evitar que funcionários ultrapassem 60 horas de trabalho por semana, que é a carga horária máxima permitida.

Por mais que a Apple e outras gigantes da indústria empreguem esforços para acabar com a exploração nas fábricas chinesas, este é um problema longe do fim. Em muitos casos, os excessos acontecem em fábricas secundárias, que fornecem componentes de menor importância, por exemplo, e que muitas vezes são pouco fiscalizadas. Além disso, há a a questão social: por mais que a lei proíba, o trabalho de menores é tido como essencial para a subsistência de muitas famílias.

O relatório completo está disponível em inglês no seguinte endereço: images.apple.com/supplierresponsibility/pdf/Apple_SR_2013_Progress_Report.pdf.

Referência: The Next Web.

Comentários desativados em Apple publica relatório sobre fiscalização em fábricas chinesas

2012
17
out

Troca de HD: Apple inicia programa de recall para a linha iMac

Se você utiliza um iMac, atenção: a Apple iniciou recentemente um programa de recall para os computadores da linha fabricados entre outubro de 2009 e julho de 2011. A iniciativa é praticamente global, valendo inclusive para os equipamentos iMac vendidos no Brasil.

O recall é gratuito e tem como objetivo trocar os HDs de 1 terabyte da marca Seagate instalados na linha iMac durante o período informado. A Apple não entrou em detalhes sobre o motivo, explicando apenas que estes discos rígidos são mais suscetíveis a falhas.

Linha iMac – Imagem por Apple

Linha iMac – Imagem por Apple

O programa, na verdade, é uma extensão do recall iniciado pela companhia no início do segundo semestre de 2011 que também tinha o objetivo de trocar HDs da linha iMac, mas apenas das máquinas vendidas entre maio e julho do mesmo ano. Aparentemente, a Apple descobriu que a tal falha nos discos rígidos pode atingir muito mais unidades, razão pela qual decidiu ampliar o programa.

A Apple afirmou já estar entrando em contato com proprietários de computadores iMac afetados pelo problema que tenham fornecido um endereço de e-mail válido no registro do produto. Para ter certeza de que seu equipamento deve ou não passar pelo recall, basta visitar o link www.apple.com/br/support/imac-harddrive e informar o número de série da máquina no campo existente na página.

Aos consumidores que já sabem que terão que levar seu iMac para reparo, a Apple recomenda o envio do equipamento a uma assistência técnica autorizada ou o contato com o suporte da empresa para outros esclarecimentos. O recall poderá ser feito até 12 de abril de 2013 ou até três anos depois da data de aquisição do produto, o que fornecer maior cobertura ao usuário.

Referência: Ars Technica.

Comentários desativados em Troca de HD: Apple inicia programa de recall para a linha iMac

2012
28
set

Presidente da Apple divulga carta de desculpas por serviço de mapas precário do iOS 6

Desde que o iOS 6 foi lançado, os usuários da plataforma reclamam do novo aplicativo de mapas que acompanha o sistema – precário, o serviço exibe mapas incompletos, imagens de má qualidade, locais com identificação incorreta, entre outros. As queixas foram tantas que Tim Cook, presidente da Apple, publicou recentemente uma carta aberta se desculpando pelo problema, uma atitude que muito provavelmente não seria realidade na gestão de Steve Jobs.

Eis uma tradução livre do comunicado, publicado originalmente em inglês na página www.apple.com/letter-from-tim-cook-on-maps:

Aos nossos clientes,

Na Apple, nós nos esforçamos para criar produtos de primeira linha capazes de oferecer a melhor experiência possível aos nossos clientes. Com o lançamento do nosso serviço de mapas na semana passada, este compromisso não foi cumprido. Ficamos extremamente tristes com a frustração que esta situação causou e estamos fazendo tudo o que podemos para tornar o Maps melhor.

Nós lançamos o Maps inicialmente com a primeira versão do iOS. Conforme o tempo avançava, queríamos oferecer aos nossos clientes mapas ainda melhores incluindo características como navegação curva a curva, integração com voz, Flyover e mapas baseados em vetores. Para isso, tivemos que criar uma versão do Maps a partir do zero.

Já há mais de 100 milhões de dispositivos iOS utilizando o novo Apple Maps, com mais e mais pessoas se juntando a nós a cada dia. Em pouco mais de uma semana, usuários do iOS com o novo Maps fizeram mais de meio bilhão de buscas de locais. Quanto mais nossos clientes utilizarem o serviço, melhor ele ficará e nós apreciamos imensamente todas as opiniões que recebemos de vocês.

Enquanto melhoramos o Maps, você pode usar alternativas baixando aplicativos de mapas da App Store, como Bing, MapQuest e Waze, assim como utilizar os serviços de mapas do Google ou da Nokia criando um ícone para eles em sua tela inicial.

Tudo o que fazemos na Apple visa tornar nossos produtos os melhores do mundo. Sabemos que você espera isso de nós e vamos continuar trabalhando sem parar até que o Maps ganhe um padrão de qualidade incrivelmente alto.

Tim Cook, CEO da Apple

Apesar de reconhecer que o serviço de mapas do iOS 6 não tem a qualidade esperada, a Apple não forneceu nenhuma previsão para o lançamento de uma versão que possa ao menos amenizar os problemas relatados. No entanto, o fato de o próprio Tim Cook recomendar serviços concorrentes indica que uma atualização efetiva não surgirá tão cedo.

1
comentário

2012
20
ago

Superou a Microsoft: Apple se torna a empresa mais valiosa da história

O dia de hoje (20/08/2012) deve entrar para a história da Apple: a companhia, que um dia já chegou a estar à beira da falência, viu o valor de suas ações bater um recorde. Como resultado, a companhia criada por Steve Jobs e hoje liderada por Tim Cook se tornou a mais valiosa de todos os tempos!

O recorde anterior, estabelecido em 1999, pertence à Microsoft. Sob o comando de Bill Gates, o valor da companhia chegou a 620,58 bilhões de dólares na ocasião. No caso da Apple, as ações da empresa nesta segunda-feira chegaram a custar 664,74 dólares cada (houve uma pequena queda posteriormente), o que a fez ter valor de mercado de 623,14 bilhões de dólares.

TIM Cook, atual CEO da Apple, é só alegria (Imagem: divulgação)

TIM Cook, atual CEO da Apple, é só alegria (Imagem: divulgação)

Entre os motivos para o excelente desempenho da Apple na NASDAQ (bolsa de valores eletrônica dos Estados Unidos que reúne empresas de tecnologia) está não só o histórico de sucesso da companhia nos últimos anos, como também as expectativas para o futuro: os investidores estão animados com a possibilidade de a empresa lançar uma nova versão do iPhone neste ano, assim como uma edição do iPad com dimensões reduzidas.

É válido frisar que, apesar de a Apple ter superado o recorde da Microsoft, a medida não considera os ajustes inflacionários aplicados desde 1999. Em outras palavras, naquela época o dólar valia mais. De qualquer forma, não dá para negar que o recorde da Apple é um feito e tanto, especialmente se consideramos que estamos diante de uma crise econômica séria na Europa e de expectativas “mornas” em relação à economia dos Estados Unidos.

Referência: CNN Expansíon.

Comentários desativados em Superou a Microsoft: Apple se torna a empresa mais valiosa da história

2012
11
abr

Apple enfrentará processo antitruste nos Estados Unidos

A Apple enfrentará um processo antitruste nos Estados Unidos. Não se trata de nada tão grande quanto às investigações que Microsoft e Google já tiveram, mas não deixa de ser importante: na visão do Departamento de Justiça norte-americano, a empresa fundada por Steve Jobs teria combinado políticas de preços com editoras para controlar os valores cobrados por e-books.

Segundo a ação, as editoras envolvidas são: Simon & Schuster, HarperCollins, Hachette, Macmillian e Penguin. Estas empresas teriam supostamente aumentado os preços de seus livros digitais em combinação com a Apple, ficando esta última com 30% do valor de cada cópia vendida.

O acordo teria começado a valer em 2010, antes do lançamento da linha iPad. Na época, a Amazon estava vendendo e-books populares e recém-lançados com preço de 9,99 dólares, mas a “conspiração” teria aumentado os valores das obras ao ponto de prejudicar a estratégia da loja.

A Amazon pode ter sido a principal prejudicada com o suposto acordo

A Amazon pode ter sido a principal prejudicada com o suposto esquema

A intenção, aparentemente, era a de fazer com que a Apple pudesse vender livros digitais sem ter que enfrentar grande concorrência e, como consequência, ter uma arma a mais na promoção de seu tablet. Com isso, muitos consumidores podem ter pagado a mais por muitas obras.

Até que ponto esta história toda é verdadeira ainda não se sabe, o fato é que as editoras Simon & Schuster, HarperCollins e Hachette já se mostraram dispostas a fechar um acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para finalizar as investigações.

Referência: The Wall Street Journal.

Comentários desativados em Apple enfrentará processo antitruste nos Estados Unidos

2012
19
mar

Novo iPad: três milhões de unidades vendidas em apenas três dias

Se estivesse vivo, Steve Jobs poderia até ter criticado uma ou outra característica do novo iPad, mas isso não importa, pois a exemplo dos modelos anteriores, o mais recente tablet da Apple já é um sucesso de vendas: o dispositivo foi lançado em cerca de dez países na última sexta-feira (16/03/2012) e desde então já vendeu mais de três milhões de unidades.

O “novo iPad” – Imagem por Apple

O “novo iPad” – Imagem por Apple

O interessante é que, cercado por desconfiança (a ideia de tablet ainda era novidade na época), o primeiro modelo do iPad levou quase três meses para alcançar este número, enquanto que o iPad 2 conseguiu este feito em pouco menos de um mês. Está certo que a terceira geração do iPad conta com o fato de ter sido lançada ao mesmo tempo em vários países importantes, como Estados Unidos, França, Alemanha e Japão, o que não aconteceu com os modelos anteriores, mesmo assim já é possível supor que esta será a versão com maior número de vendas.

A Apple, é claro, “ri à toa”. Nesta segunda-feira (19/03/2012) mesmo a companhia anunciou a recompra de suas ações por 45 bilhões de dólares ao longo deste e dos dois próximos anos, além de um plano de distribuição entre seus acionistas de dividendos do último trimestre de 2012, tudo isso porque seu caixa registra, atualmente, 97,6 bilhões de dólares.

Definitivamente, crise é uma palavra que não faz parte do dicionário atual da Apple.

Comentários desativados em Novo iPad: três milhões de unidades vendidas em apenas três dias

2012
24
fev

Com direito a prêmio: App Store está prestes a alcançar 25 bilhões de downloads

Apple e números pequenos são coisas que, definitivamente, não combinam. Prova recente vem da App Store, loja de aplicativos da empresa para a plataforma iOS: o serviço está prestes a alcançar a “humilde” marca de 25 bilhões de downloads. Apenas para efeitos comparativos, esta quantidade era de 2 bilhões em setembro de 2009.

25 bilhões de downloads: quase lá

25 bilhões de downloads: quase lá

Como forma de comemoração, a Apple colocou um contador de downloads em seu site (ilustrativo, vale frisar). Além disso, dará um gift card no valor de 10 mil dólares ao usuário que for responsável exatamente pelo download de número 25.000.000.000. Com isso, o felizardo poderá comprar milhares de músicas, vídeos, aplicativos e outros.

Não é a primeira ação do tipo que a Apple promove: em janeiro de 2011, a companhia também entregou um gift card no valor de 10 mil dólares para o sortudo que realizou o download de número 10.000.000.000.

Acompanhe o contador em www.apple.com/itunes/25-billion-app-countdown (em inglês).

Referência: Meio Bit.

Comentários desativados em Com direito a prêmio: App Store está prestes a alcançar 25 bilhões de downloads