ESET: na América Latina, 58% dos usuários guardam senhas em smartphones

Caixa de senha - imagem ilustrativaUm levantamento realizado pela ESET, empresa de segurança digital responsável pelo antivírus NOD32, mostra um cenário preocupante: a companhia constatou que, na América Latina, 58% dos usuários armazenam senhas de e-mail, internet banking, redes sociais e outros serviços em smartphones.

Esta prática é perigosa porque, em caso de perda, furto ou roubo do aparelho, estas informações ficarão à disposição de terceiros caso seja possível, de alguma forma, acessar os dados guardados ali. O mesmo pode ocorrer se o dispositivo for vendido e o antigo dono não tomar todos os cuidados necessários para eliminar suas informações pessoais.

Entre os usuários que admitiram esta prática, 85% confirmaram armazenar principalmente senhas de redes sociais:

  • Redes sociais: 85,05%;
  • E-mail: 77,5%;
  • Serviços pagos: 22%;
  • Internet banking: 16,3%
  • Outros: 4,8%.

Como forma de prevenção, 61,2% dos entrevistados afirmaram utilizar senha de bloqueio no smartphone, 43,5% o fazem a partir do número PIN do cartão SIM (“chip do celular”), 35% aplicam atualizações do sistema operacional e 24% fazem uso de alguma outra solução de segurança.

O levantamento mostrou ainda que 63,1% das pessoas entrevistadas já lidaram com perda ou roubo de smartphone pelo menos uma vez e, portanto, estão cientes do risco de guardar dados sigilosos no aparelho.

Você pode saber mais sobre como criar senhas seguras e protegê-las aqui no InfoWester.