Crise também atinge o mundo dos videogames

Ilustração sobre jogosEnquanto companhias de diferentes segmentos lamentavam prejuízos enormes, demitiam e até fechavam, os executivos das principais empresas de jogos eletrônicos comemoraram: as vendas continuavam muito bem, obrigado. Mas, de acordo com um levantamento feito pela NPD Group, a crise finalmente atingiu o “mundo dos videogames”.

A venda de consoles caiu 38%. O Nintendo Wii, por exemplo, teve quase 362 mil unidades comercializadas em junho de 2009, mas no mesmo período de 2008 essa quantidade foi de 667 mil. Em relação aos jogos em si, a queda foi de 29%, enquanto que a redução na venda de acessórios foi de 22%. É, portanto, a maior baixa desde o ano 2000, quando as vendas caíram em aproximadamente 40%.

Esses dados são referentes aos Estados Unidos, o maior mercado de games do mundo, no entanto, é possível que reflitam um panorama global. As respostas para esses problemas podem estar no custo dos consoles, considerados altos agora por causa da retração da economia. Além disso, a ausência de novidades “revolucionárias” nos últimos meses pode ter causado uma diminuição no interesse por videogames.

A reação pode vir por meio de uma nova “guerra de preços” entres os consoles ou, ainda, com o surgimento de recursos “cativantes”, como o Projeto Natal, da Microsoft.

Felizmente, não é toda a indústria de jogos que está sofrendo com o problema: o número de usuários de games on-line não para de crescer, assim como as vendas de jogos para telefones celulares, em parte porque esses dispositivos estão cada vez mais sofisticados e vendem bem mesmo em tempos de crise.

Referências: Reuters, elmundo.es.

Um comentário em “Crise também atinge o mundo dos videogames”

Os comentários estão fechados.