Microsoft confirma: o Windows 8 vai ser “reformado”

Não se trata, necessariamente, de um fracasso, mas não há como negar que o mercado esperava muito mais do Windows 8. A tentativa de criar uma plataforma capaz de atender tanto PCs quanto tablets parece, no final das contas, ter tido o efeito contrário: a proposta não fez diferença para nenhum dos lados. Sabendo que o estrago se torna maior à medida que o tempo passa, a Microsoft decidiu agir e trabalhar em uma atualização: vem aí o Windows Blue, um pacote de “reformas” do Windows 8.

Laptops com Windows 8

O Windows 8 funciona como se tivesse dois ambientes distintos: o clássico, com Área de Trabalho, e o novo, com um design baseado em linhas e quadrados que se mostra bastante apropriado para dispositivos móveis. Para muitos usuários, o problema está justamente neste ponto: esteja o usuário utilizando um PC ou um tablet, invariavelmente será necessário alternar entre os dois modos, o que equivale a ter uma experiência de tablet no PC e uma experiência de PC no tablet.

O primeiro alerta de que o Windows 8 não convenceria a contento veio da hesitação dos fabricantes de PCs. Muitos inclusive culpam o sistema pela queda na venda de seus equipamentos. Mas o problema ficou evidente mesmo no que diz respeito à adoção em massa da plataforma: muitos usuários do Windows 7 não se sentiram suficientes motivados a mudar para o Windows 8.

Os números deixam este cenário claro: desde outubro de 2012, quando o Windows 8 chegou ao mercado, pouco mais de 100 milhões de licenças do sistema foram vendidas. Pode parecer muito, mas é necessário levar em conta que, em janeiro de 2013, esta quantidade era de 60 milhões de licenças, ou seja, desta época para cá, o número de cópias aumentou apenas em 40 milhões.

O Windows Blue – ou Windows 8.1 –  deverá ser disponibilizado no final de 2013, mas ainda não se sabe quais serão as suas mudanças. Uma das apostas está no retorno do “Menu Iniciar” –  a sua ausência é uma das características mais criticadas no Windows 8. De acordo com a Microsoft, detalhes serão mostrados na conferência para desenvolvedores BUILD, que acontecerá entre os dias 26 e 28 deste mês de junho, em San Francisco, Estados Unidos.

O que é praticamente certo é que a Microsoft manterá o foco em dispositivos com tela sensível ao toque. De fato, neste segmento, a experiência de uso do Windows 8 se mostrou melhor. O problema é que o volume de vendas de equipamentos do tipo é baixo, principalmente por causa do preço.

Se a oferta de laptops com tela sensível ao toque fosse maior e com valores convidativos, o Windows 8 poderia até mesmo ter sido o símbolo de uma nova tendência no mercado. Mas, neste ponto, a Microsoft depende também do interesse dos fabricantes. Quem sabe, o Windows Blue consiga facilitar um acordo entre ambos os lados.

Referências: Blog da Microsoft Brasil, WSJ.com.

Emerson Alecrim