Nintendo divulga lista dos países que mais pirateiam seus produtos

Brasil é um dos países criticados

Brasil, China, Coreia do Sul, Espanha, México e Paraguai são os países onde os níveis de pirataria de produtos da Nintendo são os mais altos, segundo um levantamento feito pela empresa. Por conta disso e, principalmente, pelo fato de os índices de pirataria aumentarem em todo o mundo, a Nintendo pediu ao governo americano para atuar de maneira mais intensa no combate a essa prática.

De acordo com a Nintendo, a alta disponibilidade de dispositivos que burlam os mecanismos de segurança dos consoles – como os “mod chips” -, as baixas ações contra esse tipo de atividade e a falta de monitorização do compartilhamento ilegal de jogos pela internet são os principais fatores para o aumento da pirataria.

Jodi Daugherty, do departamento anti-pirataria da Nintendo, afirmou que o problema não afeta apenas as vendas das empresas de jogos, mas também os usuários, uma vez que pode expor os jogadores – especialmente crianças – a conteúdo inadequado e não controlado pela empresa.

Segundo o levantamento da Nintendo, o epicentro da pirataria continua sendo a China, principalmente pelo fato da maior parte dos produtos ilegais ter origem nesse país. No entanto, a empresa não poupou críticas às demais nações citadas no início desta nota. Em relação ao Brasil, a Nintendo disse o seguinte:

“As ações federais contra a pirataria no Brasil não reduziram essa prática. Os esforços locais são irrelevantes. (…) Altas tarifas e impostos elevados continuam sendo obstáculos para o estabelecimento do mercado legal de jogos“.

Referência: Business Wire.

Um comentário em “Nintendo divulga lista dos países que mais pirateiam seus produtos”

  1. Pois é ta pra voçes verem os caras passam os jogos para o brasil ate abaratos mas chegando aqui o leao papa tudo com impostos ignorantes e sem noçao.

Os comentários estão fechados.