Má fase: Nokia anuncia fechamento de fábrica e corte de 3,5 mil postos de trabalho

Outrora orgulhosa por ser a maior fabricante de telefones celulares do mundo, hoje, a finlandesa Nokia faz o que pode para não chegar de vez ao fundo do poço. Neste sentido, a companhia anunciou hoje (29/09/2011) duas decisões delicadas: o fechamento de sua fábrica em Cluj, Romênia, e o corte de 3,5 mil postos de trabalho.

Dos funcionários a serem dispensados, 2,2 mil fazem parte da fábrica que será fechada. O restante integra divisões como a de desenvolvimento de mapas e serviços de geolocalização. Em abril deste ano, a Nokia já havia dispensado 4 mil trabalhadores. Como se não bastasse, a companhia também estuda a viabilidade de manter suas fábricas em Salo (Finlândia), Reynosa (México) e Komaron (Hungria), indicando que mais demissões poderão ocorrer em um futuro próximo.

A Nokia justificou sua decisão dizendo se tratar da necessidade que a companhia tem de “realinhar suas operações e sua força de trabalho”. As decisões anunciadas hoje fazem parte do plano que a empresa anunciou em julho de 2011 de economizar pelo menos 1 bilhão de euros. Há ainda a possibilidade de a Nokia, a exemplo de outros fabricantes, concentrar sua produção na Ásia.

Para vencer a má fase, a Nokia está apostando suas fichas na parceria com a Microsoft, que resultará na fabricação de smartphones baseados na plataforma Windows Phone. Se é uma decisão acertada, só o tempo dirá, mas há um clima de grande desconfiança no mercado.