Visitantes que só lêem o que não está escrito

Cerca de 80% das visitas diárias ao InfoWester vem de sites de busca. As páginas de nossas matérias são otimizadas para que o usuário consiga encontrar justamente o que oferecemos: dicas, tutoriais e textos explicativos sobre diversos tipos de tecnologia. No entanto, por mais claro que seja o foco do InfoWester, sempre tem gente que não consegue perceber que os nossos produtos são, exclusivamente, conteúdo informativo.

Semanalmente, o InfoWester recebe duas ou três mensagens pedindo cotação de algum produto. Em geral, a pessoa faz uma busca na internet por um determinado termo – por exemplo, memória DDR2 – e cai aqui. No entanto, ela não lê o conteúdo mostrado na página em questão e, por esse simples motivo, acaba acreditando que o InfoWester comercializa esse tipo de produto quando, na verdade, apenas fornece um texto explicativo a respeito.

Por conta disso, nossa página de contato exibe um aviso que diz, claramente, que o InfoWester não é uma loja. Se, por algum motivo, o usuário não lê essa mensagem, acaba clicando no link de contato “Propostas comerciais ou de parceria”, já que é o que mais se aproxima de uma consulta de vendas. A janela desse link contém o mesmo aviso, mas em vermelho, como mostra a imagem abaixo.

Mas não adianta. Toda semana nos chega e-mails pedindo cotação de produtos. Mas, o que é preocupante nessa história toda, é o fato da maioria absoluta dessas pessoas estarem representando uma empresa (é muito raro alguém entrar em contato como sendo usuário doméstico). Isso significa que as companhias em questão contrataram pessoas que não têm o hábito de ler instruções completas.

Não sou especialista em gerenciamento de recursos humanos, mas não é necessário ser para entender que esse tipo de situação representa um risco.  Por motivos óbvios, ter um gerente no departamento de compras que não lê nem os avisos em destaque é pedir para ter prejuízo, não concorda?

Emerson Alecrim