Provedores bloqueando a porta 25?

A guerra contra o SPAM parece não ter fim. Provedores de e-mail tentam implementar soluções que possam aniquilar essa praga, mas os spammers sempre dão um jeito de burlar as proteções lançadas. Filtros eficientes e que apresentam resultados satisfatórios existem, como é o caso do Gmail. Mas isso não quer dizer que o problema esteja resolvido. Com filtros inteligentes, o usuário é beneficiado, pois poucas mensagens não solicitadas chegam à sua caixa postal. Para os provedores, no entanto, a coisa já não funciona assim. Indo parar na caixa de entrada de seus clientes ou não, os servidores das empresas recebem essas mensagens, gerando custos significativos de armazenamento e desenvolvimento de ferramentas de combate à prática.

Diante dessa situação, alguns provedores parecem estar entrando em desespero. Li hoje no blog FayerWayer que alguns grandes provedores estão começando a bloquear a porta 25 para os seus clientes. Para quem não sabe, essa porta é comumente utilizada por servidores SMTP para o envio de mensagens através de clientes de e-mail, como o Microsoft Outlook e o Mozilla Thunderbird.

Alusão à porta bloqueada

O texto do FayerWayer se focaliza no provedor chileno Entel, mas cita também que essa prática está sendo executada por vários outros provedores, especialmente nos EUA. AT&T, EarthLink, Comcast e Verizon são exemplos. Em todos os casos, o objetivo com o bloqueio da porta 25 é o mesmo: evitar que mensagens de SPAM sejam enviadas através de servidores SMTP não controlados pelas respectivas empresas.

Com isso, a pergunta que fica no ar é: os usuários simplesmente não poderão enviar mensagens através de seu cliente de e-mail? A resposta é sim e não. De fato, não será possível utilizar os servidores SMTP dos serviços de e-mail (a não ser que eles ofereçam alguma alternativa), mas os provedores que estão efetuando o bloqueio aparentemente estão oferecendo aos seus clientes servidores SMTP próprios, controlados por eles e que certamente fazem uso de outra porta. Assim, basta configurar o cliente de e-mail para enviar mensagens por esses servidores, mesmo que o serviço de e-mail utilizado seja de outra empresa.

Esse tipo de ação, na verdade, não é novidade, pois não é de hoje que ouço falar nisso, mas me surpreendi ao saber que ainda há empresas considerando esse bloqueio. Creio que qualquer decisão que cause transtornos aos clientes deve ser evitada, principalmente medidas como essa, que não resolvem o problema do SPAM e penalizam os usuários que não têm culpa de nada. Espero que outros provedores não comecem a gostar da idéia…

Referência: FayerWayer.

Emerson Alecrim