O que é SSD M.2? (2280, 2260 ou 2242)

Introdução

Se você tem um notebook ultrafino (ultrabook), comprou uma placa-mãe para desktop ou pesquisou por um SSD recentemente, talvez tenha se deparado com a palavra M.2. Esse nome indica que o equipamento é compatível com SSDs desse tipo.

Mas o que é um SSD M.2? Que tipos de M.2 existem? E quais as vantagens desse padrão? As respostas para essas e outras perguntas você confere nas próximas linhas. Vamos lá?

- O que é M.2?
- Tamanhos do M.2
- M.2 22110
- M.2 2280
- M.2 2260, M.2 2242 e M.2 2230
- Chaves (keys) do M.2
- M.2 chave B (B key)
- M.2 chave M (M key)
- M.2 chave B+M (B+M key)
- E o que é NVMe?

O que é M.2?

Os SSDs são dispositivos de armazenamento de dados muito mais rápidos que os tradicionais discos rígidos (HDs) na gravação e leitura de informações. Mas essa não é a única vantagem: por serem baseados em chips de memórias NAND Flash, eles podem ser fisicamente muito mais compactos que os HDs.

Embora não de modo exclusivo, no início, a indústria deu preferência a SSDs com conexões SATA, que até hoje são muito comuns no mercado. Trata-se do mesmo formato que é usado em HDs convencionais.

A grande vantagem aqui é a ampla compatibilidade: uma enormidade de placas-mãe para PCs, laptops e servidores têm portas SATA. Além disso, dispositivos baseados nesse padrão costumam ser baratos.

Mas as interfaces SATA têm lá suas limitações: elas possuem como base padrões de comunicação já um tanto desatualizados. O empecilho mais importante é que conexões SATA podem ser compactas para um desktop ou notebook convencional, mas acabam são grandalhonas para ultrabooks ou tablets, por exemplo.

É aqui que o M.2 aparece: outrora chamado de Next Generation Form Factor (NGFF), esse padrão — um conjunto de formatos de placas, na verdade — permite que o SSD seja muito compacto. Unidades do tipo são, basicamente, plaquinhas com chips e um pequeno conector.

SSD M.2 da Western Digital
SSD M.2 da Western Digital

SSDs M.2 são tão compactos que eles podem ser conectados em ultrabooks, tablets e notebooks híbridos. Só que esse padrão também é viável para desktops e servidores. Isso porque, além das dimensões diminutas, formatos M.2 possibilitam que o SSD utilize padrões de comunicação mais rápidos, como as versões mais recentes do barramento PCI Express.

Tamanhos do M.2

Antes de comprar um SSD M.2, você precisa verificar se a placa-mãe do seu desktop ou laptop é compatível com esse formato. Consulte o manual do equipamento ou o suporte técnico do fabricante se você não tiver essa informação.

É compatível? Ótimo. Mas não termina aí: dispositivos M.2 podem ter vários tamanhos, por isso, é necessário checar qual deles pode ser instalado no seu computador ou dispositivo móvel.

Não se preocupe. Abaixo está a lista dos formatos mais comuns. Note que os tamanhos são classificados com uma numeração. Parece confuso, mas não é: o número faz referência à largura da placa M.2 e ao comprimento desta.

M.2 22110

Módulos M.2 22110 recebem essa denominação porque possuem 22 milímetros de largura por 110 milímetros de comprimento (22 x 110 mm). Esse formato não é muito comum e costuma ser usado principalmente em SSDs para aplicações corporativas.

M.2 2280

O M.2 2280 é, de longe, o formato mais usado pela indústria. É possível encontrar SSDs seguindo esse padrão tanto em linhas corporativas quanto em opções para usuários domésticos. Notebooks ultrafinos, por exemplo, costumam vir de fábrica com SSDs M.2 2280.

Você já deve ter adivinhado, mas convém explicar: o '2280' no nome indica que esse formato de M.2 tem 22 x 80 mm.

SSD da Kingston em um desktop
SSD M.2 2280 da Kingston em um desktop

M.2 2260, M.2 2242 e M.2 2230

Notebooks híbridos ou computadores muito compactos, por exemplo, podem precisar de unidades de armazenamento de dados com dimensões ainda mais reduzidas. É aqui que formatos como M.2 2260, M.2 2242 e M.2 2230 aparecem: eles também não são muito comuns no mercado, mas existem para atender a determinados tipos de dispositivos.

A essa altura você já deve ter percebido, mas não custa destacar: a largura de placas M.2 é sempre a mesma (22 milímetros); o que muda é o comprimento. Observe:

  • M.2 2260: 22 x 60 mm
  • M.2 2242: 22 x 42 mm
  • M.2 2230: 22 x 30 mm

SSDs M.2 2242, 2260 e 2280
SSDs M.2 2242, 2260 e 2280 (Imagem por: ATP)

Chaves (keys) do M.2

Até agora, falamos das dimensões físicas das placas M.2. Mas existe outra característica que precisa ser considerada: os tipos de chaves (keys) — ou, em uma tradução mais precisa, os tipos de encaixes.

Há três padrões: chave B, chave M e chave B+M. E qual a razão de tanta variedade? Basicamente, para permitir que o M.2 possa atender aos padrões de desempenho de variados tipos de dispositivos.

Ao contrário do que muita gente pensa, o formato M.2 não é aplicado apenas em SSDs. Também é possível encontrar placas Wi-Fi ou Bluetooth em formato M.2, só para dar um exemplo.

Alguns desses dispositivos vão precisar de mais velocidade na transmissão de dados; outros, menos. Via de regra, placas M.2 com chave B suportam o padrão PCI Express x2, enquanto a chave M suporta o PCI Express x4 (mais rápido). É por isso que SSDs focados em alto desempenho costumam ter chave M.

Chaves B e chave M
Chaves B e chave M (Imagem original por: Kingston)

Vamos entender melhor essas tais chaves:

M.2 chave B (B key)

Nesse padrão, o conector do dispositivo M.2 tem uma pequena ranhura posicionada à esquerda (ou à direita, se você virar a placa). Se você contar os pinos (as faixas metálicas do conector), vai perceber que, nos módulos M.2 chave B, sempre há seis deles à esquerda da ranhura.

M.2 chave M (M key)

Módulos M.2 com chave M têm a ranhura alinhada à direita do conector, com cinco pinos ficando no mesmo lado.

Note que conectores M.2 chave B não são compatíveis com conexões chave M e vice-versa.

M.2 chave B+M (B+M key)

Esse padrão é autoexplicativo: via de regra, conectores M.2 B+M são compatíveis tanto com dispositivos chave B quanto com chave M. Mas existe uma limitação aqui: um dispositivo M.2 B+M vai trabalhar com o PCI Express x2, mas não com o x4.

Memória Intel Optane M.2 com chave B+M
Memória M.2 Intel Optane com chave B+M (Observe as letras no conector)

E o que é NVMe?

Você vai encontrar com facilidade modelos M.2 de SSD compatíveis com NVMe. Mas o que é isso? Sigla para Non Volatile Memory Express, o NVMe consiste, basicamente, em um protocolo que estabelece um conjunto de funções e comandos para SSDs baseados em PCI Express.

O objetivo aqui é o de incrementar o desempenho da unidade. Um SSD M.2 com NVMe consegue ter mais velocidade na transferência de dados (na comparação com um SSD SATA) por conta da ligação desse protocolo com o PCI Express, tecnologia mais atual e rápida.

Vamos a um exemplo: o SSD abaixo é o 970 Pro, da Samsung. Ele tem formato M.2 2280 e compatibilidade com NVMe. Graças, em parte, a essa característica, esse SSD consegue trabalhar com velocidade de até 3.500 MB/s (megabytes por segundo) na leitura e 2.700 MB/s na escrita de dados. Em contrapartida, um SSD com SATA não costuma ir além dos 600 MB/s nessas operações.

SSD Samsung 970 Pro com M.2 2280, chave M e NVMe
SSD Samsung 970 Pro com M.2 2280, chave M e NVMe

Vale esclarecer que nem todo SSD M.2 é NVMe. Também é possível encontrar unidades M.2 baseadas no padrão SATA.

Conclusão

Agora que você já sabe o que é M.2, fica mais fácil escolher o melhor SSD para as suas necessidades. Você só precisa se certificar de que o seu notebook ou a placa-mãe do seu desktop é compatível com esse padrão para usufruir dos seus benefícios.

Mas o assunto não termina aqui. Se você quiser saber mais, o InfoWester tem um artigo com tudo sobre SSD, além de um texto que explica as diferenças entre memórias SLC, MLC, TLC e QLC (tipos de memórias usadas nos SSDs).

Talvez você também queira saber tudo sobre cartões microSD e SD.

Publicado em 19_05_2019.

Emerson Alecrim Autor: Emerson Alecrim
Graduado em ciência da computação, produz conteúdo sobre tecnologia desde 2001. É aficionado por TI, comunicação, ciência e cultura geek.
TwitterInstagramLinkedIn