Itália condena executivos do Google por causa de vídeo de bullying

Um tribunal de justiça da Itália condenou ontem três executivos do Google a seis meses de prisão por violação de leis de privacidade. O elemento principal da história é um pequeno filme postado no Google Videos que mostrava um jovem com Síndrome de Down sofrendo bullying, isto é, sendo humilhado por colegas de escola.

Em nota, um funcionário do Google disse que a empresa tirou o vídeo do ar quando recebeu a denúncia e colaborou com as autoridades locais para localizar os responsáveis, que foram identificados e sentenciados a dez meses de serviços comunitários. Apesar disso, um promotor italiano resolveu processar quatro executivos do Google pelo ocorrido. A surpresa fica por conta da condenação, que deixou representantes da companhia perplexos, afinal de contas, tais funcionários não foram responsáveis pela criação e pela publicação do vídeo. Eis um trecho da nota:

(…) Ainda assim, um juiz em Milão condenou ontem três dos quatro réus, David Drummond, Peter Fleischer e George Reyes, por violação de privacidade. Os quatro foram absolvidos da acusação de difamação. Na essência, esta decisão significa que os funcionários de plataformas de hospedagem como o Google Video podem ser responsabilizados criminalmente pelo conteúdo enviado por usuários. Vamos apelar desta surpreendente decisão porque os funcionários do Google não tiveram participação alguma no vídeo em questão. Mesmo assim, durante todo este longo processo, eles mostraram coragem e dignidade admiráveis. O simples fato de terem sido levados a julgamento é um ultraje. (…)

A condenação deixou inclusive o governo americano surpreso: “não concordamos em responsabilizar os provedores de serviços na internet pelo conteúdo publicado pelos usuários”, disse David Thorne, embaixador dos Estados Unidos na Itália, que apesar de tudo reconheceu a natureza repugnante do vídeo.

Referência: Blog Oficial do Google Brasil, CCTV.

3 comentários em “Itália condena executivos do Google por causa de vídeo de bullying”

  1. Esses juízes nessa de querer mostrar serviço confundem ação com movimento. Eles têm uma mente retrógrada e não estão preparados para fazer juízos no contexto moderno. Eu imagino que os advogados Google tinham que trabalhar em uma linha em que se considera a internet como um meio de comunicação e que, portanto, condenar o servidor pelo conteúdo postado por um usuário é o mesmo absurdo que condenar uma companhia telefônica por uma conversa ilícita.

Os comentários estão fechados.