Iniciativa Jogo Justo quer diminuir impostos de games no Brasil

Não é novidade para ninguém que a alta carga tributária encarece demais os preços dos jogos eletrônicos no Brasil, abrindo espaço para a pirataria e tornando nosso mercado pouco viável para empresas como Nintendo e Sony. Mas a iniciativa Jogo Justo, anunciada neste mês, quer mudar esse cenário.

Jogo Justo

Criado por Moacyr Alves Junior e contando com o apoio do deputado federal Luiz Carlos Ghiorzzi Busato (PTB – RS), a proposta do Jogo Justo é a de reduzir a cobrança de impostos sobre games da seguinte forma:

  • Diminuir o II (Imposto de Importação) de 16% para 5%;
  • Diminuir o PIS/COFINS (Programa de Integração Social/Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) de 9,25% para 6,65%;
  • Diminuir o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de 18% para 7%;
  • Acabar com a cobrança de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) por dois ou três anos.

Se a proposta for aceita pelo governo, será possível tornar os jogos mais acessíveis, aumentando as vendas e tornando o mercado brasileiro mais interessante para a indústria dos games. Além disso, a diminuição de impostos poderá ajudar no combate à pirataria e ao que se conhece como “mercado cinza”, onde produtos originais entram no país por meio de contrabando.

Para conhecer mais detalhes da campanha do Jogo Justo e ajudar em sua divulgação, acesse o endereço www.jogojusto.com.br.