Falta de mão de obra qualificada em TI pode piorar no Brasil

A falta de mão de obra qualificada em Tecnologia da Informação (TI) no Brasil é um problema crônico, mas que pode piorar. É o que explica Fernando de Souza Meirelles, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas.

De acordo com Meirelles, as empresas de TI brasileiras estão se internacionalizando e, com isso, atendendo novos mercados. Isso é bastante positivo, pois eleva o número de vagas disponíveis. Por outro lado, aumenta o déficit de mão de obra qualificada, que atualmente mal consegue atender o mercado interno.

O mercado externo é uma grande oportunidade para as empresas de TI brasileiras, pois há um interesse cada vez maior de países desenvolvidos em obter mão de obra mais barata para a área. Mas não é só isso que conta: o Brasil também é referência em vários setores, como o bancário. “É um segmento que o Brasil pode explorar lá fora. É um serviço reconhecido no mundo como de primeira linha ou avançado com relação a muitos países desenvolvidos”.

Portanto, o recado está dado: o profissional de TI que se especializar e se mantiver atualizado terá chances realmente boas de encontrar excelentes oportunidades profissionais.

Referência: Agência Brasil.

8 comentários em “Falta de mão de obra qualificada em TI pode piorar no Brasil”

  1. pois é… como em qualquer outro emprego! Exigem experiência não oferecem cursos, bolsas de estudo nem treinamento para o funcionário, tem que entra na empresa sabendo de tudo!

    Preferem paga caro trazendo gente de fora e não investem no próprio funcionário.

    Portanto o recado ta dado, se formou esta desempregado e nao consegue trabalhar na area? Arrume dinheiro de algum lugar faça curso, banque sua alimentação e vale transporte, ate alguem acha que vc ta qualificado pra exerce a função.

  2. Concordo com a Jaque! Essa definição é furada, pois exigem que você saiba 200 linguagens, tenha certificação MS-Linux-Cisco, seja DBA em Oracle-DB2-SQL Server, tenha inglês fluente e 15 anos de experiência. Como vão achar profissionais assim?

  3. O problema é que nenhum empresa investe no funcionário. E as que investem as vezes tomam uma rasteira, a empresa pagou os cursos para que o empregado vá para outra empresa. O outro são as exigências, principalmente a de experência de mais 5 anos no setor. Muito dificil no pais como o Brasil. Hoje pessoal qualificado que paga os cursos quando tem oportunidade de ir pra for eles vão mesmo. Mas tbm é preciso que se tenha consiência, se não ficar ninguém aqui pq uma empresa vai investir aqui? irão pegar mão de obra de fora mesmo. Sem mais. uhuahuahu

  4. É isso aí galera. A verdade é que as empresas não querem investir, pois não veêm isso como investimento considerando apenas como gastos.
    Ao invés disso é como nosso colega disse: Vai cointratando pessoas que “já sabem de tudo”.
    Que pena!!!
    Portanto não nos cabe outra saída se não a corrida para nosssa qualificação profissional.
    Vlw?!1

  5. Empresa nao sabe perder dinheiro , e faz de tudo pra economizar , quer ter um time grande e pagando pouco , so arruma pereba morto de fome , e aonde esse rapaz morto de fome achar uma vaga que pague ate 20% a mais de onde ele tira ele vai embora mesmo .
    Se gasta mais de 5000 reais pra ter uma certificacao microsoft justamente para ser qualidade no mercado , e vai se sujeitar a ganhar menos de 1000 reais , e tem que ter ingles fluente , carro proprio , notebook proprio , conhecer no minimo 5 linguagens de programacao , escala 12×36 e pelo menos 10 anos de vivencia na area , quem vai querer trabalhar 6 meses assim?

    O apagao de ti esta se aproximando , preparem-se

  6. O problema é o quanto querem pagar… querem pessoas qualificadas pagando misérias… Eu moro em Goiânia, tenho duas graduações e uma especialização, experiência e podem acreditar, não vou conseguir um emprego com um salário superior a 2000,00.

  7. É muito triste ler esse tipo de frase: “[…] em obter mão de obra mais barata para a área”.
    TI é uma área onde o trabalho é basicamente intelectual, onde tradicionalmente a mão de obra tende a ser mais valorizada.
    Para não dizer que uma pessoa necessita de um talento nato para atuar nesse segmento, é necessário que ela dedique-se com muito afinco aos estudos, onde muito dinheiro próprio é investido. Mas ao chegar no mercado de trabalho, seu retorno financeiro não vem, pois, sim, os salários são baixos.
    Outro problema: grande parte das empresas de TI não conseguem estabelecer uma política eficaz de capacitação de seus funcionários. É importantíssimo que elas incentivem tanto a capacitação quanto a, digamos, “reciclagem” (não gosto do termo, mas é naquele sentido de que todos devem, periodicamente, voltar a frequentar salas de aula para relembrar assuntos básicos que, quera ou não, são esquecidos pela falta de uso, mas são importantes de se saber). Mas elas continuam a errar no quesito salário. Então o funcionário recebe melhores propostas salariais de empresas concorrentes e acabam trocando de emprego, às vezes por R$200,00 de diferença.
    A relação de custo de capacitação e retorno sobre o investimento para ingressar na área de TI ainda é um dos fatores para esta crise de mão de obra qualificada.

  8. Tenho pós graduação e não tenho emprego. Quando aparece, é emprego com salario baixo, que nã vale a pena ficar.

    O Brasil realmente não precisa de mão de obra qualificada.

Os comentários estão fechados.