CES 2013: NVIDIA apresenta console portátil de games e chip Tegra 4

As primeiras “atrações” da CES 2013, feira de tecnologia que acontece até o dia 11 de janeiro em Las Vegas, Estados Unidos, já começaram a ser apresentadas. Entre elas estão as surpresas da NVIDIA: nesta segunda-feira (07/01/2013), a companhia anunciou o console portátil de games NVIDIA Project Shield, que por sua vez é baseado no chip Tegra 4, outra novidade.

O dispositivo possui botões digitais e analógicos que o fariam se passar tranquilamente por um joystick de um console atual, como o Xbox 360 ou o PlayStation 3, se não fosse por um detalhe: em sua parte superior, há uma espécie de capa retrátil que, quando aberta, revela uma tela de 5 polegadas sensível ao toque com resolução de 720p. Na prática, é como se fosse um controle de videogame com tela embutida.

Project Shield – Imagem por NVIDIA

Project Shield – Imagem por NVIDIA

Para rodar jogos, não há cartuchos ou mídias ópticas: o Project Shield é baseado na plataforma Android 4.1 (Jelly Bean), portanto, basta ao usuário instalar títulos compatíveis com este sistema. Além do Google Play, é possível obter games disponíveis no Steam e na TegraZone, loja on-line da NVIDIA que oferece jogos otimizados para seus chips.

Mas não para por aí: o console também é compatível com o NVIDIA GRID, outra novidade da companhia. Trata-se, essencialmente, de um serviço de computação nas nuvens que processa jogos remotamente e envia o conteúdo resultante ao dispositivo do usuário.

Como se não bastasse, o NVIDIA Project Shield também pode ser conectado a um PC que tenha placa de vídeo GeForce GTX 650 ou superior e servir de joystick para seus jogos. As imagens podem então ser exibidas na tela do console ou ser repassadas para uma TV, podendo inclusive aproveitar todo o potencial de um modelo capaz de trabalhar com a incrível resolução de 4K.

Para garantir a conectividade, o NVIDIA Project Shield conta com Wi-Fi 802.11n, além de portas microHDMI e microUSB na parte traseira, onde também é possível encontrar um slot para cartões microSD e conector de fones de ouvido. Sua autonomia é atrelada a uma bateria com duração estimada entre 5 e 10 horas, variando de acordo com o que está sendo executado.

Traseira do Project Shield – Imagem por NVIDIA

Traseira do Project Shield – Imagem por NVIDIA

Como já informado, o dispositivo é baseado no também recém-apresentado Tegra 4, chip de 28 nanômetros equipado com quatro núcleos Cortex A15, 72 núcleos GeForce (GPU) e compatibilidade nativa com redes LTE. Segundo a NVIDIA, a novidade é até seis vezes mais potente que o chip anterior, o Tegra 3.

Infelizmente, a NVIDIA não deu qualquer previsão de lançamento ou preço, da mesma forma que não se pronunciou sobre as expectativas de vendas. Mas as chances de que o produto tenha recepção minimamente significativa no mercado são razoáveis, já que se trata de uma ideia que tenta explorar uma plataforma cada vez mais em evidência (Android) e não, necessariamente, ocupar uma posição no restrito mercado de consoles com sistemas fechados.

Mais informações no site shield.nvidia.com.