O fim do Ask.com como buscador

Ask.comSe fosse um filme dramático, o Ask.com cairia no chão, respiraria fundo e, com uma expressão de raiva e dor no rosto, levantaria no último instante para derrotar o inimigo. Mas com a vida real não existe dó nem piedade: nela, o Google é o rei das pesquisas na internet e ainda não há quem possa com ele. O Ask.com entendeu o recado e, finalmente, anunciou a sua saída do mercado de buscas.

O serviço surgiu em 1996 com o nome “Ask Jeeves”. Originalmente, foi criado para ser um site de perguntas e respostas, com o usuário tendo a alternativa de tentar obter esclarecimentos em um mecanismo de busca. A empresa fez relativo sucesso, especialmente nos Estados Unidos, mas algum tempo depois uma companhia chamada Google apareceu e… Bom, você já sabe o que aconteceu.

Apesar do sucesso absoluto do Google, o Ask.com resistiu bravamente ao longo destes anos, tendo lançado inclusive algumas funcionalidades inovadoras em seu serviço de busca, mas não teve jeito: recentemente, a empresa anunciou sua saída deste mercado. Agora, permanecerá centrada justamente em seu serviço de perguntas e respostas, reativado em julho de 2010.

O Ask.com continuará com um mecanismo de busca, mas este não será mais melhorado. A empresa possui uma parceria com o Google para exibir resultados e anúncios deste juntos à sua pesquisa, assim, provavelmente este serviço será 100% “terceirizado” em breve, só não se sabe se com o Google, cujo acordo é válido até 2012, ou se com o faminto de atenção Bing.

Nos últimos anos, o Ask.com se tornou conhecido para muita gente por causa de sua barra para navegadores (toolbar), que é inserida no computador quando o usuário instala determinados aplicativos. Na maioria dos casos, é possível desmarcar essa opção durante a instalação, mas muita gente acaba deixando esse detalhe passar, recebendo uma ingrata surpresa ao abrir o Internet Explorer ou o Firefox.

Eu sempre me perguntei se essa estratégia dá certo, afinal, essa barra causa irritação em muitas pessoas, negativando a marca. Mas, aparentemente, dá resultado sim, pois a empresa deixará de se dedicar às buscas, mas a barra continuará. De qualquer forma, a pior parte é que cerca de 130 funcionários perderão seus empregos. Além disso, veremos uma das mais tradicionais empresas da Web substancialmente enfraquecida. Uma pena.

Referências: The Ask.com Blog, Search Engine Land, Gather.

Emerson Alecrim