Fique atento: perdas com fraudes bancárias aumentaram

MoedasA FEBRABAN (Federação Brasileira dos Bancos) divulgou recentemente a informação de que as perdas com fraudes bancárias em meios eletrônicos aumentaram 36% no primeiro semestre de 2011. Este, é claro, é um assunto que preocupa qualquer pessoa: como se proteger destas fraudes, especialmente nesta época onde é possível fazer transações financeiras a partir de qualquer computador?

De acordo com a FEBRABAN, o prejuízo com fraudes tem, essencialmente, três causas: aumento da quantidade de operações eletrônicas; ausência de uma legislação capaz de coibir ações criminosas neste meio; e falta de cuidado por parte dos usuários.

Quanto a este último ponto, é uma questão difícil de lidar. Se uma pessoa é vítima de golpe por descuido, isso não quer dizer que ela é irresponsável, por isso, não podemos tratar o assunto considerando unicamente o aspecto da culpa. Mas isso não nos exime dos devidos cuidados, já que os transtornos maiores cabem sempre à vítima, mesmo quando ela recupera o seu dinheiro ou é indenizada.

No que se refere às fraudes realizadas a partir da internet, uma das formas mais exploradas para isso são os e-mails falsos (scams). Estas mensagens tentam convencer o usuário a realizar uma determinada – e crucial – ação. A pessoa pode, por exemplo, receber um e-mail em nome do seu banco que pede atualizações cadastrais. Se o usuário não perceber que se trata de uma mensagem falsa, poderá fornecer dados pessoais importantes, inclusive senhas. Aí, meu amigo, é dor de cabeça na certa!

E os criminosos são espertos. Fazem com que a mensagem falsa tenha uma aparência que lembra o padrão visual do banco e usam argumentos dos mais variados tipos. Conheço uma pessoa que acreditou em um e-mail do tipo e não só forneceu seus dados pessoais, como também digitou todos os campos da tabela de senhas que tinha recebido do banco. Só ficou sabendo que fora vítima de golpe ao se deparar com a sua conta bancária esvaziada.

Portanto, o recado não poderia ser mais claro: tome cuidado com e-mails que pedem para você atualizar dados, que avisam que você tem um pagamento pendente, que declaram que você está com o seu nome cadastrado no SERASA, que indicam que o arquivo anexo é uma intimação judicial, enfim. Na dúvida, não realize nenhuma ação e entre em contato com a instituição mencionada na mensagem.

Outro cuidado essencial: evite ao máximo acessar a sua conta a partir de computadores públicos (lan house, hotel, faculdade, etc). E, no seu computador particular, também é importantíssimo utilizar um navegador atual, afinal, softwares antigos podem ter falhas de segurança e não contar com determinados recursos de proteção. Utilizar um antivírus também é uma boa pedida.

Há mais cuidados nestas dicas de segurança. No entanto, uma medida que considero importante e que pouca gente coloca em prática consiste em acompanhar constantemente a sua conta bancária, de preferência, pelo menos uma vez por dia. Isso porque os bancos também podem ter falhas de segurança, embora a FEBRABAN tenha afirmado em sua nota que, durante o primeiro semestre de 2011, “não houve registro de invasão ou fraude eletrônica a partir dos sistemas internos dos bancos”.

Graças ao fato de acompanhar quase que diariamente a minha conta que descobri, em maio deste ano, que eu havia sido vítima de fraude bancária, apesar de todos os cuidados que tomo. Recebo todos os dias um extrato da minha conta por e-mail e, em um deles, havia o registro de um saque de que eu não havia realizado. Graças à mensagem, entrei em contato com o banco a tempo de evitar prejuízos maiores.

Além de receber, diariamente, um extrato por e-mail, também cadastrei meu telefone celular no banco para ser avisado por SMS de qualquer movimentação na minha conta. Só que, no meu caso, o criminoso também alterou o número do celular (procedimento que só pode ter sido realizado dentro do banco, razão pela qual discordo da última informação da FEBRABAN que destaquei), fazendo com que eu não fosse avisado do saque por SMS.

Perceba que se eu não acompanhasse minha conta quase todos os dias, o criminoso poderia ter realizado mais saques. Por isso, é uma boa ideia conversar com o seu gerente ou com a central de atendimento do banco para saber os recursos de acompanhamento que a instituição oferece. Pelo o que eu pude apurar, SMS e extratos por e-mail são gratuitos na maioria dos bancos.

Se, apesar de todas as precauções, você for vítima de fraude bancária, informe imediatamente o banco e registre um Boletim de Ocorrência. No meu caso, como ficou claro que não houve falha da minha parte, a instituição bancária cobriu o prejuízo que eu tive, mas há casos em que o cliente teve que recorrer à Justiça, portanto, tomar cuidado nunca é demais.

Referência: FEBRABAN.

Emerson Alecrim