Bye, bye AOL Brasil!

Virar o provedor número 1 no Brasil, essa era a intenção da AOL (America On Line) quando chegou por aqui. Esse otimismo todo não era exagero, afinal, a AOL é uma das maiores forças da internet nos EUA. Mas é um erro pensar que só porque um negócio deu certo nas terras americanas, dará certo por aqui também.

A AOL Brasil começou a funcionar em 1999, usando a estratégia de marketing da matriz: a distribuição de disquetes e CDs que permitia instalar um navegador próprio no computador do usuário, além de um período gratuito de acesso à internet. O erro começou aí.

Se nos EUA os usuários da AOL estavam satisfeitos com os softwares da empresa, aqui a coisa foi bastante diferente: pouca gente aceitava ficar restrito a um único conjunto de softwares para navegar na internet. A coisa ficou pior quando se descobriu a dificuldade que era desinstalar o navegador da empresa.

O outro erro foi “encher o saco”. Você comprava uma revista e, de brinde, ganhava um CD da AOL. Você recebia pelos Correios um CD da empresa todo mês. Você comprava um CD de música e nele vinha um navegador gratuito da AOL. Essa coisa dos CDs incomodava tanto (não era só no Brasil) que, se me lembro bem, um episódio do desenho Futurama mostrou um meteoro vindo de encontro com a Terra e, quando foram analisar o problema, descobriram que se tratava de uma enorme bola de CDs da AOL que foi enviada ao espaço por não caber na Terra.

E AOL seguiu, tentando “americanizar” a internet brasileira, enquanto UOL e Terra cresciam a cada dia. Quando a empresa resolveu “abrir os olhos”, tentou trabalhar “à moda brasileira”, mas os esforços, desde então, foram em vão.

Diante da seqüência de prejuízos, os investidores da AOL decidiram manter a mão no bolso e, com isso, nem mesmo a matriz poderia fazer algo. A última tentativa foi a de vender as operações da AOL Brasil, mas as ofertas feitas pouco agradaram. Segundo a revista Isto É de 30/03/2005, a Telefônica chegou a avaliar a empresa em apenas 10 milhões de reais.

Não teve jeito. A AOL Brasil marcou para hoje (17/03/2006) o encerramento de suas atividades. Aos clientes da empresa foi recomendado o provedor Terra, que está oferecendo vantagens para quem optar pela migração.

Pois é. Um minuto de silêncio pela AOL Brasil, em respeito ao seu jeito certo de fazer a coisa errada.

Emerson Alecrim