Antivírus para agradar jogadores?

Ilustração de desempenhoDeve ter duas ou três semanas que eu estava em casa, belo e tranqüilo (ok, só tranqüilo), jogando Race 07. Estava prestes a fazer a minha volta mais rápida no circuito de Curitiba, quando o computador deu seguidos e curtos travamentos que me fizeram passar reto numa curva. Tudo por causa do antivírus que insistiu em exibir uma pequena janela para avisar de uma atualização. Irritado, decidi desinstalá-lo, já que ele nunca me tinha sido útil de verdade…

Só que esse caso era um problema mais simples de se resolver. Bastava desativar os avisos automáticos do programa. No entanto, há antivírus por aí que conseguem prejudicar o desempenho até de computadores de configuração mais recente, obrigando o usuário a alterar suas opções para utilizar apenas os recursos que são realmente úteis, embora nem sempre isso funcione.

Hoje, soube do lançamento do antivírus Norton AntiVirus 2009 Gaming Edition. Sim, isso mesmo, uma edição feita para jogadores. É, eu também me perguntei “como assim?”, mas logo descobri que se trata apenas de uma versão que otimiza sua execução para não atrapalhar o desempenho de um jogo ou para não interromper o jogador quando ele está prestes a vencer o chefe daquela fase.

Aparentemente, a Symantec está preocupada com os usuários que se sentem frustrados com o desempenho de seus PCs durante os jogos e descobrem que a desinstalação do antivírus resolve o problema. Aí a empresa resolveu lançar uma edição para dizer aos gamers: “olha, nosso antivírus não atrapalha a sua jogatina”.

Ok, a idéia não deixa de ser boa, mas se um usuário utiliza seu computador para trabalhar no Photoshop, por exemplo, ele deverá então esperar pelo lançamento da “Photoshoping Edition”? Sabe, o que estou querendo dizer é que, se é possível lançar uma versão otimizada para não prejudicar jogos, não seria melhor lançar logo uma versão que não prejudique o desempenho de qualquer aplicação? Seria isso uma prova de que falta boa vontade por parte dos desenvolvedores de antivírus para que seus programas consumam menos recursos? Ou, no final das contas, a tal versão “Gaming Edition” não passa mesmo de uma bela jogada de marketing?

Se for, não sei se a idéia é tão boa assim. Jogadores assíduos geralmente são usuários avançados e parte deles se vira bem sem qualquer antivírus em seu computador. Logo, eles serão os primeiros a olhar com desconfiança para idéias desse tipo. Bom, pelo menos assim eu espero…

Emerson Alecrim