Projetores de vídeo: principais características

Introdução

Os projetores de vídeo permitem a exibição da tela do computador (ou de outro dispositivo) de maneira ampliada em uma parede ou em um telão apropriado. Dessa forma, é possível a todos os presentes no ambiente assistir apresentações de slides, seqüências de fotos, vídeos, etc. Por ser um aparelho tão útil, os projetores são facilmente encontrados em empresas, escolas e universidades para reuniões, apresentação de trabalhos acadêmicos, entre outros.

Por ser um dispositivo útil, mas também caro, o InfoWester mostra a seguir as principais características dos projetores de vídeo, de forma que você saiba o suficiente sobre esses aparelhos na hora de comprá-los.


Principais características dos projetores de vídeo

Luminosidade (brilho)

Um projetor de vídeo (também chamado de data-show) utiliza um canhão luminoso para exibir as imagens oriundas de um computador (ou de outro dispositivo que gera imagens) em uma parede ou em um telão. Para que as imagens exibidas não fiquem apagadas ou difíceis de serem vistas em ambientes razoavelmente iluminados, é necessário que se tenha uma boa taxa de luminosidade.

Por ser padronizada pela ANSI (American National Standards Institute), a avaliação dessa característica é feita através de uma medida denominada "ANSI lumens". Evidentemente, quanto maior essa taxa em um projetor, maior será a luminosidade de seu canhão de luz.

Para obter uma imagem com uma nitidez satisfatória, mesmo em ambientes muito espaçosos (um salão de festa, por exemplo), é recomendável usar um data-show que tenha 1.500 ANSI lumens ou mais. Essa condição é especialmente válida quando se deseja ter o máximo possível de ampliação da imagem exibida.

Em ambientes pequenos, como uma sala de reuniões ou uma sala de aula, pode-se usar, confortavelmente, um projeto que tenha entre 1.000 e 1.500 ANSI lumens.

Note que, junto com a luminosidade, é recomendável checar se o aparelho tem uma boa taxa de contraste. Quanto maior essa taxa, melhor. Prefira projetores que tenham, pelo menos, contraste de 500:1.

Resolução

Assim como nos monitores de vídeo, a resolução de um projetor pode influenciar na qualidade da imagem. Quanto maior a resolução, melhor é a definição de certos objetos exibidos.

Para apresentações de slides usando softwares como o PowerPoint ou o Impress, por exemplo, uma resolução de 800x600 é suficiente para a maioria dos casos. Já para imagens que exibem muitos detalhes, como uma tabela contendo muitos valores ou mapas com muitas informações, uma resolução de 1024x768 se mostra mais adequada. Uma resolução maior que isso só é recomendada quando há muita informação sendo exibida, como a planta de um prédio, por exemplo.

Para obter melhores resultados de imagem, experimente deixar a resolução da placa de vídeo do computador no mesmo valor da resolução do projetor.

Tamanho da imagem

O tamanho da tela ideal para uma projeção depende do tamanho do ambiente. Quanto maior o local, maior deve ser o tamanho da imagem, para que as pessoas localizadas ao fundo não tenham dificuldades na visualização.

Uma forma de ajustar essa característica é aumentando ou diminuindo a distância do data-show da parede ou do telão. Conforme mostra a imagem abaixo, quanto mais distante estiver o aparelho, maior o tamanho da imagem.

Relação distância x tamanho da imagem

É importante frisar, no entanto, que a luminosidade diminui à medida que o projetor fica mais longe da área de exibição. Se o contrário for feito, a imagem fica com mais brilho. Por essa razão, os projetores geralmente indicam em seus manuais as distâncias máximas e mínimas com as quais trabalham.

Praticamente todos os projetores contam com um botão que permite regular a ampliação da imagem, além de outro que permite ajustar o foco, já que este muda quando há alteração no tamanho da imagem.

Lâmpada

Os projetores de vídeo duram bastante se bem cuidados, mas a lâmpada da fonte luminosa costuma durar menos. Por esse motivo, é recomendável adquirir aparelhos de marcas que oferecem uma rede de assistência técnica razoável para que seja possível encontrar lâmpadas substitutas e, quando necessário, outras peças de reposição.

Para aumentar o tempo de vida útil da lâmpada, siga rigorosamente as recomendações que o fabricante disponibiliza no manual do aparelho. De maneira geral, os seguintes cuidados ajudam (e servem para proteger o projetor como um todo):

- Posicione bem o aparelho para evitar que ele caia, e tenha cuidado ao transportá-lo;
- Espere o aparelho esfriar antes de guardá-lo em sua maleta;
- Evite ligar e desligar o projetor muito rapidamente.

As lâmpadas de projetores mais antigos suportavam de 300 a 500 horas de utilização. Hoje, é possível encontrar lâmpadas que duram, pelo menos, três mil horas.

Tecnologias

As tecnologias mais comuns existentes (até a data de publicação deste artigo) para projetores são: DLP, LCD e LCOS. Todas são apresentadas rapidamente a seguir:

DLP (Digital Light Processing)

A tecnologia DLP utiliza um chip chamado DMD (Digital Micromirror Device) que contém milhares de espelhos microscópicos que controlam o estado de cada pixel da imagem. Esses espelhos são ativados e desativados rapidamente para a geração da imagem. Quando um conjunto de espelhos fica em estado "off" (desligado), por exemplo, os pixels representados por esse conjunto ficam escuros.

Os projetores DLP mais atuais utilizam três chips DMD para gerenciar as cores geradas, sendo que cada um controla uma das seguintes cores: vermelho, verde e azul. Um prisma é utilizado para as imagens que requerem uma mistura de cores.

Por sua vez, os aparelhos mais simples fazem uso de apenas um chip, e o controle das cores é feito por um disco que contém as cores mencionadas e uma área em branco que serve para gerenciar o brilho. Esse disco gira de forma sincronizada aos movimentos dos espelhos do DMD para exibir a cor correta.

Esquema: projetores DLP de um chip

Se optar por um projetor DLP, prefira os modelos que trabalham com três chips, pois além de serem mais sofisticados, são capazes de exibir mais cores.

LCD (Liquid Crystal Display)

Os projetores que utilizam a tecnologia LCD têm funcionamento parecido aos projetores que usam o padrão DLP, com que a diferença de que, ao invés de usarem uma matriz de espelhos microscópicos para tratar da passagem de luz, utilizam painéis de cristal líquido cujos componentes sãos ativados/desativos por meio de cargas elétricas.

Na verdade, essa tecnologia costuma receber o nome de 3LCD quando aplicada nos projetores, já que geralmente utiliza um painel de LCD para cada cor do esquema RGB (Red, Green, Blue - vermelho, verde e azul). Um prisma é utilizado para as imagens que requerem uma mistura de cores.

Geralmente, utiliza-se uma tecnologia LCD denominada HTPS (High Temperature Poly-Silicon), tipo caracterizado por ser altamente confiável e capaz de trabalhar com imagens grandes e alto contraste, mesmo quando constituído de painéis pequenos.

LCOS (Liquid Crystal on Silicon)

A tecnologia LCOS utiliza uma matriz de cristal líquido para representar os pixels da imagem. Essa matriz é posicionada sobre uma camada de espelhos reflexivos, que fica fixa na superfície de um chip (aqui também é possível usar uma combinação de três chips, um para cada cor do esquema RGB). Na geração da imagem, a luz é emitida do espelho para a matriz de cristal líquido. Cargas elétricas atuam nesses cristais, ativando-os (ou desativando-os) para permitir a passagem da luz para a lente de projeção.

É possível notar que o LCOS é uma espécie de mistura das tecnologias DLP e LCD. O principal entrave desse tipo de projetor é o preço. Por serem de fabricação mais complexa e por serem capazes de trabalhar com imagens grandes sem perder a qualidade, os dispositivos LCOS são os mais caros do mercado.

Recursos extras

Projetores SonyUma outra característica importante a ser observada nos projetores é sua quantidade de conectores. A variedade permite conectar o data-show a uma gama maior de aparelhos. As entradas mais comuns são: VGA, S-Video e RCA. Com a popularização das placas de vídeo com DVI, provavelmente será comum encontrar projetores com esse tipo de conector. Saiba mais sobre conectores de vídeo aqui.

Também é comum encontrar projetores de vídeo acompanhados de controles remotos. Esse tipo de dispositivo é útil em várias situações, por exemplo, quando é necessário configurar um projetor que fica preso em um suporte no teto ou quando é necessário ocultar um slide em um dado momento.

Alguns projetores contam com auto-falantes simples, mas esse já não é um recurso tão importante assim, visto que a qualidade do áudio e o volume costumam não ser altos. Em todo caso, os auto-falantes podem "quebrar um galho" nas situações em que, por algum motivo, não há caixas de som para serem usadas.

Se você deseja utilizar um projetor para a exibição de vídeos, considere adquirir um modelo que tenha recursos que otimizam a exibição de imagens desse tipo de aplicação.

Finalizando

Um projetor de vídeo é um aparelho de preço alto, muitas vezes, mais caro que notebooks, por exemplo. Por isso, é importante observar as características mencionadas e analisar quais são mais importantes para o seu caso.

Em relação à tecnologia (DLP, LCD ou LCOS), a escolha já não é tão fácil. Se você quer algo mais sofisticado, certamente os projetores com LCOS são os mais indicados, mas também são os mais caros. Os projetores DLP e LCD tinham algumas desvantagens: a visualização de múltiplas cores em determinadas imagens (efeito arco-íris) e um efeito de "grades" causada pela separação dos pixels, respectivamente. Mas, hoje em dia, esses problemas já são praticamente imperceptíveis, portanto, é um erro considerar que as tecnologias DLP e LCD estão obsoletas.

No mais, o InfoWester espera que este artigo lhe ajude a escolher o melhor projetor para as suas necessidades.




Escrito por - Publicado em 27_02_2007 - Atualizado em 27_02_2007