Projeto Google+: a nova rede social do maior buscador do mundo

Pegando todo mundo de surpresa, o Google anunciou na tarde de hoje (28/06/2011) o projeto Google+. No texto de apresentação, percebe-se que a empresa tomou cuidado para evitar comparações com outros serviços, mas não há como não pensar que a novidade é uma resposta, tardia ou não, ao Facebook.

Legal! Bora lá experimentar o Google+ para ver se presta? Bom, somos obrigados a ir com calma, já que novamente o Google adotou o esquema de convites. De qualquer forma, a empresa já adiantou as principais funcionalidades do serviço:

  • +Circles: uma ferramenta para que o usuário possa compartilhar informações, com o diferencial de fazer isso com um circulo de contatos que a pessoa determinar;
  • +Sparks: sabe quando visualizamos fotos ou vídeos compartilhados pelos nossos amigos no Facebook? O +Sparks é parecido. Nele, o usuário pode acessar informações sobre os mais variados assuntos que estão sendo compartilhados por outros participantes;
  • +Hangouts: esta é uma ferramenta para que o usuário possa conversar com outras pessoas por videoconferência. A pessoa fica on-line, visualiza outros contatos na mesma condição e escolhe um ou mais deles para iniciar um bate-papo por vídeo;
  • +Mobile: é a versão do Google+ para dispositivos móveis. Inicialmente, somente o Android poderá contar com a novidade, mas o Google prometeu também uma versão para iOS (iPhone e afins);
  • +Instant Upload: uma ferramenta que faz o upload automático de fotos tiradas pelo celular. Assim, o usuário pode divulgá-las assim que gerá-las;
  • Huddle: é assim mesmo, sem o ‘+’ na frente. Trata-se de uma ferramenta para troca de mensagens em grupo. Pelo o que eu entendi, a pessoa envia uma mensagem a um determinado círculo de amigos e todos os participantes deste a recebem, podendo também interagir. Sim, lembra um pouco o Twitter.

A dúvida que fica no ar é: o Google+ será capaz de fazer frente ao Facebook ou será como o Google Wave, que só fez barulho? Sem o dom de prever o futuro, ninguém pode responder, mas eu aposto no sucesso do serviço. Talvez não a ponto de conseguir incomodar o Facebook ou o Twitter, por exemplo, mas acredito que o Google+ poderá ter um número expressivo de usuários.

Primeiro porque o Google teve tempo para aprender com os erros do passado. Segundo porque, apesar de não se tratar de algo revolucionário, as ferramentas do Google+ me pareceram interessantes. Terceiro porque, se a companhia conseguir fazer o Google+ tão fácil de usar quanto o Gmail, por exemplo, já terá um diferencial em mãos. De qualquer forma, o jeito é esperar para ver.

Ah, e antes que essa novidade faça os boatos sobre o fim do orkut reaparecerem, o próprio Google já tratou de deixar claro que a rede social mais conhecida do Brasil será mantida e poderá inclusive contar com integração com o Google+.

Mais informações sobre o serviço em plus.google.com. Para conseguir um convite para participar, você tem duas opções: se inscrever nesta página e aguardar ou contar a com generosidade de um amigo que já utiliza o Google+.

Emerson Alecrim