TV por assinatura pode ter limites para comerciais

Imagem ilustrativa de controle remotoAo contratar TV por assinatura, geralmente o consumidor o faz para contar não só com mais opções de canais, mas também para não ser “bombardeado” com tanta publicidade. Mas o fato é que intervalos comerciais e até mesmo programas inteiros com fins publicitários estão cada vez mais frequentes na TV paga. Mas isso pode mudar.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) iniciou uma consulta pública para obter sugestões para uma atualização na regulamentação que trata dos serviços de TV por assinatura, sendo que um dos aspectos considerados é justamente o da exibição de publicidade neste tipo de serviço.

De acordo com João Rezende, relator da consulta pública, a Anatel recebeu mais de 11 mil reclamações referentes à programação da TV paga. Uma das queixas mais frequentes se refere à quantidade de intervalos comerciais exibidos nos canais. “Uma veiculação elevada, desproporcional e ilimitada de propaganda e publicidade pode descaracterizar o serviço de TV a cabo, que já se remunera pela assinatura mensal paga pelo assinante”, aponta Rezende.

Uma das propostas levantadas é a de que os canais pagos tenham, no máximo 25% de sua programação destinada à publicidade. Atualmente não há limite algum. No entanto, para Alexandre Annenberg, presidente da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA), a Anatel não deveria lidar com essa questão e sim deixar que a concorrência entre canais seja um fator limitador: “a TV paga permite ao espectador escolher os canais que mais lhe agradam. O controle remoto é uma arma para que ele possa escolher determinado canal e se acha que a publicidade está exorbitante, ele muda para outro”.

Mais informações sobre a consulta pública em questão no site da Anatel.

Referência: Agência Brasil.

Um comentário em “TV por assinatura pode ter limites para comerciais”

  1. É por essas e outras que a internet vai substituir a TV (aberta e à cabo); do mesmo jeito que a TV substituiu o rádio.

Os comentários estão fechados.