Sistema antipirataria da Ubisoft falha e barra jogadores “legais”; empresa fala em ataque

Que tal pagar por um game e, mesmo assim, não ter direito a jogá-lo? Pois foi o que aconteceu recentemente com os títulos Assassin’s Creed II e Silent Hunter 5, da Ubisoft. A empresa passou a utilizar um sistema de DRM (Digital Rights Management), isto é, um mecanismo antipirataria, que exige que o usuário fique conectado constantemente à internet para comprovar a originalidade do jogo. Mas essa proteção falhou…

Aparentemente, os servidores de DRM ficaram sobrecarregados, impedindo os usuários de autenticar suas cópias legais. Não deu outra: mesmo pagando, muitos ficaram sem jogar ou não conseguiram salvar seu progresso no game. O mais irônico nessa história toda é que a falha não barrou jogadores que utilizam cópias ilegais. O problema durou mais de 10 horas.

Imagem de Assassin's Creed II
Assassin’s Creed II – Imagem por Ubisoft

Foi um tiro no pé. Quando a Ubisoft anunciou esse sistema antipirataria, recebeu inúmeras críticas, afinal de contas, problemas na conexão podem fazer com que uma pessoa fique temporariamente sem acesso à internet e, além disso, nada impede que os servidores da empresa também passem algum tempo fora do ar. E foi justamente o que aconteceu.

Em sua defesa, a Ubisoft informou que o problema de sobrecarga foi causado por um ataque de negação de serviço e que apenas 5% dos usuários “legais” foram afetados pela falha.

Referência: Eurogamer.