Novo ranking “verde” do Greenpeace coloca Nintendo, Microsoft e Toshiba nas piores posições

Nokia e Sony Ericsson permanecem como as mais ecologicamente corretas

O Greenpeace disponibilizou a mais recente versão de seu ranking das empresas de tecnologia mais e menos “verdes”. Repetindo o desempenho das medições passadas, Nokia e Sony Ericsson permanecem como as companhias mais ecologicamente corretas, com pontuação de 7,5 e 6,9, respectivamente, em um índice que vai de 0 a 10.

No outro lado do ranking, que indica as empresas que mais estão em desacordo com as boas práticas ambientais, a japonesa Nintendo é a que mais se destacou, com pontuação de apenas 1,8, mantendo a posição que sempre teve desde que o ranking foi criado. Logo atrás aparecem Microsoft e Toshiba, com 1,9 e 2,3 pontos, respectivamente.

Ranking “verde” do Greenpeace - edição de outubro de 2010

Ranking “verde” do Greenpeace

No caso da Nintendo, o que prejudica tanto a posição da empresa é a insistente utilização de PVC em seus produtos, a emissão de gases tóxicos e a falta de clareza no que diz respeito à eliminação de resíduos nocivos.  O Greenpeace reconheceu que a companhia está se esforçando para eliminar o uso de PVC, por outro lado, declarou que a empresa não forneceu um cronograma que indique o progresso desse trabalho.

Problema semelhante ocorre em relação à Microsoft. O Greenpeace aponta retrocesso na eliminação progressiva de materiais como PVC e BFRs, além de falta de apoio à Diretiva RoHS (Restriction of Certain Hazardous Substances), que tem o intuito de diminuir a utilização de substâncias prejudiciais em aparelhos eletrônicos.

No caso da Toshiba, novamente pesa a questão do PVC, mas há outro fator comprometedor: a empresa não informou ao mercado e ao Greenpeace que não conseguiria cumprir o cronograma de eliminação de produtos nocivos que havia fornecido, tampouco se prontificou a fornecer um novo.

O relatório completo do Greenpeace está disponível aqui (em inglês e em formato PDF).