Ministro das Comunicações quer que Anatel apure pane no Speedy

Imagem de modemNa tarde de ontem, usuários do Speedy, serviço de banda larga oferecido pela Telefônica no estado de São Paulo, ficaram sem acesso à internet por cerca de uma hora. Dado o histórico de falhas que o Speedy possui, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, criticou duramente o ocorrido:

"Eu vi (a pane) e acho lamentável, até porque eles [a Telefônica] já tiveram problemas graves em 2010. Esse tipo de pane ocorre, mas a empresa precisa criar rotas alternativas, criar formas de ter imediato ressarcimento".

Na opinião do ministro, o caso deve ser tratado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), pois apesar de a pane não ter durado muito tempo, o intervalo sem serviço “é uma eternidade” quando o assunto é internet. Por conta disso, Paulo Bernardo disse que irá conversar com Ronaldo Sardenberg, presidente da Anatel, sobre a falha.

Se a Anatel tomar alguma decisão de caráter punitivo em relação ao problema, não o fará pela primeira vez. Em junho de 2009, a entidade havia determinado a suspensão de novas assinaturas do Speedy devido às constantes falhas do serviço até então. Em agosto do mesmo ano, a venda de assinaturas foi liberada após a Telefônica colocar em prática uma série de medidas para melhorar a estrutura da rede do Speedy e dar ao serviço a qualidade mínima necessária.

Referência: Estadão.