Microsoft desiste das exigências polêmicas do Xbox One

Depois de se deparar com inúmeras queixas e com a concorrente Sony anunciando uma série de “benefícios” do PlayStation 4, a Microsoft decidiu dar um passo para trás para evitar que o Xbox One se torne um fracasso antes mesmo de ser lançado: a companhia confirmou recentemente ter desistido das exigências mais criticadas em relação ao console.

Xbox One – Imagem por Microsoft

Xbox One – Imagem por Microsoft

Para começar, o Xbox One não exigirá mais que o usuário conecte o console à internet pelo menos uma vez a cada 24 horas para funcionar. Esta exigência foi a solução encontrada pela Microsoft para verificar se o usuário está utilizando jogos devidamente licenciados ou se há atualizações de software a serem instaladas, por exemplo. O problema é que, se o usuário quisesse levar o console para um lugar sem acesso à internet – uma chácara durante um final de semana, por exemplo –, não poderia usufruir de um produto que pagou para ter.

Outra desistência diz respeito ao empréstimo ou à revenda de jogos. A Microsoft tinha decidido permití-lo, mas mediante uma série de restrições. Este aspecto foi tão criticado que a Sony até criou um vídeo para “cutucar” a turma do Xbox:

A Microsoft voltou atrás e confirmou que não irá mais colocar restrições para empréstimo ou revenda de jogos. Neste sentido, o bloqueio regional, que impede uma cópia de jogo disponibilizada para o mercado japonês de rodar na América Latina, por exemplo, também foi descartado.

Com estas medidas, o Xbox One aumenta seu equilíbrio em relação ao PlayStation 4. Mas é bastante provável que esta disputa fique ainda mais equilibrada no final do ano, quando ambos os consoles serão lançados: é de se esperar uma “guerra” de preços e um número maior de jogos exclusivos para cada plataforma, por exemplo.

Referência: Xbox Wire.