Estudo indica que falar via celular ao dirigir é perigoso mesmo com ambas as mãos no volante

Usar o celular ao dirigir é perigoso e contra a lei. Cientes disso, muitos motoristas utilizam “viva-voz” ou alguma solução semelhante (como o Siri, para iPhone) para atender e realizar chamadas mantendo ambas as mãos no volante. O problema é que esta prática pode ser tão perigosa quanto levar o aparelho ao ouvido e continuar conduzindo o veículo.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Texas A&M Transportation Institute (TTI), nos Estados Unidos, soluções de viva-voz permitem, de fato, que o condutor mantenha as mãos no volante, mas mesmo não desviando o olhar do trânsito, sua atenção fica tão diminuída quanto levar o celular à orelha com uma das mãos.

Celular e direção - Imagem original por TTI

Imagem original por TTI

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores realizaram diversos testes com 43 motoristas. Todos tiveram que, numa primeira etapa, digitar um texto no celular enquanto dirigia e, posteriormente, realizar a mesma tarefa, mas ditando as palavras para um sistema de reconhecimento de voz.

O resultado foi preocupante: mesmo mantendo ambas as mãos no volantes, o tempo de reação a ocorrências no trânsito se mostrou igualmente mais lento nas duas situações. Isso significa, segundo a entidade, que independente de aproximar o aparelho do ouvido ou não, usar o celular diminui significantemente as chances de o motorista desviar a tempo de um carro parado na pista ou de um pedestre atravessando a rua, por exemplo.

Diante desta constatação, medidas como parar o carro (se possível) para atender o telefone ou retornar a ligação posteriormente continuam sendo as melhores alternativas.

Referências: CBS News, TTI.