Decisão da Google pode levar ao encerramento das operações da empresa na China

David Drummond, Diretor Jurídico da Google, publicou uma nota ontem para dar um importante aviso sobre a atuação da empresa na China: todos os filtros de censura existentes no Google.cn serão removidos. Como essa é uma condição imposta pelo governo chinês para o funcionamento do serviço, a decisão pode resultar no encerramento das operações da Google no país.

De acordo com a nota, em meados de dezembro de 2009, os servidores da Google sofreram ataques sofisticados provenientes da China que resultaram na captura de dados sigilosos da empresa. Especialistas da companhia investigaram os ataques e descobriram que pelo menos vinte outras firmas de diversos ramos de atividade também foram vitimadas.

Mas o pior ainda estava por vir: a investigação tornou evidente que os ataques tinham como alvo contas do Gmail de ativistas de direitos humanos nos Estados Unidos, na Europa e, claro, na China. De acordo com a Google, apenas duas contas foram parcialmente acessadas, sem que mensagens de seus respectivos usuários tenham sido capturadas. Na verdade, outras contas também foram acessadas indevidamente, mas nestes casos a interceptação dos dados ocorreu por malwares instalados nos computadores dos usuários e não por ataques diretos aos servidores do Gmail.

Diante dessa situação, a Google tomou a corajosa decisão de “enfrentar” o governo chinês ao retirar os filtros do Google.cn:

Esses ataques e o número de pessoas que foram afetadas, assim como as novas iniciativas para limitar a liberdade de expressão na Web, nos levaram a concluir que devemos reconsiderar a viabilidade de nossas operações na China.

Decidimos que já não estamos mais dispostos a continuar aplicando censura em nossos resultados de buscas no Google.cn. Por conta disso, nas próximas semanas estaremos discutindo com o governo chinês a possibilidade de operarmos um motor de busca sem filtros [na China], com base na lei. Reconhecemos que isso pode significar a necessidade de fechar o Google.cn e todas as nossas operações na China.

O governo dos Estados Unidos já se manifestou sobre o assunto: por meio de Hillary Clinton, Secretária de Estado, declarou que exigirá explicações da China referentes aos ataques.

Defensores da liberdade de expressão manifestaram concordância com a decisão da Google, mas reconheceram que as chances de o governo chinês concordar com a empresa são extremamente pequenas, daí a possibilidade de fechamento. Cientes disso, vários chineses depositaram flores, cartazes e bilhetes com mensagens de despedidas na frente da sede da companhia, em Pequim, como forma de apoio.

Referências: Official Google Blog, BusinessWeek, WSJ.com.