Cientistas afirmam: quantidade de dados do mundo ainda é pequena

Ilustração de dadosJá parou para pensar na quantidade  de dados que há no mundo? Milhares e milhares de websites, bancos de dados sobre imposto de renda, centenas de mensagens SMS sendo trocadas a cada segundo, vídeos e fotos em alta resolução, enfim. São dados demais, não é mesmo? Por incrível que pareça, não, segundo os pesquisadores Martin Hilbert e Priscila López, da Universidade do Sul da Califórnia.

De acordo com um artigo publicado pela dupla na revista Science, o mundo está longe de alcançar seu limite de armazenamento de dados, tecnologicamente falando. Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores consideraram tecnologias analógicas e digitais disponíveis entre os anos de 1986 e 2007 para armazenamento, processamento e transmissão de informações.

No que se refere ao ano de 2007, a humanidade era capaz de de lidar com 295 exabytes de dados. É muita informação, de fato, mas é menos de 1% dos dados armazenados em todas as moléculas de DNA de um ser humano, por exemplo. Ainda sobre 2007, eis outras constatações interessantes:

  • 1,9 zetabytes de dados foram enviados por meios de transmissão como TV e GPS;
  • 65 exabytes foram enviados em sistemas bidirecionais, como telefones;
  • Juntos, todos os computadores do mundo foram responsáveis pelo processamento de 6,4×1018 instruções por segundo.

Segundo Martin Hilbert , “são números impressionantes, mas ainda minúsculos quando comparados com a ordem de magnitude na qual a natureza lida com informações. Entretanto, enquanto o mundo natural é fascinante em sua dimensão, ele permanece relativamente constante. Por outro lado, as capacidades tecnológicas de processamento da informação no mundo crescem em valores exponenciais”.

Saiba aqui o significado de zetabyte, exabyte e outras medidas.

Referência: Agência FAPESP.