Ataques a sites do governo brasileiro continuam

Depois dos sites www.brasil.gov.br e www.presidencia.gov.br ficarem inacessíveis por ataques atribuídos ao grupo LulzSecBrazil, outros endereços ligados a serviços do governo brasileiro foram vítimas de ações do tipo.

A exemplo do que aconteceu nos primeiros ataques, os sites do Ministério dos Esporte, da Secretaria de Imprensa da Presidência da República e do Senado ficaram inacessíveis durante parte desta quinta-feira (23/06/2011). As páginas da Petrobras e da Receita Federal também sofreram ataques recentemente.

Além destas ações, o grupo LulzSecBrazil assumiu a autoria pela divulgação de supostos dados de Gilberto Kassab, prefeito da cidade de São Paulo, e da presidente Dilma Rousself.

Na manhã de hoje (24/06/2011), o site do IBGE foi a mais recente vítima, mas com maior gravidade: a página principal passou a exibir informações inseridas pelos invasores, que fizeram questão de frisar que não são ligados ao grupo LulzSecBrazil. Pouco tempo depois, o site foi tirado do ar.

No que se refere ao LulzSecBrazil, o grupo se mostra como uma “divisão” brasileira do grupo hacker LulzSec, que vem ganhando a atenção dos noticiários do mundo todo nos últimos dias por efetuar ataques a sites de empresas, como a Sony, e organizações governamentais, como a CIA, nos Estados Unidos.

De fato, ataques do tipo estão sendo efetuados em vários países. Além de Estados Unidos e Brasil, há registros de ações no Chile, na Coreia do Sul e no Egito, por exemplo. A maioria é atribuída aos grupos LulzSec e Anonymous.

Pelo Twitter, o grupo LulzSecBrazil deixou claro que os ataques continuarão. Uma das próximas vítimas pode ser o site Globo.com.