12 dicas para a compra de um notebook

Introdução

Comprar um notebook (laptop) frequentemente é uma tarefa desafiadora. Um modelo barato demais pode acabar não dando conta daquilo que você precisa. Por outro lado, um computador caro pode fazer você gastar dinheiro à toa. Uma opção intermediária parece ser a escolha mais inteligente, mas nem sempre isso é verdade.

Para escolher o notebook mais adequado às suas necessidades, é importante que você analise as principais características de cada modelo avaliado. Mas como fazer isso? Nas próximas linhas, você conferirá 12 dicas que te ajudarão a escolher um laptop. Vamos lá?

1. Memória RAM
2. Processador
3. Bateria
4. Armazenamento: HD e SSD
5. Tela
6. Chip gráfico (GPU)
7. Touchpad
8. Teclado
9. Portas USB, porta HDMI e outras conexões
10. Sistema operacional
11. Webcam, leitor de impressões digitais e outras características
12. Marca do notebook

1. Memória RAM

Memória RAM: em geral, quanto mais o seu computador tem, melhor. O problema é quando a quantidade de RAM é insuficiente. Para um computador baseado no Windows 10, o mínimo recomendado é que o notebook tenha 2 GB de memória.

Mas, para um desempenho mais consistente, o ideal é que essa máquina conte com pelo menos 4 GB de RAM.

Se você puder contar com 8 GB de RAM, vá em frente: o desempenho tende a ser ainda mais fluído. O único porém é que, não raramente, notebooks com essa quantidade de memória são consideravelmente mais caros.

Para quem está com o orçamento apertado, uma dica é verificar com o fabricante ou vendedor se é possível expandir a memória RAM do notebook. Assim, você pode comprar um modelo com 2 GB ou 4 GB de RAM e aumentar essa quantidade posteriormente.

Como escolher um notebook

2. Processador

Processadores muito potentes vão dar conta de praticamente qualquer atividade, mas eles costumam encarecer demais o notebook. Por isso, laptops com esses chips são mais indicados para quem trabalha com programas pesados (como ferramentas de edição de vídeo) ou executam muitos softwares ao mesmo tempo.

Se você precisa de um computador para tarefas simples — como acessar a internet, usar o Microsoft Office e reproduzir vídeos ou jogos não muito exigentes —, um notebook com processador intermediário pode ser a escolha com a melhor relação custo-benefício.

As opções de processadores estão praticamente limitadas a duas marcas: Intel (líder do mercado, portanto, presente em mais modelos) e AMD.

Os processadores da Intel se resumem a esses:

  • Avançados: Core i9 e Core i7
  • Intermediário: Core i5
  • Intermediário para básico: Core i3

Já os da AMD são estes, atualmente:

  • Avançado: Ryzen 7
  • Intermediário: Ryzen 5
  • Intermediário para básico: Ryzen 3

Você também pode encontrar notebooks com processadores de entrada, entre eles, o Intel Pentium, o Intel Celeron e o AMD Athlon. Esses laptops costumam ser baratos, mas atenção: eles tendem a não ter grande desempenho. Por essa razão, esses modelos só são indicados para quem executa apenas tarefas simples no computador, como edição de texto e navegação na web.

3. Bateria

Verifique na ficha técnica do notebook o tempo que o fabricante estima que a bateria pode durar com uma carga completa. O ideal é que a autonomia do componente alcance pelo menos quatro horas.

Se você vai usar o laptop fora de casa ou do escritório com frequência, vale a pena adquirir um notebook com mais autonomia de bateria — no mínimo, de seis horas.

Para quem passa muito tempo carregando o equipamento, pode valer a pena comprar um notebook ultrafino (ultrabook). Laptops do tipo quase sempre são caros, mas geralmente trazem bom desempenho, são leves e têm bateria com autonomia de várias horas.

4. Armazenamento: HD e SSD

Não pense duas vezes: prefira notebooks com SSD. Esse tipo de componente para armazenamento de dados é muito mais rápido do que os tradicionais discos rígidos (HD).

No Brasil, é muito comum encontrar laptops com SSDs de apenas 120 GB de capacidade. Essa quantidade é suficiente para a maioria das pessoas, mas, se você armazena muitos dados, um SSD com 240 GB ou mais é preferível, ainda que o preço final do equipamento aumente.

O notebook que você quer comprar só está disponível com HD? Nessas circunstâncias, uma opção interessante é trocar esse HD por um SSD comprado separadamente.

Mas, para isso, é importante verificar se o notebook tem compartimentos na parte inferior para permitir esse tipo de procedimento ou se pode ser aberto facilmente para esse fim. Verifique também se o procedimento não ocasiona perda de garantia.

Se você não tem experiência na troca de HDs por SSDs (que podem ser do tipo SATA, M.2 ou ambos, dependendo do seu notebook), procure um técnico da sua confiança.

5. Tela

No Brasil, notebooks com tela (display) de 14 ou 15,6 polegadas são bastante comuns, mas há outras opções de tamanho: 11,6 polegadas, 13,3 polegadas, 17 polegadas, etc.

Mas as dimensões da tela não são fator de qualidade: você deve escolher aquela que for mais aquedada às suas necessidades. Para quem se locomove bastante com o laptop, uma tela com 14 polegadas ou menos pode ser o ideal, pois esse parâmetro indica que o equipamento é pequeno e, portanto, fácil de ser transportado em uma bolsa ou mochila.

Notebook - tela

Para quem pretende deixar o notebook a maior parte do tempo em casa ou no escritório, modelos maiores, com tela de 15,6 polegadas ou mais, são mais indicados porque proporcionam maior conforto visual ao usuário.

Além do tamanho, é importante verificar a resolução do display. É recomendável que o equipamento venha pelo menos com tela HD (por exemplo, de 1280x720 pixels ou 1366x768 pixels).

Para modelos grandes — acima de 15,6 polegadas —, resolução full HD (ou superior) é o ideal, embora a resolução HD também possa servir.

6. Chip gráfico (GPU)

A maioria dos notebooks vem com GPU (também conhecido como chip gráfico) integrada ao processador — processadores Intel costumam ser acompanhados de GPUs das famílias HD Graphics, UHD Graphics ou Iris, enquanto chips da AMD vêm com gráficos da série Radeon Vega.

Via de regra, quanto mais avançado for o processador, mais capacidade gráfica tem a GPU que a acompanha. Mas, mesmo nos modelos mais simples, as GPUs integradas costumam ser suficientes para reprodução de vídeos, jogos simples e aplicações comuns.

Agora, se você pretende rodar softwares que exigem bastante capacidade gráfica, como AutoCAD ou jogos 3D, o ideal é procurar notebooks que tenham GPUs dedicadas, ou seja, chips gráficos separados do processador. Essas opções são mais poderosas e são fornecidas pela Nvidia ou pela própria AMD (linha Radeon).

Pesquise pelo nome da GPU dedicada para saber se ela atende às suas necessidades. Para jogos, uma dica é comprar um notebook gamer: modelos do tipo costumam vir com chips gráficos avançados.

7. Touchpad

O touchpad é um componente que faz as vezes do mouse. Com ele, o usuário movimenta o cursor na tela passando os seus dedos sobre um pequeno painel sensível a toques.

Em alguns notebooks, esse item é acompanhado de botões físicos que possuem as mesmas funções de um mouse (botões direito e esquerdo). No entanto, o usuário também pode simular cliques do mouse pressionando o dedo rapidamente sobre o painel.

Ao escolher um laptop, verifique se o touchpad tem tamanho amplo (touchpads pequenos podem ser desconfortáveis) e se não há reclamações de outros usuários sobre fatores como profundidade do clique e tempo de resposta.

Touchpad
Touchpad

Vale destacar que existe uma alternativa chamada Pointing Stick ou TrackPoint. Trata-se de um pequeno botão que fica entre as teclas do notebook e que possui certa flexibilidade para permitir a movimentação do cursor de acordo com a pressão que o usuário aplica sobre ele.

Atualmente, o TrackPoint é pouco comum — praticamente, só alguns modelo da linha ThinkPad, da Lenovo, contam com esse recurso.

8. Teclado

Ao pesquisar sobre um notebook, verifique se ele vem com teclado no padrão brasileiro (ABNT2). Não é raro encontrar no Brasil laptops importados que, por conta disso, trazem teclado no padrão americano.

Não que seja difícil usá-lo — não é. Mas um teclado internacional vai exigir que você use uma combinação de teclas para fazer o 'Ç' (geralmente, [‘] + [c]), por exemplo, caractere que, no padrão brasileiro, vem com uma tecla própria.

Outro detalhe importante: verifique se o teclado tem retroiluminação LED para uso no escuro. Geralmente, esse é um recurso disponível em notebooks mais caros, mas faz grande diferença para quem digita à noite ou em ambientes escuros.

Mais uma dica: para quem trabalha bastante com números (editando planilhas do Excel, por exemplo), pode ser interessante comprar um laptop com teclado numérico. Normalmente, esse recurso está presente em notebooks com tela grande.

Teclado — observe as teclas numéricas à direita
Teclado — observe as teclas numéricas à direita

9. Portas USB, porta HDMI e outras conexões

Pare por um momento e pense nos dispositivos que você provavelmente vai precisar conectar ao laptop: mouse, pendrives, monitor externo ou projetor, cabo de rede, cartão de memória, etc. São muitas as possibilidades, não? Por isso, o ideal é que o notebook tenha um bom número de conexões externas. O mínimo é este:

Ultrabooks ou notebooks compactos podem ter um número bastante reduzido de portas por conta de suas dimensões reduzidas, por isso, verifique se o modelo que te interessa oferece ao menos as portas que você tem certeza que precisará.

Também é válido checar as versões do Wi-Fi e do Bluetooth que o notebook traz. Quanto mais recentes, melhor.

Porta USB, porta USB-C com Thunderbolt e conexão para fones e microfone
Porta USB, porta USB-C (com Thunderbolt) e conexão para fones / microfone

10. Sistema operacional

Hoje, a maioria dos notebooks disponíveis no mercado sai de fábrica com o Windows 10. Porém, antes de comprar o laptop, é importante verificar se esse sistema operacional faz parte do produto: alguns fabricantes lançam modelos com uma distribuição Linux como sistema operacional para reduzir o preço do equipamento.

Se você se dá bem com o Linux ou pretende testá-lo, sem problemas. Mas se a sua preferência é o Windows, você poderá ter que desembolsar um valor adicional para adquirir uma licença desse sistema para o seu computador.

Você também pode encontrar Chromebooks à venda. Notebooks dessa categoria trazem o Chrome OS, do Google, como sistema operacional. Geralmente, Chromebooks são baratos e aparecem como ótimas opções para estudantes ou para quem só precisa de recursos básicos relacionados à internet.

Porém, muita gente acaba desistindo deles quando percebe que não é possível instalar softwares para Windows (como o Microsoft Office) no Chrome OS. Por isso, antes de fechar a compra de um Chromebook, pesquise para saber se esse sistema operacional pode te atender bem.

11. Webcam, leitor de impressões digitais e outras características

Se você pretende usar a webcam do seu novo notebook com certa frequência para reuniões ou aulas online, por exemplo, prefira um modelo que tenha câmera com resolução 720p ou superior para obter melhor qualidade de imagem.

Também pode valer a pena adquirir um notebook com sensor de impressão digital, assim, você não precisará digitar senha para entrar no sistema operacional — o problema é que esse recurso só costuma estar presente em laptops mais avançados (portanto, mais caros) ou para uso corporativo.

Verifique ainda as dimensões físicas e o peso do equipamento. Lembre-se de que, quanto mais leve e compacto, mais fácil é transportar o notebook.

Se você tem intenção de usar o laptop para ouvir música, assistir a filmes ou jogar, convém checar na descrição do produto se as suas saídas de som têm bom volume e recursos como Dolby Audio.

12. Marca do notebook

No Brasil, Dell, HP, Lenovo, Asus, Samsung, Acer e Positivo estão entre as fabricantes de notebooks mais conhecidas. Mas, mesmo entre marcas renomadas, é importante fazer uma pesquisa para saber se, atualmente, determinada empresa do ramo tem boa reputação.

Nessa pesquisa, verifique:

  • se a marca possui ampla rede de assistência técnica;
  • se oferece suporte por e-mail, telefone, redes sociais e afins;
  • se oferece garantia de pelo menos um ano para o produto (embora a legislação brasileira exija mínimo de apenas três meses);
  • se fornece bastante detalhes sobre o notebook em seu site ou na página da loja;
  • se não tem número elevado de reclamações não atendidas nas redes sociais ou em serviços como o Reclame Aqui.

* * *

No mais, boas compras!

Você também pode se interessar por um destes assuntos:

Publicado em 09_10_2019.

Emerson Alecrim Autor: Emerson Alecrim
Graduado em ciência da computação, produz conteúdo sobre tecnologia desde 2001. É aficionado por TI, comunicação, ciência e cultura geek.
TwitterInstagramLinkedIn