Yahoo! à beira de uma crise?

Depois do Google, o Yahoo! é uma das marcas mais lembradas quando o assunto é internet. Isso, por si só, é suficiente para transmitir a imagem de uma empresa confiável, inovadora e em constante crescimento. Contudo, uma carta elaborada por Brad Garlinghouse, vice-presidente mundial do Yahoo!, mostra que por trás do ar de tranqüilidade da companhia, há sinais de que alguma coisa – talvez muitas – não está bem.

De acordo com o jornal Infobae, o tal documento tem críticas severas em relação ao controle das atividades da empresa, sendo as principais:

– Não há foco, “queremos ser tudo para todos”;
– Não há liderança, todos são chefes e as unidades se “chocam”, prejudicando a empresa;
– Não há estratégia.

É claro que a carta não é apenas um desabafo. Serve também para intimar incentivar as principais “cabeças” do Yahoo! a largarem o comodismo atual e “despertarem” para novos planos, principalmente no que diz respeito à concorrência com o Google, o rival mais importante.

Brad Garlinghouse também afirma que há cargos redundantes no Yahoo! e aponta a necessidade de uma reestruturação que acarretará na demissão de 15% a 20% do efetivo da empresa, que atualmente possui mais de 10 mil funcionários, se somadas todas as suas unidades.

Não são os gastos, na verdade, que preocupam o Yahoo!, mas sim o fato da empresa ter tido seu valor de mercado reduzido em cerca de 35% em menos de um ano. A companhia precisa tornar seus serviços mais rentáveis, do contrário, a crise vai estourar, manchando espetacularmente sua imagem diante de usuários e investidores.

Na minha opinião, o Yahoo! tem grande potencial para aumentar sua receita, mesmo porque muitos de seus serviços são populares, mas falta criatividade, quesito que sobra no Google – e até mesmo na Microsoft – e que se mostra como um grande diferencial competitivo.

Referência: Infobae.

Emerson Alecrim