O projeto Enciclopédia da Vida

Encyclopedia of LifeDesafiante, ousado e promissor. Essas três características resumem bem o projeto Encyclopedia of Life, em bom português, Enciclopédia da Vida. Trata-se de uma iniciativa que envolve, inicialmente, instituições de pesquisa públicas e privadas dos EUA com o objetivo de criar um catálogo on-line de mais de 1,8 milhão de formas de vida do planeta, sejam elas animais ou vegetais.

O projeto foi apresentado recentemente em Washington, EUA, local onde ficará localizada a sua sede. Na ocasião, os organizadores da Encyclopedia of Life mostraram seus planos de conseguir reunir pelos próximos dez anos, várias informações sobre cada espécie e torná-las acessíveis por um único site. Como mostram estas páginas de demonstração, será possível acessar inúmeras informações sobre cada ser vivo, incluindo vídeos, fotos, arquivos sonoros (quando aplicável), mapas de localização, entre outros.

A Encyclopedia of Life é um projeto aberto, o que significa que poderá contar com a participação de estudantes e pesquisadores de todo o mundo. Isso é bom, pois permitirá o aumento da qualidade das informações das espécies tratadas, assim como permitirá, por exemplo, a tradução do conteúdo disponível para outros idiomas (até então, o site está disponível apenas em inglês).

Uma coisa que achei muito interessante é a intenção de classificar as informações de cada espécie em níveis de compreensão. O nível mais fácil conterá explicações mais simples, próprias para crianças, por exemplo. Os níveis mais difíceis conterão informações disponibilizadas de tal forma que só estudantes de biologia ou pesquisadores da área entenderão, já que exigirão o conhecimento de conceitos só estudados por essas pessoas.

Ainda não é possível saber quando a Encyclopedia of Life entrará, efetivamente, em funcionamento. A principal dificuldade está justamente em reunir as informações das centenas de milhares de espécies. O volume de dados é tão alto que os idealizadores do projeto estão, atualmente, se concentrando no desenvolvimento de tecnologias que permitam buscar as informações relacionadas disponíveis na internet para concentrá-las em um único lugar – o site do projeto. Creio eu que é neste ponto que instituições com mais recursos poderão interferir. Como exemplo, se considerarmos o perfil acadêmico do Google e sua missão de organizar todas as informações do mundo, não me surpreenderia se a empresa decidisse apoiar o projeto.

O desafio é grande, pois estima-se que conhecemos apenas 25% das espécies do planeta, sem contar aquelas que entraram em extinção, portanto, há uma volume extremamente alto de dados para classificar. Mas se considerarmos que iniciativas como a Wikipedia e o Google Earth também tinham graus de dificuldades elevados em seu início, e hoje nos parecem triviais, possivelmente a Encyclopedia of Life seguirá o mesmo caminho. Na busca pelo conhecimento, os humanos rejeitam a idéia do impossível. Esse é o nosso combustível para novas idéias.

Referências: ITNews, ABC.es.

Emerson Alecrim