Mãe se revolta ao descobrir imagem de filho assassinado em jogo

Em 1993, o assassinato de James Bulger, um garotinho de dois anos, chocou o mundo. O menino foi raptado, torturado e assassinado por outros dois garotos de 10 anos, na Inglaterra. Na época, uma foto gerada pela câmera de segurança de uma loja registrou o momento em que James Bulger era conduzido por um de seus assassinos para fora do centro comercial em que estava. A imagem foi intensamente divulgada em jornais e canais de TV.

Não sei em qual circunstância, mas alguém acabou descobrindo, recentemente, que essa imagem foi usada como pista em um cenário do jogo Law and Order: Double or Nothing, lançado na Inglaterra em novembro de 2003. Denise Fergus, mãe de James Bulger, tomou conhecimento desse fato e, desde então, vem fazendo uma campanha para as lojas deixarem de comercializar o jogo. Ferguns ainda declarou:

“Isso é desumanizar a lembrança do meu querido filho. Saber que essa imagem foi usada como pista visual em um jogo me enfurece, e eu farei tudo o que estiver em meu alcance para eliminar a foto desse game”.

Imagem de James Bulger no jogo Law and Order

Alguém aí acha que Denise está exagerando? Será que o responsável por inserir a imagem no jogo não tem o mínimo de bom senso para perceber que essa atitude é uma tremenda falta de respeito à família de James Bulger? Está certo que muitos desenvolvedores tentam dar o máximo de realismo aos jogos, não apenas utilizando gráficos bem elaborados, mas também explorando acontecimentos reais, mas tudo tem um limite, né?

De qualquer forma, a Global Software, empresa responsável pela distribuição de Law and Order: Double or Nothing, aparentemente já tirou o jogo de circulação. Já é alguma coisa, é claro, mas seria mais interessante se essa descoberta tivesse vindo à tona em uma época próxima ao lançamento do jogo. Isso porque há quem esteja divulgando esse fato em resposta ao bloqueio dado por autoridades britânicas ao jogo Manhunt 2, como se dissesse: vocês censuraram injustamente Manhunt 2, mas deixaram Lan and Order passar em branco.

Referências: El Mundo, Perfil.com.

Emerson Alecrim