Internet Explorer 9: será que agora vai, Microsoft?

Internet Explorer 9 beta

Certa vez, numa loja, observava atentamente um vendedor tentando convencer um cliente a comprar um aparelho de Blu-ray. Para isso, ele destacava todas as funcionalidades do aparelho, inclusive aquelas que não estavam relacionadas aos discos Blu-ray em si. Ao final, o cliente simplesmente respondeu: “muito bacana, o duro vai ser lembrar de tudo isso depois que eu instalar o aparelho em minha sala”. Quando o Internet Explorer 8 (IE8) foi lançado, aconteceu a mesma coisa.

O Internet Explorer 8 é um bom software. É seguro, tem recursos como busca aprimorada, aceleradores, bloqueio de downloads perigosos, modo de compatibilidade com o Internet Explorer 7, navegação privativa (popularmente conhecido como “modo pornô”), Web Slices e muitos outros. São funcionalidades bacanas, mas que coloca o navegador na mesma situação do aparelho de Blu-ray mencionado acima: quase ninguém se lembra de utilizá-los, mesmo sendo legais. Alguém aí, por exemplo, utiliza Web Slices?

O problema com o Internet Explorer 8 foi justamente a falta de foco na parte que mais interessa nessa história toda: o usuário, mais precisamente, a experiência de navegação deste. A consequência é que o Firefox continuou obtendo mais usuários e, como se não bastasse, mais um concorrente chegou para incomodar: o Google Chrome, que está experimentando um crescimento espantoso. E qual o segredo do Chrome? A marca Google? Não, mas sim a experiência do usuário.

Para início de conversa, o Chrome é um navegador muito rápido. Além disso, é extremamente fácil de usar. Seu visual não é apenas simples, mas otimizado para que o usuário possa se concentrar mais facilmente em sua navegação. Na versão 6 do Chrome, por exemplo, um único botão, apenas um, dá acesso a todas as opções de configuração do programa. A consequência é essa: um número cada vez maior de pessoas o utiliza como seu browser padrão.

A Microsoft lançou hoje a versão beta do Internet Explorer 9  (IE9) e, com isso, parece querer dizer que aprendeu a lição. O programa conta com vários recursos que são esperados para navegadores atuais: suporte a HTML5, CSS3, processamento rápido de JavaScript (graças à engine Chakra, que é capaz de aproveitar todo o potencial de uma CPU com mais de um núcleo) e, como destaque, aceleração gráfica por GPU, otimizando o desempenho do computador como um todo.

Janela padrão do Internet Explorer 9

Janela padrão do Internet Explorer 9

Mas o principal é a experiência do usuário, não é mesmo? Nesse aspecto, a Microsoft parece ter encontrado o caminho. Além de rápido, bem rápido, O IE9 tem um design muito mais intuitivo que a versão 8 do programa. Para começar, os velhos menus sumiram e agora há apenas um ícone no canto direito superior que dá acesso a todas as opções do navegador. Ao lado deste, apenas um botão para os favoritos e outro para a página principal do usuário.

Botão Ferramentas, suficiente para dar acesso às principais opções do IE9

Botão Ferramentas, suficiente para dar acesso às principais opções do programa

A barra de endereços agora divide espaço com a barra de abas (dá para ajustar a área de cada uma), poupando um pouco da área disponível na tela. Mas há uma contradição aqui: há um espaço acima dessas barras que poderia ser aproveitado. Não há nada ali, apenas os tradicionais botão de minimização, maximização e fechamento no canto direito. Ficou esquisito…

IE9 - E esse espaço aí em cima, mano?

E esse espaço aí em cima, mano?

A abertura das abas (guias) também está mais rápida que no IE8, o que é muito bom. Além disso, toda vez que o usuário abre uma guia nova, o IE9 exibe imagens em miniaturas que dão acesso aos sites que ele mais visita. Ah, sim: quando o usuário abre um link a partir de uma página já aberta, ambas as abas assumem a mesma cor, recurso herdado do IE8.

IE9 - Thumbnail com os sites mais visitados

Thumbnail com os sites mais visitados

Há ainda várias outras funcionalidades: um novo (e decente) gerenciador de downloads, uma nova barra de busca na página atual (pressionar Ctrl + F continua sendo a melhor maneira de acessá-la), recursos que já existiam no IE8 (como as tais da Web Slices que ninguém usa) e uma integração bacana com o Windows 7. Falando nisso, é bom lembrar: o IE9 não é compatível com o Windows XP.

Eu gostei das novidades do IE9. É verdade que é impossível não compará-lo ao Google Chrome ou mesmo ao quase desconhecido Opera, mas se isso for importante para melhorar a bendita experiência de navegação do usuário, está valendo. Só resta saber se, com todos esses aprimoramentos, o Internet Explorer 9 será uma opção a ser considerada pelos usuários mais exigentes ou, tal como tem sido ultimamente, continuará concentrando sua base principal de utilizadores naqueles que apenas clicam no primeiro botão com os dizeres “Internet” que encontram pela frente, e no segmento corporativo, onde a implementação de outro browser muitas vezes acaba não sendo uma atividade prática.

Para baixar a versão beta do Internet Explorer 9 e obter mais detalhes, basta acessar a página www.internetexplorer9.com.br. Não custa lembrar: esta é uma versão de testes, não finalizada, portanto, pode não funcionar adequadamente em seu computador, assim como pode sofrer significativas alterações até o lançamento da edição final.

Emerson Alecrim