Como criar seu primeiro aplicativo

Muitas pessoas se interessam por programação ao verem e interagirem com aplicativos. É realmente fascinante e funcional a forma como os aplicativos funcionam e como passaram a ser essenciais para nós.

É Uber para nos levar de um lado para o outro, Waze para nos indicar os caminhos, Spotify para ouvirmos música de qualquer lugar, redes sociais para ficarmos sempre atualizados, banco para fazermos qualquer operação, etc. E o número de funcionalidades e necessidades criadas a partir de cada um deles só cresce.

Nessa infinidade de opções, surgem diversas ideias e oportunidades para lançar um aplicativo próprio, que irá auxiliar em um projeto pessoal, empresa ou serviço prestado. Mas como está o mercado para criar aplicativos hoje em dia?

Mercado de aplicativos

Segundo infográficos da GO-Globe, 52% do tempo gasto pelas pessoas em mídias digitais é destinado aos aplicativos. A previsão do Gartner é de que o download de aplicativos vai chegar a um faturamento de US$ 77 bilhões em 2017. As pessoas de 18 a 24 anos usam mais aplicativos móveis do que qualquer outro grupo.

Para escolher a plataforma de publicação de seu primeiro aplicativo, saiba que atualmente a Apple App Store possui 2 milhões de aplicativos disponíveis, enquanto a Play Store do Android possui 2,2 milhões de aplicativos. Favorável, certo?

Mas será que é tão difícil criar um aplicativo?

Aprender a programar aplicativos deixou há muito tempo de ser aquilo que só o pessoal de TI sabe fazer. É possível e necessário desenvolver aplicativos para diferentes sistemas operacionais com um pouco de conhecimento na área da tecnologia.

Para saber como criar um aplicativo, por exemplo, a loja do iPhone oferece um curso online chamado Dev Secrets que mostra desde o básico até o passo a passo para vender na App Store. O Android possui o Android Developer, com apoio desde o início para a construção dos aplicativos em tutoriais bem completos.

Mas é claro que existem diversas opções de cursos fora das lojas oficiais, online e presenciais. O que basta é encontrar o lugar certo, ter uma ideia válida, escolher seu sistema operacional mobile e linguagem.

Na maioria das vezes, não é preciso investir muito e o retorno de um aplicativo pode ser enorme. Tudo depende da ideia e de seu objetivo com ela. Para ganhar dinheiro com um aplicativo você pode inserir anúncios em suas páginas, cobrar pelo download do produto ou criar uma versão premium paga. O recomendado é que você ofereça seus primeiros aplicativos de forma gratuita e veja como será o retorno para então montar sua estratégia.

A Thaís Kuga, mulher da área de humanas, provou o quanto criar um aplicativo é possível. Ao participar do bootcamp Aprenda a Programar em um Final de Semana, ela criou o aplicativo chamado 3 Marias, projeto que você pode acompanhar aqui. Este aplicativo de “caronas à pé” para mulheres funciona da seguinte forma: se você pega o metrô à noite e está se sentindo insegura para ir andando sozinha para casa, o aplicativo faz uma combinação (match) entre você e outra mulher que está por perto para vocês caminharem juntas até o destino. O aplicativo já saiu até em notícia no portal da Band UOL.

Mas o que exatamente é um aplicativo?

Um aplicativo é um programa desenvolvido especialmente para a interface mobile, que irá processar dados eletronicamente, com o objetivo principal de reduzir o tempo de execução e simplificar tarefas do usuário. Cada aplicativo é feito com linguagens de programação, ou seja, códigos que são compreendidos pela interface mobile e que, unidos, formam uma plataforma para determinado fim.

Webview, Aplicativo Nativo ou Híbrido

Agora é hora de partir para a execução. Além de frameworks e ferramentas, existem três tipos de desenvolvimento para aplicativos: webview, nativo e o híbrido.

Webview

Webview apps são páginas na internet acessadas como qualquer outra através de um browser. Eles não são realmente aplicativos, não podem acessar alguns elementos do dispositivo como notificações nativas, mas exigem o design de um web app com uma interface mobile. A vantagem é que não é necessário passar pela burocracia para ser aprovado para entrar na app store e o aplicativo pode ser atualizado com facilidade. Além disso, webviews normalmente possuem um custo bem mais baixo de desenvolvimento e atualização.

Nativo

Os aplicativos nativos são instalados e armazenados dentro do dispositivo mobile para o acesso rápido, baixados através de uma loja específica para cada plataforma (como iOs ou Android). Eles são feitos usando os SDKs e as linguagens nativas de cada uma dessas plataformas, o que facilita o acesso a funcionalidades do sistema operacional e sensores como GPS e a câmera.

Uma das grandes vantagens de concentrar o desenvolvimento em um aplicativo nativo é a facilidade de otimizar o código por tratar diretamente com as bibliotecas do sistema operacional do dispositivo. A desvantagem é que um aplicativo nativo custa mais caro, precisa de desenvolvedores com conhecimento mais específico e ainda tem que passar pela aprovação da loja que vai publicá-lo.

Híbrido

Já um aplicativo híbrido é instalado no aparelho, como um aplicativo nativo, mas são aplicações que rodam no browser nativo do próprio, usando UIWebView se for iOS e a WebView se for Android. Eles são desenvolvidos em HTML, CSS e JavaScript e são empacotados em uma aplicação nativa. Existem várias ferramentas que fazem isso, o Cordova é um exemplo disso.

As vantagens são todas as que o app nativa tem, mas com algumas outras como a de desenvolver uma vez só e distribuir para todas as plataformas. O design é igual para todas. Você pode reutilizar código HTML, CSS e JavaScript do seu produto existente.

Como criar um aplicativo

Se você procurar por “Ferramentas para criar um app” ou “Linguagem de Programação para criar um app”, você encontrará muitas ferramentas, métodos e empresas diferentes que podem te ajudar no seu processo de criação de apps. Se você quer criar seu próprio aplicativo, recomendamos que você comece por estes três recursos:

Papel e caneta

Pouquíssimo utilizado por quem está começando a criar aplicativos, é um dos recursos que mais indicamos. Com papel e caneta você começa a desenhar como seu aplicativo estará. Desenhe um retângulo e comece a colocar botões, caixas de texto e faça conexões entre as diferentes telas do seu app. Por incrível que pareça, é uma das fases mais difíceis da criação de um aplicativo.

POP – Prototype on Paper

Depois de ter desenhado seu aplicativo no papel, baixe o app Prototype On Paper disponível para Android e iOS que te ajudará a conectar todas as telas do aplicativo e te dará uma visão geral sobre como sua criação está. O mais interessante deste aplicativo é que você pode compartilhar com seus amigos, começar a receber feedback e melhorar dia a dia a sua criação.

IONIC

Na hora de partir para o desenvolvimento, você pode criar seu aplicativo de forma híbrida com o IONIC. O IONIC é um framework que utiliza AngulaJS para criar aplicativos. A partir de bibliotecas CSS e Javascript, o desenvolvimento na plataforma é feito de forma simples. Entenda melhor como criar um aplicativo no IONIC pelo vídeo abaixo:

Aprenda a programar em um final de semana com o MasterTech

Quer saber como criar um aplicativo em um final de semana? No bootcamp do MasterTech você vai aprender:

  • Design Thinking e Metodologia Ágil na prática
  • Como criar protótipos rapidamente
  • Validar sua ideia com usuários
  • Conceitos básicos de programação
  • Introdução a HTML, CSS e Javascript
  • Desenvolver seu primeiro aplicativo usando IONIC
  • Publicá-lo na Play Store
  • Desenvolver seu site
  • Criar sites responsivos com Bootstrap
  • Criar sua conta no Git e publicar seu site

Tudo isso em apenas um final de semana, é sério. E ainda tem o bônus de realizar um baita de um networking com empresas de tecnologia. Se inscreva nas próximas turmas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro ou São Paulo acessando aqui!

MasterTech

[Publieditorial]