Nubank: esse cartão de crédito vale a pena?

O texto abaixo foi escrito no início de 2015. Em agosto de 2016, o post foi atualizado para relatar as impressões sobre o serviço após um ano e oito meses de uso. No início de 2017, houve mais uma atualização, esta para descrever o programa de pontos do Nubank e o desconto para pagamento antecipado.


Internacional, bandeira Mastercard Platinum e com uma série de controles feitos com um aplicativo móvel facílimo de usar. Com todas estas características, parece improvável que um cartão de crédito possa ser oferecido sem anuidade, mas esta é a proposta do Nubank.

O mais interessante é que esse cartão não está atrelado a grandes bancos ou administradoras. Trata-se, na verdade, do produto de uma startup que leva o mesmo nome.

Cartão de crédito Nubank

Surgimento do Nubank

Um dos principais nomes por trás da iniciativa é o colombiano David Vélez. A Nubank Brasil (Nu Pagamentos) foi fundada em 2013, mas somente em 2014 começou a emitir cartões.

A explicação para a demora, pelo menos em parte, estava na dificuldade para encontrar investidores. Mas Vélez conseguiu: segundo o Estadão, o principal aporte veio da Sequoia Capital, grupo que já investiu em companhias como Apple, Google e LinkedIn, além de ter sido empregadora do executivo antes da criação no negócio.

Sem anuidade e outras tarifas

Mas como ganhar dinheiro com um cartão que, além de não possuir anuidade, não cobra taxa de saque ou avaliação emergencial de crédito, por exemplo? Via cobrança de juros em parcelamentos, conversão de moeda, entre outros.

No entanto, para emissores de cartões de crédito, tarifas e anuidades normalmente são uma importante fonte de receita. A própria Nubank explica, porém, que suas operações são quase totalmente digitais, portanto, não há agências e a burocracia é menor. Até o uso de papéis é controlado — as faturas chegam somente por e-mail. Consequentemente, há menos gastos, o que permite à companhia trabalhar com tantas isenções.

A graça está no app

Conseguir um cartão de crédito sem anuidade não é tão difícil assim. Alguns bancos o oferecem a clientes com bom tempo de relacionamento ou alta renda. Outros condicionam a gratuidade a um número mínimo de lançamentos por mês. Algumas lojas e prestadores de serviços fecham parcerias com administradoras para oferecer cartões gratuitos.

Assim, apesar de muito bem-vinda, a ausência de tarifas não é a principal atração do Nubank. Esse posto cabe ao seu aplicativo, disponível para Android, iOS e Windows Phone (Windows Mobile).

Funciona assim: quando você realiza um pagamento, o app mostra o lançamento informando valor, data, hora, nome do estabelecimento, categoria deste (restaurante, mercado, transporte, etc.) e, sempre que possível, o ponto em um mapa correspondente ao local da compra.

Ali também aparecem outras informações relacionadas, como confirmação de pagamento de fatura, data de desbloqueio do cartão e limite restante. Como esses detalhes são mostrados em uma “linha do tempo”, é possível ter controle bastante preciso sobre tudo o que é feito com o Nubank.

Aplicativo do Nubank para Android

Pelo app também é possível recuperar a senha, entrar em contato com o suporte via chat (há um 0800 e um e-mail de atendimento como opções) e até mesmo bloquear temporariamente o cartão.

E se você perder o celular, como faz? Também dá para acessar a conta no site do Nubank que, a propósito, exibe gráficos muito interessantes sobre o histórico de lançamentos e permite gerar um novo boleto, caso você necessite pagar um valor diferente (a fatura mínima, por exemplo).

Como obter um cartão de crédito Nubank?

Você deve conseguir um convite. O suporte da empresa explica que a emissão de cartões é feita aos poucos e conforme análise para assegurar a qualidade do serviço. Como a procura é maior que a oferta, há lista de espera.

Há pelo menos duas formas de conseguir um convite. A primeira é entrar no site da Nubank, clicar em “Pedir meu convite”, se cadastrar e aguardar. A segunda costuma ser mais eficiente: receber uma indicação de uma pessoa que já possui o cartão.

A indicação apenas adiciona prioridade ao seu cadastro na lista de espera, assim, as chances de você receber o convite definitivo de forma mais rápida aumentam consideravelmente.

Foi o meu caso. Um amigo me enviou a indicação e, após uma semana, o convite chegou. Mas não é regra: algumas pessoas podem ter que aguardar por muito mais tempo. Outras simplesmente não recebem o convite. Tudo depende da análise prévia feita pela Nubank Brasil.

O convite chega por e-mail. Instale o aplicativo do Nubank em seu smartphone e informe o código informado na mensagem. O processo de cadastro completo terá início. Tome o cuidado de preencher tudo corretamente.

Durante o procedimento, o app te instruirá a tirar uma fotografia de rosto — selfie. Você também terá que tirar fotos “frente e verso” de seu RG e “desenhar” sua assinatura com o dedo sobre a tela. Todos esses dados são transmitidos ao sistema da Nubank pela ferramenta. Não é necessário enviar comprovante de renda, extrato de conta bancária, declaração de Imposto de Renda, nem nada do tipo.

Cartão Nubank - Imagem por Nubank

Entrega do cartão

Se tudo estiver certo no cadastro, você receberá o cartão em duas semanas, aproximadamente. O recebimento pode demorar um pouco mais de acordo com a região que você mora ou por conta de problemas logísticos. Há muitos relatos de pessoas que levaram mais de um mês para ter o Nubank em mãos.

A entrega do meu cartão foi ainda mais demorada: quase dois meses. Houve extravio, razão pela qual tive que aguardar o envio da segunda via. Fica a dica, então: se a sua entrega estiver demorando, entre em contato com a Nubank para verificar o status do pedido. A empresa costuma responder em poucas horas.

Quando o cartão chegar, resta fazer o desbloqueio, que deve ser realizado pelo próprio app. Basta informar os últimos quatro dígitos do cartão no campo correspondente e o CVV (um código de verificação que fica na parte de trás do cartão).

O Nubank vale a pena?

Para muita gente, a isenção de anuidade, a não cobrança de tarifas que são comuns em outras operadoras e até mesmo os juros menores (até a publicação deste post, o Nubank me cobrava 7,75% de juros ao mês frente a pelo menos 10% em outras instituições) são atrativos muito poderosos.

Mas o principal diferencial do cartão está mesmo no controle propiciado pelo app. Primeiro porque a ferramenta permite ao usuário ter uma noção muita clara das suas despesas e isso o ajuda a evitar descontrole de gastos. Segundo porque os recursos do aplicativo possibilitam à Nubank operar com uma infraestrutura enxuta, viabilizando as isenções.

Por fim, há a relativa facilidade de conseguir um cartão Mastercard Platinum com pouca burocracia.

Cartão Nubank - traseira

Então, sim, o cartão Nubank vale a pena. Mas não é para todo mundo. Para começar, a empresa trabalha somente com a Mastercard, ao menos nesta fase inicial. Há quem prefira outras bandeiras, seja lá qual for a razão.

Mas o principal problema é a falta de um programa de fidelidade. Muita gente concentra seus gastos no cartão de crédito para converter os pontos obtidos em produtos, serviços e, principalmente, milhas de passagens aéreas. A Nubank Brasil ainda estuda a criação de um programa próprio, mas por enquanto, o cliente só pode contar com o Surpreenda, da Mastercard — que não é grande coisa, convenhamos.

Há também a questão do limite: muitos usuários receberam o cartão podendo gastar um valor abaixo do esperado. O meu, por exemplo, era de R$ 1 mil. Via suporte, a Nubank me informou que, depois de alguns meses, é possível pedir elevação do limite. Um amigo conseguiu aumentá-lo logo após pagar a sua segunda fatura.

Para mim, a experiência vem sendo positiva. Estou usando o cartão desde meados de dezembro (2014) e, até agora, não tive do que reclamar do uso, do atendimento da empresa e do aplicativo.

É verdade que o Nubank ainda não é o meu cartão principal, mas quando houver programa de pontos e limite adequado às minhas necessidades, pensarei seriamente nisso.


Um ano e oito meses depois

Agosto de 2016. Eu ainda continuo utilizando o Nubank. Não como meu cartão principal, é verdade, mas não há mês que eu fique sem usá-lo. Do final de 2014 para cá, algumas coisas mudaram.

Para começar, o app ganhou mais recursos, como a função de lembrete de senha e a possibilidade de pedir aumento sem falar com um atendente. Aliás, o meu limite aumentou bastante, automaticamente. Pagar as faturas em dia realmente ajuda.

Já a taxa de juros passou a ser flexiva: alguns usuários pagam menos, outros mais. Depende do perfil de cada um. Em todos os casos, continua valendo a dica de evitar ao máximo parcelar o pagamento da fatura.

A Nubank não emite mais cartões Mastercard Platinum. Agora é Mastercard Gold. A empresa afirma, no entanto, que os usuários que receberam um Mastercard Platinum continuarão com essa modalidade mesmo quando o cartão tiver que ser substituído.

Nubank Platinum e Nubank Gold

Nubank Platinum e Nubank Gold

Nas viagens internacionais, a empresa não pedia que o cliente informasse país de destino. Hoje é recomendável passar essa informação via chat ou e-mail para evitar bloqueio do cartão.

Em 2016, a Nubank começou a trabalhar em um programa de fidelidade (pontuação), mas nada surgiu até agora (agosto de 2016). Outro recurso que continua não disponível: a empresa não emite cartões para dependentes (cartão adicional).

Não é muito relevante, mas no segundo semestre de 2015, o Nubank passou a ser compatível com o Apple Watch. Usuários de Windows Phone também passaram a ter um app oficial do cartão.

Boletos bancários continuam sendo a principal forma de pagamento. A Nubank afirma que tentou negociar com os bancos para dar aos clientes a opção de débito automático, mas as instituições bancárias não aceitaram (bancos sendo bancos, né?). Entretanto, agora há a opção de pagamento via DDA (Débito Direto Autorizado).

Já ia me esquecendo: no início, era difícil entender como a Nubank definia a taxa de dólar. Essa informação também ficou clara: é o PTAX (definido pelo Banco Central) acrescido de 4%.

Parecer final: o Nubank continua valendo muito a pena! Durante esses quase dois anos usando o cartão, sempre fui bem atendimento pelo suporte, meu limite aumentou progressivamente, o aplicativo evoluiu muito (e continua evoluindo) e nunca tive problemas com pagamentos, mesmo em viagens internacionais.

Para ficar completo mesmo, falta só o programa de pontos. Mas é bom saber que já estão trabalhando nisso 🙂


Janeiro de 2017: o programa de pontos é ruim

Em setembro de 2016, a Nubank começou a testar o seu programa de pontos (finalmente). Eu consegui fazer parte do grupo de testadores, mas confesso desde já que me decepcionei 🙁

O Nubank Rewards, como é chamado, chegou com a seguinte proposta: cada real gasto com o cartão é convertido em um ponto, simples assim. No caso de despesas em dólar, é feita a conversão dos valores para real e então os pontos são calculados.

Há dois detalhes interessantes aqui: os pontos nunca expiram e você pode acompanhar a sua pontuação em tempo real no app. Posteriormente, os pontos podem ser usados para aquisição de passagens áreas ou assinatura de serviços como Netflix e Spotify, só para dar alguns exemplos.

Mas há um porém: para participar do programa, é necessário pagar uma anuidade que pode ser dividida em 12 vezes (mas há desconto se você pagar de uma vez só).

Nubank Rewards

Nubank Rewards

Como o programa estava em testes na época em que participei, o valor não era fixo, variando de usuário para usuário (a empresa estava tentando identificar o valor mais adequado). No meu caso, ficou abaixo de R$ 200.

Não é muito, mas eu descobri que precisaria fazer despesas altíssimas com o cartão mensalmente para compensar a participação no programa. Só para você ter ideia, percebi que eu precisaria gastar uns R$ 3 mil por mês para conseguir pagar uma mensalidade da Netflix com os pontos. No meu caso, ficou mais vantajoso pagar a mensalidade com o valor da anuidade, portanto.

Em outras palavras, o programa só vale a pena para quem usa muito — mas muito mesmo — o cartão de crédito. Mas até entendo o lado da Nubank: com a isenção de tantas tarifas, fica difícil ter capital suficiente para sustentar um programa de pontos vantajoso para todos os usuários. Felizmente, o Nubank Rewards pode ser testado gratuitamente por um mês. Graças a isso, cancelei a minha participação sem ter prejuízo.

Antecipe o pagamento de parcelas e ganhe desconto

Eu sou do tipo que prefere pagar à vista, até porque consigo descontos com isso. Mas não é sempre. Para essa situação, a Nubank lançou, no final de 2016, uma solução que quebra um galhão: o parcelamento que gera descontos.

Funciona da seguinte forma: você faz um pagamento com o cartão usando parcelamento (tomando o cuidado de parcelar sem juros); depois, no aplicativo, você solicita o pagamento antecipado dessas parcelas, ou seja, pede para pagá-las de uma só vez na próxima fatura. Ao fazer isso, o sistema do Nubank dá um desconto sobre o valor total.

Para exemplificar, fiz uma compra no valor de R$ 432,15 em três vezes sem juros. Cada parcela ficou no valor de R$ 144,05. Mas aí, no app, eu pedi para antecipar as parcelas (pode demorar um pouco: tive que esperar dois dias para a opção estar disponível).

Nubank - parcelas antecipadas

Parcelas antecipadas

Com isso, o valor total da compra caiu para R$ 429,76. É um desconto pequeno, é verdade, mas ele pode ser maior dependendo do valor da sua compra (mesmo se não for, um desconto pequeno é melhor do que nenhum).

Como isso é possível? É um cálculo meio complicado, mas, basicamente, a Nubank deixa os valores antecipados das parcelas rendendo juros até chegar o dia de esses montantes serem repassados para os lojistas. Parte do rendimento desses juros é, portanto, usada para cobrir o desconto que você obteve.

Legal, não? O programa de pontos pode até ter decepcionado, mas essa ideia do desconto para parcelas antecipadas é sensacional!

Antes de encerrar, uma dica: a Nubank é uma fintech. Explico tudo sobre fintechs aqui 😉

Emerson Alecrim