Como proteger seu cartão de crédito de fraudes

Introdução

Cartões de crédito são sinônimo de praticidade. Com eles, você pode pagar despesas sem ter que andar com dinheiro em espécie ou cheque e, nas lojas on-line, muitas vezes consegue receber o produto mais rapidamente por confirmar o pagamento no ato.

Criminosos também estão interessados nesta praticidade toda — desde que você pague as contas. Fraudes envolvendo cartão de crédito são mais frequentes do que pensamos e, quando o problema é constatado, nem sempre é fácil resolvê-lo.

É por isso que a prevenção é importante. Nas próximas linhas você encontrará dicas simples, mas que dão uma ajuda e tanto na hora de proteger o seu cartão de crédito ou débito.

Cartões de crédito
Cartões de crédito


Na internet

1. Utilize seu cartão apenas em lojas ou serviços on-line com boa reputação

Se deseja comprar um produto ou serviço em um site desconhecido, pesquise por sua reputação antes de fechar o negócio. Para isso, você pode procurar opiniões em mecanismos de busca ou pesquisar em sites específicos para esse fim, como o Reclame Aqui.

Também é importante verificar se, no ato da compra, o site faz com que o símbolo de um cadeado seja exibido no navegador. Se isso não ocorrer, é recomendável não concluir o processo, pois o cadeado indica que o site está criptografando o envio de suas informações, acrescentando uma camada de segurança importante ao processo.

Cadeado de segurança em site de comércio eletrônico
"Cadeado" de segurança em site de comércio eletrônico

Evite lojas que oferecem preços muito vantajosos, apresentam mensagens com erros ortográficos, disponibilizam imagens de baixa qualidade ou são muito parecidos com sites de comércio eletrônicos conhecidos. Estas costumam ser características de sites fraudulentos.

Na dúvida, compre em outro lugar ou, se inevitável, considere a possibilidade de utilizar boleto bancário como forma de pagamento.

Veja mais orientações sobre compras on-line aqui.

2. Não guarde os dados do seu cartão em sua conta na loja ou serviço on-line

Alguns estabelecimentos virtuais permitem que você guarde os dados de seu cartão para futuras compras. A não ser que se trate de um serviço que exige pagamento periódico, como Netflix ou Spotify, não utilize esta opção — é mais seguro digitar os dados do cartão de crédito em cada nova transação.

3. Use serviços que intermediam compras on-line, como o PayPal

Você também pode utilizar gateways de pagamento, isto é, serviços que intermediam o uso do cartão de crédito, de forma que transações possam ser feitas com este sem que o recebedor do pagamento conheça o seu número.

O serviço mais popular para este fim é o PayPal, que pode ser utilizado principalmente em compras internacionais, embora várias empresas brasileiras já o aceitem.

Antes de aderir a qualquer serviço de intermediação, se informe sobre taxas, condições de uso e, claro, reputação.

4. Informe os dados do seu cartão de crédito apenas ao realizar compras ou pagamentos

Desconfie de sites que exigem o seu número de cartão de crédito logo no cadastro, mesmo que você não vá adquirir um produto ou serviço. Não forneça dados do cartão por e-mail, redes sociais, telefone e outros meios, especialmente se você não tiver iniciado o contato.

Redobre os cuidados se os dados do cartão forem exigência para sorteios, prêmios, cupons de desconto e afins.

5. Faça compras com cartão apenas em seu computador ou dispositivo móvel

Sempre que possível, faça compras com cartão de crédito a partir de seu computador pessoal, smartphone ou tablet. A manutenção de computadores públicos (em universidades, bibliotecas, lan houses, etc.) está fora do seu controle, portanto, são maiores as chances de haver softwares maliciosos ali que capturam estes dados.

Mesmo que você esteja utilizando equipamentos próprios, também é recomendável não realizar transações a partir de redes Wi-Fi públicas.

6. Proteja seu computador ou dispositivo móvel

De nada adianta utilizar apenas seu computador ou dispositivo móvel para compras se o equipamento não for protegido:

  • Tome cuidado com links em e-mails falsos ou redes sociais;
  • Instale somente programas bem avaliados;
  • Faça downloads apenas de sites conhecidos;
  • A não ser que você tenha bastante conhecimento técnico, utilize antivírus e o mantenha atualizado;
  • Mantenha sistemas operacionais e aplicativos atualizados;
  • Utilize senhas fortes em serviços on-line para evitar que seu e-mail, por exemplo, seja acessado por terceiros.

7. Monitore o uso do seu cartão com SMS, e-mail ou aplicativo

Você sabia que, na maioria das administradoras, você pode receber um SMS toda vez que uma compra com o seu cartão de crédito for feita? Essa é uma ótima maneira de identificar fraudes: ao receber uma mensagem referente a um pagamento não reconhecido, você saberá que seu cartão provavelmente está sendo usado indevidamente por terceiros e poderá comunicar o banco ou a operadora antes que mais gastos sejam feitos.

Entre em contato com o seu banco ou operadora para se informar a respeito. Na maioria das vezes, este serviço é gratuito e, em alguns casos, pode ser oferecido também via e-mail ou aplicativo móvel.

Aviso de lançamentos por SMS — Recurso disponibilizado pela maioria dos bancos
Aviso de lançamentos por SMS — Recurso disponibilizado pela maioria dos bancos

8. Atenção com ligações de confirmação

É normal — e aceitável — que lojas ou mesmo operadoras entrem em contato com o consumidor logo após uma compra. Essa é uma maneira de confirmar alguns dados para prevenir fraudes.

Tome cuidado, no entanto, se a ligação pedir informações estranhas: código de segurança (CVV) e data de vencimento, por exemplo, são dados que não devem ser requisitados por telefone.

9. Cartão de crédito "virtual" pode ser uma boa ideia

Alguns bancos oferecem cartões de crédito virtuais específicos para compras na internet. Estes normalmente são vinculados a um cartão de crédito convencional, mas têm numeração diferente. Assim, você não precisa informar o número do seu cartão "de verdade" na transação.

Outras vantagens: você pode estabelecer limites mais baixos para o cartão virtual, determinar a quantidade máxima de compras e bloqueá-lo mais facilmente.

Verifique com seu banco ou administradora sobre a disponibilização desse serviço.

10. Não publique a foto do seu cartão em redes sociais

Pode parecer um cuidado bobo, talvez óbvio, mas em redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram é relativamente fácil encontrar usuários que, empolgados pela chegada de um cartão de crédito novo, divulgam a foto deste nesses serviços.

Se quiser fazê-lo, ao menos tome o cuidado de tampar o número do cartão ou apagá-lo na imagem.


Em estabelecimentos físicos ("mundo real")

1. No caixa eletrônico (ATM)

Ao utilizar o cartão no caixa eletrônico (seja ele de débito ou crédito) para sacar dinheiro, realizar pagamentos, conferir saldos, entre outros, observe a movimentação ao seu redor. Saia do local sem realizar a operação se notar algo suspeito.

Caixas eletrônicos - Imagem original por TecBan
Caixas eletrônicos - Imagem por TecBan

Antes de inserir o cartão, tateie o equipamento. Se identificar componentes, fios ou qualquer característica incomum, utilize outro terminal e, se for o caso, alerte a instituição responsável. A máquina pode ter sido violada.

Se o seu cartão ficar preso ou você tiver dificuldades para operar o caixa, não aceite a ajuda de estranhos e procure o banco.

Prefira realizar operações no caixa eletrônico em locais e horários com grande circulação de pessoas para inibir abordagens suspeitas.

2. Em lojas, restaurantes e outros estabelecimentos

Ao efetuar pagamentos em lojas, restaurantes e por aí vai, mantenha o cartão de crédito SEMPRE em seu campo de visão. Não permita que o funcionário que estiver te atendendo leve o cartão para lugares que você não tem acesso.

Além disso, só digite a senha se o valor a ser pago for exibido e, claro, estiver correto.

Antes de ir embora, verifique se o cartão é mesmo o seu — um funcionário mal intencionado pode trocá-lo por um cartão semelhante.

3. Use somente cartão de crédito com chip

No Brasil, cartões de crédito sem chip são cada vez mais raros, mas ainda existem. Se for o seu caso, peça para o banco ou administradora trocá-lo por um cartão com chip. Este componente exige digitação de senha em transações e dificulta clonagens.

Cartão com chip
Cartão com chip

4. Muita atenção ao digitar a senha do cartão

Ao digitar sua senha, verifique se não há pessoas por perto observando o ato. Se necessário, peça "licença" apenas para deixar claro que você está atento quanto a isso.

Memorize a sua senha, não a anote em papéis para guardá-la na carteira ou na bolsa.

5. Ao viajar para o exterior, avise o banco sobre os países de destino

Mesmo que o seu cartão seja internacional, informe ao banco os países que você visitará em sua viagem e por quanto tempo. Felizmente, a maioria das operadoras impede o uso em outros países por padrão, obrigando o usuário a contatar a instituição.

6. Abordagens de vendedores, entrevistadores e afins

Cuidado com entrevistas, pesquisas ou propostas de testes de produtos nas ruas: se o seu cartão for solicitado, negue-se a mostrá-lo, mesmo que ele fique todo o tempo em suas mãos.

A mesma orientação vale para abordagens via telefone: não informe dados pessoais, especialmente do cartão, quando a ligação sugere prêmios, promoções e semelhantes.

Em caso de pedidos de doações, se informe sobre a idoneidade da instituição. Prefira fazer contribuições com depósito em conta corrente.

7. Em caso de perda, furto ou roubo

Cartão perdido, furtado ou roubado? Entre em contato com o banco ou operadora o quanto antes para bloqueá-lo. Para tanto, é importante manter o número da instituição em seu celular ou agenda. Em caso de viagens internacionais, verifique se a operadora oferece um número telefônico específico para essa situação.

Você também deve entrar em contato com o emissor de seu cartão caso suspeite de fraude.

Sempre anote número de protocolo, horário e data da ligação.

8. Não empreste o seu cartão de crédito

Nem mesmo para parentes ou amigos próximos. Mesmo que a pessoa seja confiável, você não sabe se ela toma todos os cuidados de segurança.

No caso de filhos ou cônjuges, por exemplo, prefira fornecer a eles cartões adicionais. Estes são vinculados ao seu cartão, mas têm dados diferentes. Cartões adicionais também permitem ao titular estabelecer limites menores e acompanhar as despesas em sua própria fatura.

9. Não deixe o cartão em malas, quartos de hotéis, guarda-volumes, etc.

Sempre deixe o seu cartão de crédito em local seguro. Em viagens, leve-o com você quando possível. Evite deixá-lo em malas, quartos de hotéis e qualquer outro lugar que pode ser acessado por outras pessoas.

10. Analise atentamente a sua fatura

Leia com calma cada item da sua fatura. Se encontrar despesas não reconhecidas (é uma boa ideia guardar recibos de compras para ter certeza), contate a operadora imediatamente. A dica de acompanhar os lançamentos via SMS ou aplicativo também é válida aqui.


Meu cartão foi fraudado. O que eu faço?

Encontrou um lançamento na sua fatura que você não reconhece? Recebeu um SMS de uma transação que você não realizou? Seu cartão foi roubado ou furtado? Não tenha dúvidas: avise a administradora do cartão o quanto antes.

A companhia, muito provavelmente, irá cancelar o seu cartão e emitir outro com nova numeração. Anote todas as informações referentes ao contato, especialmente protocolos. Também é importante guardar recibos e outros documentos envolvidos.

Os valores não reconhecidos devem ser cancelados ou, no caso de a fatura já ter sido paga, estornados (incluindo aí impostos, juros e taxas relacionadas). Se a administradora se negar a fazê-lo, você deve procurar um órgão de defesa do consumidor, como o Procon, ou mesmo meios judiciais.

A administradora pode alegar que a responsabilidade pelos prejuízos é do cliente, mas se o fizer, terá que provar.

Tanto no caso de perda do cartão quanto no de despesas não reconhecidas, convém registrar um Boletim de Ocorrência (BO). Esse documento pode ajudar em possíveis investigações pelas autoridades e, quando for o caso, em processos judiciais contra a operadora.


Veja também:

Publicado em 07_01_2015 / Atualizado em 17_03_2016

Emerson Alecrim Autor: Emerson Alecrim
Graduado em ciência da computação, produz conteúdo sobre tecnologia desde 2001. É aficionado por TI, comunicação, ciência e cultura geek.
TwitterInstagramFlickrLinkedIn