Sony MDR-XB20EX: fones de ouvido para quem gosta de "extra bass"

Quando comprei meu Sony Walkman NWZ-S638F, adorei o fone que acompanhava o dispositivo, um Sony MDR-EX85, do tipo in ear (exige a inserção do fone dentro do canal auditivo e utiliza uma “almofada” – em geral, de silicone ou espuma – que veda o ouvido), pois além da excelente qualidade sonora, tinha uma reprodução de graves incrível. Mas aí, quando fui comprar um novo MDR-EX85 (o anterior quebrou), descobri que o modelo saiu de linha. Foi então que eu encontrei o MDR-XB20EX.

Sony MDR-XB20EX

Eu precisava de um novo fone que unisse as características do anterior: ser in ear, ter boa qualidade sonora e oferecer boa reprodução de graves. Felizmente, na própria Sony consegui encontrar um modelo que atende a esses requisitos, com o diferencial de ter um senhor reforço de graves! A pista estava no próprio nome: o XB em MDR-XB20EX faz referência a “extra bass“.

Apesar de não gostar muito desse tipo de música, fiz meu primeiro teste do Sony MDR-XB20EX com a música Boom Boom Pow, do Black Eyed Peas. Fiquei impressionado com a “clareza” do áudio e com as batidas, capazes de deixar surdo qualquer um que abusar do volume e do tempo de uso. Ouvir músicas gravadas ao vivo então é quase a mesma coisa que estar presente no show.

Aparentemente, um dos segredos para tamanho desempenho está nas “hastes” dos fones:

Haste do Sony MDR-XB20EX

Acredite, essas “hastes” não são grandes por acaso. Pelo o que andei lendo, há uma espécie de tubo dentro delas que serve justamente para reforçar os sons graves. Completam as características do produto, de acordo com a Sony, resposta de frequência entre 5 Hz e 23,000 Hz, impedância de 16 ohms, sensibilidade de 103dB/mW e diafragma de 9 mm.

Outra característica que me chamou a atenção no MDR-XB20EX é o design dos fios, que em vez do tradicional formato cilíndrico, é achatado. Tenho a impressão de que isso ajuda a aumentar a durabilidade do cabo, mas se não o fizer, ao menos dá um aspecto bem interessante ao produto:

Fio do Sony MDR-XB20EX

Em matéria de conforto, o MDR-XB20EX não faz feio. Eu pensei que as tais “hastes” grandes iriam incomodar quem usa brinco, mas deixei uma amiga minha testar os fones, e ela não sentiu nenhuma dificuldade quanto a esse aspecto. O produto acompanha almofadas (ou ponteiras) de três tamanhos, bastando ao usuário verificar qual se adequa melhor aos seus ouvidos. Esse, aliás, é um teste que o usuário deve mesmo fazer, pois uma vedação bem feita é essencial para aproveitar a qualidade sonora dos fones.

O único problema, na minha opinião, é que esse modelo não tem o cabo de um lado maior para passá-lo por trás do pescoço. Essa característica ajuda na utilização dos fones quando a pessoa está em movimento. Por outro lado, a Sony fornece uma presilha removível para prender o cabo, que tem 1,2 m, à roupa:

Presilha do Sony MDR-XB20EX

O MDR-XB20EX vendido pela Sony no Brasil também vem com um estojo bacana que ajuda muito a transportar os fones na bolsa ou na mochila. Pelo o que andei vendo, lá fora, o produto é acompanhado apenas de um saquinho de pano:

Estojo do Sony MDR-XB20EX

Mas vamos à parte que preocupa o seu bolso: preço. Comprei o MDR-XB20EX por 99 reais no site da Sony, o que significa que lá fora o dispositivo deve estar custando, no máximo, uns 30 dólares. Levando em conta que eu achei produtos similares custando cerca de 300 reais por aqui, não está caro, não… Abaixo, você pode conferir mais fotos:

www.flickr.com/photos/ealecrim/sets/72157624692646266/with/4878332186

Vale frisar que a Sony também oferece um modelo da mesma linha, só que ainda mais avançado e mais caro: o MDR-XB40EX. O único problema é que a empresa não comercializa essa versão no Brasil, mas para quem quer uma excelente relação custo-benefício, o MDR-XB20EX está de bom tamanho 😉

Emerson Alecrim





  • Fábio

    O problema desses fones de alta qualidade da Sony é que são difíceis de ser encontrados no Brasil, o próprio site oficial já não tem mais em estoque.
    Rodei alguns dos principais locais de vendas de produtos eletrônicos em São Paulo e nada. Aqui só se encontra os modelos de média/baixa qualidade da Sony ou os fones da Philips, Coby (e outras marcas “made in taiwan” que a chinesada tenta te convencer de que são bons). Acabei comprando pelo MercadoLivre por R$99, mesmo preço do site do site oficial.
    Quem já teve a oportunidade de conhecer esses modelos de maior qualidade da Sony levando em consideração custo/benefício, não troca por nada.