Projetos brasileiros na Microsoft Research

No último post, eu relatei um dos vários trabalhos em andamento na Microsoft Research: o uso de tecnologia contra SPAM no combate à AIDS. Tomei conhecimento dessa pesquisa no Latin American Faculty Summit 2010, encontro científico internacional que acontece no Guarujá, em São Paulo. No evento, fiquei feliz em saber que também há muitos projetos brasileiros sendo apoiados pela Microsoft Research.

Um deles, liderado por Jacques Wainer, pesquisador da Unicamp, utiliza a Tecnologia da Informação para desenvolver um sistema capaz de identificar alterações em imagens de fundo de olho que possam indicar a existência de retinopatia diabética, uma doença que pode levar à cegueira. A ideia pode inclusive permitir que exames sejam realizados remotamente, de forma que o sistema faça uma triagem dos pacientes e envie suas respectivas imagens para que especialistas possam avaliar. Repare que esse projeto pode ajudar pessoas que residem em localidades com atendimento médico precário ou inexistente.

Outro trabalho interessante é o eFarms, coordenado por Claudia Bauzer Medeiros, também da Unicamp. O projeto consiste no desenvolvimento de redes sem fio de baixo custo e em sistemas que possam ajudar na comunicação digital de propriedades rurais. A iniciativa tem como alvo produtores de pequeno porte e está sendo feita em parceria com a Cooperativa de Cafeicultores de Guaxupé, que conta com cerca de 11 mil associados.

Também merece destaque o PorSimples, um projeto cuja coordenação é feita por Sandra Maria Aluisio, da USP de São Carlos. Nele, ferramentas estão sendo desenvolvidas para simplificar a linguagem de textos em português disponíveis na internet, de forma a facilitar o entendimento do material por parte de crianças, adultos em alfabetização, analfabetos funcionais e pessoas com problemas cognitivos.

Citei três projetos brasileiros, mas há vários outros. Todos podem contar com o apoio da Microsoft Research graças à parceria que esta estabeleceu com a FAPESP, em 2007. Acredite: isso não é coisa pouca.

A Microsoft Research é uma divisão que conduz pesquisas de ciência da computação e engenharia de software, além das relações destas com outras áreas do conhecimento. Seu laboratório principal fica na sede da empresa, em Redmond, Estados Unidos, e conta com cerca de 300 pesquisadores. Além disso, recebe anualmente um número equivalente de estagiários – muito deles da América Latina. Como se não bastasse, a Microsoft Research é liderada pelo brasileiro Rico Malvar, um cientista – e, pude perceber no evento, uma pessoa muito simpática – que é autor ou co-autor de mais de 100 patentes. Só para você ter uma ideia, Malvar é um dos principais nomes por trás do Windows Media Audio e de tecnologias de compressão de imagens usadas no Office, no Xbox 360, no Flight Simulator X, entre outros.

Rico Malvar no Latin American Faculty Summit 2010
Rico Malvar no Latin American Faculty Summit 2010

Espero que muitos outros projetos possam contar com esse tipo de apoio, afinal, produção científica nunca é demais, principalmente em um país tão precário em educação como é o Brasil.

Emerson Alecrim





  • GRZ

    Eu pesquisei informações de como participar desse evento e não encontrei. Como podemos participar da próxima edição?

  • GRZ, demorei a responder sua pergunta porque perguntei diretamente à Microsoft. O que acontece é o seguinte: esse evento não é aberto ao público em geral. Participam dele professores-pesquisadores que recebem convite. Há vários critérios de escolha, entre eles, relevância do trabalho desenvolvido pelo pesquisador.

  • Gustavo

    Putz que pena!!! Eu ia adorar participar de um congresso assim. Como você conseguiu Emerson?

  • Eu fui convidado, Gustavo, mas como imprensa e só para o primeiro dia.

  • GRZ

    Obrigado! pela resposta. Eu ainda vou ser convidado. Pode esperar.. rs.

  • Torço para que sim, GRZ 🙂