Processador Intel "Starter Edition"?!

Imagem ilustrativa de processadorQuando o Windows XP Starter Edition foi lançado, considerei a ideia absurda. Em vez de um sistema mais simples, essa versão consistia apenas no Windows XP completo, só que com alguns recursos travados. É a mesma coisa de comprar uma casa, mas ter alguns cômodos bloqueados porque você pagou menos pelo imóvel. Agora, imagine essa ideia sendo aplicada em processadores.

Acredite se quiser, mas a Intel começou a testar uma iniciativa desse tipo no Canadá e nos Estados Unidos. Com o apoio de empresas parceiras, a companhia venderá o processador Pentium G6951 com um tipo de software que impede o seu funcionamento total. O usuário que desejar obter 100% de aproveitamento do chip terá que pagar 50 dólares a mais para baixar um programa que elimina o bloqueio.

Os recursos bloqueados por padrão no Pentium G6951 são consideráveis: 1 MB de memória cache e a tecnologia Hyper Threading. Perceba, esses elementos estão lá, dentro do chip, apenas estão bloqueados.

Embora a ideia pareça absurda, não é necessariamente nova. Há tempos que Intel e AMD disponibilizam processadores mais baratos com especificações equivalentes aos chips mais caros, mas com a diferença de que alguns recursos são desativados por padrão. Essa prática só não é, para ser dramático, considerada abominável porque é uma forma de aproveitar chips que saíram com algum defeito da linha de fabricação.

Além disso, há anos que a IBM adota uma estratégia semelhante com seus mainframes, pelo o que andei lendo nos comentários do Slashdot. Mesmo assim, tenho sérias dúvidas quanto ao sucesso da ideia. Para começar, a Intel está numa situação bastante diferente da IBM, já que seus usuários têm muito mais opções à disposição. Sem contar que a empresa não poderá vender os processadores bloqueados por um preço muito baixo, afinal, precisa compensar, por exemplo, os custos dos recursos não utilizados, considerando os usuários que não optarem pelo pagamento dos 50 dólares. E tem mais: já deve haver “espertinhos” trabalhando incansavelmente para conseguir o desbloqueio gratuito…

Referências: Slashdot, Engadget.





  • Claudiom

    “Essa prática só não é, para ser dramático, considerada abominável porque é uma forma de aproveitar chips que saíram com algum defeito da linha de fabricação.”

    Não creio que eles utilizem de chips defeituosos, e se o cliente pagasse a taxa para liberar e o recurso não funcionar pois existe um defeito de fábrica ?

  • Não é necessariamente defeito. Acontece que, quando os chips são fabricados, alguns saem, por assim dizer, mais “perfeitos” que outros.

    A empresa pode utilizar os chips “menos perfeitos” em linhas mais econômicas, que de qualquer maneira não utilizariam o recurso não aproveitado.

    No caso do processador tratado no texto, o contexto é diferente, pois o recurso está lá, só está bloqueado.

  • Francisco

    Que eu saiba tanto a AMD como a Intel reaproveitam cpu’s com mutiplos processadores quando um desses apresente defeito, tipo um quadcore virar um dualcore pois um dos processadores apresentou defeito.
    Já essa nova ideia da Intel realmente, para mim, não faz sentido algum.

  • Sim, Francisco, tanto é que vira e mexe aparece alguém por aí dizendo que conseguiu destravar o núcleo “oculto”…