Não poupa ninguém: crise faz Google cortar serviços e anunciar demissões

É, a crise financeira que devasta o mundo atingiu até quem parecia imune. Até pouco tempo atrás, o Google abria portas para projetos novos sem nem ao menos se preocupar com as possibilidades de lucro. Mas, agora o cenário é outro. A crise veio e não poupou nem a galera de Mountain View, e o Google agora está tendo que fazer o que para ela, até por uma questão de cultura, é mais difícil do que para outras empresas: cortar gastos.

Para começar, o Google anunciou que o Google Video não permitirá mais uploads, ou seja, está praticamente com os pés na cova. Mas, até aí, nada de anormal, já que a empresa tem um serviço de vídeos melhor: o YouTube. O Jaiku é outro que “vai morrer, mas vai continuar vivo”, já que o Google deixará de dedicar esforços em seu desenvolvimento, mas o manterá como uma ferramenta de código aberto no Google Code.

Mas, não para por aí: o Google Catalog Search vai ser descontinuado. Ao menos sua tecnologia contribuiu para tornar o Google Book Search disponível. Ah, os serviços Dodgeball e Mashup vão seguir pelo mesmo caminho.

Ainda não terminou: o Google Notebook, um serviço que eu adoro, vai ter o seu desenvolvimento descontinuado. O Google Notebook não será mais oferecido a novos usuários, mas permanecerá disponível a quem o utiliza atualmente. Até quando eu não sei…

Que coisa chata, não? Mas, essas medidas por si só não são suficientes para sinalizar crise, já que a maioria desses serviços tem realmente pouca relevância. O que demonstrou que a fortaleza de Mountain View não é tão inabalável assim são os recentes anúncios de demissão. Para começar, cerca de 10 mil funcionários indiretos foram dispensados no final de 2008. Em seguida, veio o anúncio de desligamento de 100 pessoas ligadas à seleção de pessoal (afinal, o Google está contratando menos…). Agora, cerca de 70 engenheiros do Google deixarão os seus cargos, em parte pelo fechamento dos escritórios da empresa em Austin (EUA), Lulea (Suécia) e Trondheim (Noruega).

É claro que ninguém precisa entrar em pânico e gritar “o sonho acabou!” ou “fechem tudo, menos o Orkut!”. O que o Google está fazendo é apertar o cinto, coisa que qualquer empresa ou indivíduo faz quando a situação complica (ou quando o avião está caindo). Note que apenas os serviços menos importantes foram “sacrificados” e que as dispensas de pessoal indicam que o Google está buscando formas mais eficientes de organização.

Preocupado mesmo o mercado deveria estar se o Google continuasse como antes, fingindo que a crise não existe, pois isso indicaria falta de uma coisa que minha mãe sempre pediu para eu ter: juízo…

Referências: Google Video Blog, Google Notebook Blog, The Official Google Blog, The Official Google Blog [2], Jaikido Blog.

Emerson Alecrim





  • Caramba! Quanto aos outros tudo bem, mas o Notebook??? Tenho mais de 4000 notas lá e o serviço é um tremendo quebra-galho.

    Acho que a maior falha do Google quando a alguns desses serviços foi a falta de divulgação. Esse história de “marketing viral” nem sempre dá serto e só fulciona na hora.

    Se continuar assim, vejo um futuro sombrio para o “Chrome” também.

  • Pingback: Blog InfoWester » YouTube e o silêncio dos… huum… ilegais?()

  • Emerson Alecrim

    Luferat, o Google Notebook também é um tremendo serviço para mim. Depois da notícia, me deram várias sugestões de alternativas, como Evernote e Syncnotes, mas espero realmente não precisar de um serviço substituto…

    Até mais!