MP3: dez anos de sucesso

MP3: Dez anos de sucessoO pior pesadelo da indústria fonográfica já tem uma década de sucesso. Estou falando, é claro, do MP3 (MPEG-1 Audio Layer 3), o mais popular padrão de áudio que existe.

O formato nasceu no Institut Integrierte Schaltungen (Fraunhofer Institut), na Alemanha, e começou a ser pesquisado em 1987 por Karlheinz Brandenburg e sua equipe. Na verdade, Brandenburg já realizava pesquisas sobre compressão de áudio desde 1977, mas somente dez anos depois é que começou a trabalhar no que hoje é conhecido como MP3.

O MP3 começou a tomar forma quando se descobriu que boa parte das informações existentes no padrão WAV e em CDs de áudio são inaudíveis aos ouvidos humanos. É nesse ponto que o MP3 entra em cena: grossamente falando, seu algoritmo comprime áudio de forma a eliminar as freqüências sonoras que não captamos. Como conseqüência, os arquivos de áudio ficam bem menores quando comparados ao formato WAV, por exemplo.

Com arquivos de música relativamente pequenos, mas com boa qualidade sonora, o formato MP3 começou a ficar popular em 1997, especialmente depois da criação do site MP3.com e do lançamento da primeira versão do programa Winamp, neste mesmo ano.

Dois anos depois, surgiu o fenômeno Napster, uma rede P2P que popularizou o conceito de troca de arquivos entre usuários por, justamente, permitir a distribuição gratuita de arquivos de áudio entre os internautas. Isso ajudou o MP3 a ficar ainda mais popular. A indústria fonográfica ficou apavorada com o sucesso desse serviço e, após uma série de medidas judiciais que contou, inclusive, com a participação de artistas (entre eles, os integrantes da banda Metallica), o Napster fechou, mas seus conceitos ficaram.

O formato MP3 também representou uma nova modalidade de consumo: o desenvolvimento de tocadores de áudio conhecidos como MP3-Player. Um dos primeiros modelos foi o Rio, da Diamond. A indústria fonográfica também entrou com processos judiciais contra a empresa na tentativa de frear a distribuição de músicas por esse aparelho. Basta olharmos para o iPod para vermos que essa tentativa não deu certo.

Depois de dez anos de tanto sucesso, está claro que o MP3 não é apenas um formato de áudio, mas sim um padrão de mercado e o símbolo pioneiro do conceito de troca de arquivos pela internet. Se não fosse pelo MP3, talvez ainda estivéssemos presos à “boa vontade” dos gigantes da indústria fonográfica. Não sei por quanto tempo o formato ainda será popular (pode ser que outro padrão, como o Ogg Vorbis, tome o seu lugar, vai saber…), mas que ele vai ficar para a história, ah, isso vai…

Referência: ABC.es, Fraunhoufer IIS.

Emerson Alecrim





  • Ah, os bons tempos em que baixar um álbum completo era tarefa para um fim de semana conectado…

  • MP3 realmente foi um mão na roda para os consumidores, agora estou esperando os Voips estourarem da mesma forma que o MP3, não estou mais afim de pagar uma fortuna por uma ligação.