Microsoft Research: uma pequena amostra do futuro

No primeiro dia do Latin American Faculty Summit 2010, evento científico que aconteceu no Guarujá, São Paulo, entre os dias 12 e 14 de maio (2010), coube ao cientista brasileiro Rico Malvar, diretor-geral da Microsoft Research, a apresentação de encerramento. E o tema não poderia ser mais interessante: o pesquisador falou de alguns projetos que dão uma amostra da visão do futuro da Microsoft.

Rico Malvar se apresentando no Latin American Faculty Summit 2010
Rico Malvar se apresentando no Latin American Faculty Summit 2010

Um dos trabalhos mencionados por Malvar que mais me chamou a atenção foi uma espécie de “recepcionista automática”. Você chega em um prédio, vai até a recepção e um sistema robotizado pergunta para onde você quer ir. Por meio de um mecanismo de reconhecimento de voz e imagem, o sistema tenta te identificar e te dá a informação relacionada, que pode ser uma orientação para ir a determinado andar, um pedido de espera até que a pessoa com a qual você deseja falar possa lhe atender, enfim. É possível ver uma demonstração desse sistema no vídeo abaixo (pode não estar visível em leitores de RSS):

www.youtube.com/watch?v=6GOrNU6e_og

Agora, imagine poder utilizar o seu corpo como ferramenta de interação com o computador, dispensando teclados, mouses, joysticks e outros dispositivos de entrada de dados. Essa é uma linha de pesquisa que vem sendo trabalhada pela Microsoft Research junto com a Carnegie Mellon University. Com esse tipo de tecnologia, você poderá executar determinadas tarefas no computador simplesmente fazendo movimentos com os braços ou com os dedos, por exemplo, tal como já previram alguns filmes de ficção. Para tornar isso possível, a pesquisa está desenvolvendo sensores capazes de detectar a atividade elétrica em um músculo para determinar gestos, assim como sensores que possam identificar a transmissão de sinais elétricos pelo corpo. E acredite: a Microsoft não está trabalhando nisso só pensando no Project Natal. Vão surgir muitas coisas interessantes a partir daí. O vídeo a seguir deixa isso bem claro (novamente, pode não estar visível em leitores de RSS):

www.youtube.com/watch?v=nMj6aQe6CLY

Com isso, dará até pra jogar Guitar Hero sem guitarra! Dúvida? Dá uma olhada no vídeo existente neste link, onde também é possível obter mais detalhes sobre o assunto.

E lentes de contato biônicas, já ouviu falar? Sim, este é outro assunto sendo desenvolvido pela Microsoft Research, desta vez em conjunto com a University of Washington. “Realidade aumentada” vem sendo a expressão do momento e temos vistos exemplos interessantes, a maioria baseada em jogos ou atividades de entretenimento. Agora, imagine poder utilizar esse conceito para salvar vidas! É aí que as lentes biônicas entram cena: com elas, um médico poderia, por exemplo, executar uma cirurgia e obter dados importantes e em tempo real sobre o paciente, como pressão sanguínea ou o mapeamento de um determinado ponto de um tecido que deve ser removido, diretamente em sua visão.

E não para por aí: imagine poder realizar exames de sangue utilizando simplesmente lentes de contato. A superfície da córnea é recoberta por células vivas que mantêm contato indireto com o fluído sanguíneo, logo, muito dos elementos analisados em exames de sangue podem ser obtidos daí. Para isso, sensores minúsculos seriam instalados nas lentes, realizariam as análises e depois enviariam os dados para um dispositivo apropriado. Bacana, não? Saiba mais sobre o assunto aqui.


“Uma lente do futuro!” – Imagem por Microsoft

Eu não sei quanto a você, mas eu adoro saber a respeito de tecnologias que simplesmente poderão fazer parte do nosso cotidiano um dia. E me anima mais ainda saber que estes e outros projetos mencionados por Rico Malvar são tecnologias para o futuro, mas um futuro nem tão distante assim 😉

Emerson Alecrim





  • Gustavo

    Esse negócio de detecção de movimentos é mais incrível do que pensei!!! Não vejo a hora de poder brincar com isso!!! :p