KaZaA contraria decisão judicial

A Sharman Networks, empresa responsável pelo software de compartilhamento de arquivos KaZaA, decidiu não atender uma decisão judicial que a obrigava a instalar filtros no programa para impedir os usuários de trocarem arquivos de maneira ilegal. Com o filtro, um internauta não conseguiria encontrar músicas de uma banda famosa, por exemplo. Em contrapartida, a Sharman resolveu impedir o acesso dos australianos aos seus serviços, uma vez que a decisão judicial foi aplicada na Austrália. A empresa – que tinha até o dia 05/12/2005 para aplicar os filtros – afirmou que irá aguardar uma nova audiência em fevereiro de 2006, porém manterá o bloqueio à Austrália até que outra “solução” seja encontrada.

Emerson Alecrim





Nenhum comentário

Comentários encerrados.