Intel estaria tentando convencer VIA a não fabricar processadores

Embora também fabrique processadores, os principais produtos da VIA Technologies são chipsets. Segundo uma matéria do site The Inquirer, é exatamente a isso que a Intel quer que a VIA se dedique, deixando, definitivamente, a produção de CPUs. Em troca, a Intel concederia licenças especiais para o uso de suas tecnologias nos chipsets da VIA.

Essa manobra, se é que existe, mostra a determinação da Intel por continuar na liderança do mercado de microprocessadores. Isso significa que a empresa encara os processadores da VIA como uma ameaça? Em parte. A questão é que os chips da VIA estão sendo usados em quantidade considerável em equipamentos de baixo custo (como terminais de venda) e em computadores portáteis. Esse é um segmento que interessa e muito à Intel.

Na verdade, existe um acordo firmado em 2003 para que a VIA possa utilizar tecnologias da Intel em seus chipsets, mas esse contrato vence em 2007, embora a VIA afirme que isso ocorrerá em 2008. Essa “parceria” se mostra muito importante à VIA, pois os fabricantes de PCs e de placas-mãe para as quais a empresa fornece chipsets podem temer problemas futuros por adquirirem “tecnologia ilegal”.

Como é de total interesse que o acordo seja renovado, ambas as empresas já estão em negociação. Daí é que, supostamente, surgiu a solicitação da Intel para a VIA abandonar o segmento de processadores. Como nenhuma empresa se manifestou a respeito, não é possível determinar o estágio das negociações, mas é visível que a pressão sob a VIA é muito grande, o que indica que ela pode ceder. Por outro lado, sabe-se que a empresa tem disposição para encarar batalhas, inclusive judiciais.

Se a Intel convencer a VIA, o mercado é que poderá sentir os efeitos do acordo. Primeiro porque, com um fabricante a menos, o preço dos processadores do nicho explorado pela VIA pode subir. Além disso, o mesmo pode ocorrer com o mercado de chipsets, uma vez que as tecnologias cedidas pela Intel podem fazer com que haja pouca competição nesse segmento.

Referência: The Inquirer.

Emerson Alecrim





  • Fernando Costa

    Vindo da Intel, é de se esperar. A empresa fez o mesmo com fabricantes de PCs, pressionando-os a não usarem processadores AMD.