Indústria da música vai processar brasileiros

A IFPI (International Federation of the Phonographic Industry) anunciou a intenção de processar cerca de 20 brasileiros por download ilegal de músicas, uma iniciativa que também será executada em mais 16 países: Alemanha, Argentina, Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Holanda, Hong Kong, Islândia, Irlanda, Itália, México, Polônia, Portugal, Suíça e Singapura.

De acordo com a ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos), os 20 brasileiros que serão acionados judicialmente têm entre 3 mil e 6 mil músicas compartilhadas. A identidade dessas pessoas não foi revelada.

Em balanço feito pela ABPD para o ano de 2005, o Brasil teve queda de 12,9% na venda de CDs. O download de músicas pela internet foi considerado um dos causadores dessa diminuição. Essa prática pode estar associada ao aumento do uso de banda larga no país e ao número crescente de usuários de PCs.

A IFPI, cujo presidente declarou que o download de músicas pela internet é equivalente a roubar CDs em lojas, quer forçar incentivar os usuários a baixarem músicas apenas de sites autorizados e que cobram por download. Para isso, além de processos, uma cartilha de orientação aos pais será disponibilizada no site da ABPD.

O problema maior no download legal de músicas no Brasil está no fato de termos poucas opções. Os sites mais conhecidos, UOL Megastore e iMúsica ainda estão longe de oferecer uma quantidade de canções que satisfaçam os gostos musicais de todo mundo. Se for para combater a pirataria, que haja meios razoáveis e acessíveis das pessoas se manterem na legalidade.

Referências: IDG Now, Folha, The Inquirer.

Emerson Alecrim





  • Antonio Carlos

    A indústria fonográfica tem de ligar o desconfimetro e baixar os preços dos CDs e DVs. Ninguém aguenta o roubo.

  • Vinicius

    Verdade….as pessoas só baixam musicas pela net por causa que os cds varia de 25 e 50 reais se não mais…
    Tudo tem imposto, menos a net !!!
    Pensem nisso !!!

  • Gabriel

    Pô tenso eim!!! Mas aê, como eles vão conseguir identificar com precisão quem está baixando ou compartilhando arquivos no Emule por exemplo?