Impressões sobre o livro “A Cabeça de Steve Jobs”

Livro A Cabeça de Steve Jobs

Fã de livros que sou, confesso que fiquei surpreso com a minha demora em ler A Cabeça de Steve Jobs (título original: Inside Steve’s Brain), de Leander Kahney, editor da Wired.com. A obra foi lançada por aqui no final de 2008, mas só agora a li porque sempre dava prioridade a outros livros, sob a desculpa de que este deveria ser apenas uma “idolatração” para cima de Jobs, mas não é bem assim.

De fato, Kahney parece mesmo ser um fã de Steve Jobs, do contrário, não teria se empenhado tanto em (tentar) desvendar os seus mistérios. Não que Jobs seja um deus ou coisa parecida. Pelo menos na minha opinião, não é, mas para uma pessoa comum tornar a Apple o que ela é hoje, algum diferencial forte deve ter. É justamente esse diferencial que A Cabeça de Steve Jobs tenta mostrar.

O livro deixa claro que a Apple é o que é hoje porque Steve Jobs é perfeccionista. E que Steve Jobs encara seu trabalho com paixão. E que Steve Jobs enxerga o valor da simplicidade, e é por isso que os produtos da Apple são de fácil utilização, pelo menos para as situações mais cotidianas. Mas Steve Jobs não é idiota: procura sempre trabalhar com gente realmente capacitada e faz questão de fornecer boas compensações para mantê-las. Assim como faz questão de se lhe livrar de quem não considera útil.

Kahney se esforça para deixar claro como Steve Jobs trabalha com essas e outras características, e mostra, consequentemente, como a história da Apple se mistura à vida de Steve Jobs. E vice-versa. Percebe-se, em muitas partes do livro, um tom admirador por parte de Kahney, o que coloca em dúvida sua sinceridade quando às verdades e inverdades sobre o que acontece no mundo que Steve Jobs comanda. Mas a realidade é que não há como não admirar.

Apesar disso, Kahney também aborda o lado cruel da história. Em vários pontos do livro, a imagem que vem à mente é a de um Steve Jobs alucinado e impiedoso quando tem um objetivo em mente, ou seja, o tempo todo. O livro confirma que Jobs é capaz de fazer terror psicológico com quem lhe desagrada e que, nos corredores da Apple, há gente capaz de rezar toda vez que sai de sua sala para não ter que cruzar com o chefão…

A Cabeça de Steve Jobs é recomendado não só para quem é fã da Apple, mas principalmente para quem tem interesse em conhecer um pouco da atmosfera das empresas que se destacam no mundo. Você pode extrair muitas lições do livro, inclusive sobre coisas a não fazer. Pelo menos no meu caso, a principal lição é a de que, no mundo dos negócios, esperto mesmo é quem é o seu próprio anjo e demônio.

A Cabeça de Steve Jobs tem 304 páginas, seu ISBN é 8522009775 e sua editora é a Agir.

Veja preços da obra no Shopping UOL.

Emerson Alecrim