HTC Magic: finalmente um aparelho com Android no Brasil!

A HTC anunciou ontem o Magic, o primeiro aparelho com sistema operacional Android disponível de maneira oficial no Brasil. A convite da empresa, estive por lá junto com representantes de outros blogs para conhecer a novidade de perto. Gostei muito do que vi!

HTC Magic - Imagem de divulgação
HTC Magic – Imagem de divulgação

Para quem não sabe, o Android é um sistema operacional de código aberto direcionado a dispositivos móveis. Seu desenvolvimento foi idealizado pelo Google, mas empresas e usuários de todo o mundo podem colaborar – e colaboram com a sua criação. Esse é o sistema utilizado no HTC Magic (Android Cupcake 1.5), só que o aparelho conta com um diferencial: possui a interface HTC Sense, recurso até então existente apenas no HTC Hero.

Na verdade, o HTC Sense não é meramente um recurso para deixar o visual do sistema mais bonito, como pensei inicialmente, mas sim uma interface que facilita – e muito – a personalização do aparelho, de forma que o usuário possa ter recursos de comunicação, entretenimento e produtividade disponíveis da forma que achar melhor. Acredite, o HTC Sense melhora bastante a experiência do usuário e faz com que os dispositivos que o utilizam tenham um grande diferencial em relação a outros produtos baseados na plataforma Android. O vídeo abaixo dá uma noção do que a combinação Android + HTC Sense oferece:

Agradecimentos ao Samuel Prado por manipular o aparelho enquanto eu filmava =)

Graças a isso, o HTC Magic oferece, de forma intuitiva, uma série de aplicativos interessantes. Há, por exemplos, programas para acessar o YouTube, o Flickr e o Google Maps, assim como há agenda, previsão do tempo com base em sua localização (calculada por GPS), um programa que facilita a discagem para números e até um cliente para Twitter chamado Deep. O aparelho também conta com integração com o Gmail, com o Microsoft Office Outlook e com praticamente qualquer serviço de correio eletrônico que ofereça POP3 ou IMAP4.

Testando o Google Maps no HTC Magic
Testando o Google Maps no HTC Magic

As especificações do HTC Magic também me agradaram bastante:

– Tela de 3,2 polegadas sensível ao toque;
– Câmera de 3,2 megapixels com foco automático;
– Teclado virtual;
Bluetooth;
Wi-Fi (802.11b/g);
– Porta mini USB 2.0;
– GPS;
– Slot para cartão de memória microSD;
Processador Qualcomm MSM7200A de 528 MHz;
– 512 MB de memória ROM e 288 de memória RAM;
– Conectividade HSDPA 7,2 Mbps e HSUPA 2 Mbps (3G);
– Bateria de 1340 mAh.

Utilizar a tela através de toques é uma experiência agradável no HTC Magic. Não é como em outros aparelhos, que você precisa pressionar o dedo com mais força ou mesmo tentar mais de uma vez para realizar uma ação. A tela simplesmente funciona, sem exigir esforço do usuário, o que facilita muito o uso do teclado virtual (embora eu ainda prefira teclados “qwerty” de verdade).

Outra coisa que me agradou é a leveza do aparelho (pouco mais de 100 gramas). O HTC Magic tem quase que o mesmo tamanho que o meu Nokia E71, só que pesa muito menos, característica especialmente importante para quando é necessário colocar o dispositivo no bolso da camisa, por exemplo. O acabamento do HTC Magic me pareceu muito bem feito também, porém, é impossível não deixar de reparar nas marcas de dedos, característica essa que, na verdade, existe em boa parte dos aparelhos de outros fabricantes.

O HTC Magic também oferece uma experiência muito boa para quem deseja utilizar o aparelho para navegar na internet. O aparelho é capaz de renderizar bem e rapidamente mesmo as páginas que não foram feitas para dispositivos móveis e, para alívio da geral, executa Flash nativamente.

A câmera, como já dito, possui 3,2 megapixels e conta com foco automático, recursos suficientes para capturar fotos com o mínimo de qualidade. O interessante é que, graças ao HTC Sense, o usuário pode compartilhar facilmente imagens e fotos criadas em serviços como Flickr e Facebook. Por outro lado, não gostei da ausência de iluminação flash. Poderiam oferecer ao menos iluminação via LED para quebrar um galho! Ah, eu também senti falta de uma entrada de fone de ouvidos P2…

Parte inferior do HTC Magic - Podia ter uma entrada P2 ao lado da porta USB...
Parte inferior do HTC Magic – Podia ter uma entrada P2 ao lado da porta USB…

Pois bem, sendo o HTC Magic o primeiro aparelho a oficialmente chegar ao Brasil com Android, é claro que nos interessa saber como será a integração do dispositivo com o Android Market, loja virtual onde o usuário pode adquirir aplicativos para a plataforma. Aos presentes no evento, a HTC tratou de deixar claro que o Magic pode acessar o serviço, mas que os detalhes sobre como e quando isso vai funcionar ficam a cargo do Google (na verdade, agora é com a Open Handset Alliance, mas wathever…). Na prática, isso significa que ninguém sabe de nada quanto a isso.

Preços? Bom, não foram divulgados. Isso porque a HTC afirma que o custo do Magic ao usuário dependerá dos planos oferecidos pelas operadoras. Isso me faz acreditar que o aparelho não vai ser comercializado de maneira avulsa. Ao menos já sabemos que o produto deverá estar disponível já na primeira quinzena de outubro (2009).

Para encerrar, a pergunta crucial: vale a pena utilizar o HTC Magic? A resposta é: sim! O aparelho tem os recursos que podemos considerar obrigatórios em qualquer smartphone atual, mas se diferencia pela experiência oferecida pelo HTC Sense e pela qualidade da tela. Eu diria até que se trata de um produto indicado para quem já entendeu que mobilidade é mais que uma tendência 😉

PS: como sempre faço, coloquei mais fotos do produto em minha conta do Flickr 😉

Emerson Alecrim