Google Buzz: a novidade que promete deixar o Gmail ainda mais social

Imagine poder reunir em um único lugar todo o conteúdo que você utiliza de suas redes sociais ou, pelo menos, da maioria delas. Essa é a proposta inicial do recém-lançado Google Buzz. Está certo que o FriendFeed e o Facebook, por exemplo, já fazem isso (e melhor), mas o Google Buzz se integra ao Gmail e isso é um grande diferencial. Ou não…

O Google Talk não é o serviço de mensagens instantâneas mais utilizado do mundo, mas tem uma boa base de utilizadores justamente por aproveitar a interface do Gmail e permitir que os usuários se comuniquem sem que sejam obrigados a instalar aplicativos para isso. O Google Buzz segue o mesmo caminho e alia isso à capacidade de permitir que as pessoas iniciem e mantenham conversações públicas e privadas, característica que muita gente considera parecida com o Twitter, embora eu veja mais semelhanças com o Google Wave.

Isso tudo é muito bacana e interessante, mas eu vejo um problema: a integração com o Gmail não me parece tão boa quanto a que existe em relação ao Google Talk. Ao acessar este último, um link chamado Buzz aparece no menu à esquerda do serviço. É ali que tudo acontece. Assim que surgir conteúdo novo, um número entre parênteses aparece no link para informar a quantidade de interações novas. Você também pode receber mensagens na caixa de entrada do Gmail que te avisam de determinadas interações.

Link Buzz no GmailE o que há de errado nisso? A princípio, nada, mas eu tenho a forte impressão de que tudo isso acontece de uma maneira muito escondida. Veja bem: o Google Talk fica ali no canto do Gmail informando quem está on-line e abre uma caixa no final da página quando você inicia uma conversa com alguém. Mas no Google Buzz, você precisa clicar no link que leva o nome do serviço para então ver o que está acontecendo.

Isso me pareceu muito estranho. É como se todo mundo estivesse escondido em um canto e tivesse que ir em um lugar comum para se comunicar com os outros. Por que não fazer como o Facebook, por exemplo, que exibe todas as suas interações, inclusive com serviços integrados, na página inicial do usuário? Acho que, assim como o Google Talk, o Google Buzz deveria explorar um pequeno espaço da página principal do Gmail para as pessoas verem o que está acontecendo, assim elas se sentirão muito mais motivadas a interagir.

Mas, clicando dentro do tal link Buzz, não há como negar que a movimentação ali é interessante. Para início de conversa, você pode escolher quais das redes sociais (Flickr, Twitter, YouTube, etc) que você participa serão integradas à sua conta. Assim, toda vez que você postar uma mensagem no Twitter, por exemplo (supondo que você ativou a integração com esse serviço), seus contatos no Google Buzz a verão.

Buzz no Gmail

Falando em contatos, eles são compostos pelas mesmas pessoas com as quais você conversa no Google Talk ou compartilha conteúdo no Google Reader, por exemplo, mas é possível buscar por mais gente para acompanhar. Um recurso curioso é que conteúdo de pessoas que você não conhece poderá aparecer por recomendação do próprio Google Buzz quando este entender que determinados assuntos podem ser do seu interesse. E se um link, de um conhecido ou não, lhe parecer realmente interessante, você pode comentar, indicar para alguém via e-mail, deixar claro que gostou daquilo, enfim.

Uma coisa que o pessoal da Google acertou em cheio foi a integração do Buzz com dispositivos móveis, que utiliza inclusive geolocalização para informar seus amigos onde você está e para lhe sugerir estabelecimentos próximos (lojas ou restaurantes, por exemplo), mas isso se seu aparelho rodar iPhone OS ou Android. Usuários de BlackBerry, Symbian (que eu utilizo) e Windows Mobile, infelizmente, ainda precisam aguardar pela compatibilidade completa com o serviço.

De maneira geral, gostei bastante da proposta do Google Buzz, só acho que o serviço precisa mesmo melhorar sua visualização no Gmail. Sites como Facebook e FriendFeed conseguem oferecer integração com redes sociais e compartilhamento de conteúdo de maneira mais eficiente, portanto, a Google precisa se atentar a isso para que o Buzz não cause decepção nos usuários. Sabe como é, as pessoas estão acostumadas com lançamentos inovadores por parte da empresa e, quando isso não acontece, as impressões negativas são sempre maiores do que seriam com outras companhias.

Mas, enfim, só o tempo dirá como será a aceitação da novidade. Quer testar? É só olhar o seu Gmail e ver se o link Buzz já aparece por lá. Se negativo, não se preocupe, isso deverá acontecer em breve. Por ora, é possível obter mais detalhes em buzz.google.com, onde você também encontrará orientações para acessar o serviço pelo iPhone ou pelo Android.

Referência: Blog do Google Brasil.

Emerson Alecrim