Evite a propagação de vírus por pendrive com o Panda USB Vaccine

Conforme informei aqui no início de 2008, a disseminação de vírus por pendrives, cartões de memória e outros dispositivos removíveis alcançou um nível preocupante. Em computadores de lugares públicos, como escolas e universidades, esse tipo de praga virtual virou “epidemia”. Felizmente, determinadas ferramentas podem evitar estragos maiores. É o caso do USB Vaccine, da Panda Security.

O programa é gratuito e tem cerca de 400 KB. O que ele faz é muito simples: se o usuário pressionar o botão Vaccinate computer, o programa impedirá que arquivos autorun.inf existentes em pendrives, CDs, DVDs, entre outros, sejam executados na máquina.

Se, por outro lado, o usuário inserir um dispositivo móvel no computador, como um pendrive ou um cartão de memória, e pressionar o botão Vaccinate USB, o programa renomeará o arquivo autorun.inf da unidade (se encontrar um) e colocará outro no lugar, só que vazio e protegido contra alterações.

Panda USB Vaccine

E como é que isso ajuda a evitar a disseminação de vírus e afins? Muito simples: praticamente todas essas pragas digitais executam automaticamente quando um dispositivo contaminado é inserido na máquina porque há instruções para isso no arquivo autorun.inf. Com o botão Vaccinate computer, o PC é configurado para ignorar esse arquivo. Por conta disso, o vírus que estiver no dispositivo não será executado, portanto, não contaminará a máquina. O lado ruim é que o usuário terá que ir em Meu Computador (ou Computador, no Windows Vista) toda vez que quiser acessar um dispositivo removível. Se o usuário quiser reverter essa configuração, basta clicar no mesmo botão, que assume o nome Remove vaccine depois de acionado pela primeira vez.

No caso do botão Vaccinate USB, a proteção é ainda mais simples: como eu disse, essa opção cria um autorun.inf em branco e protegido dentro do dispositivo. Isso significa que, ao ser inserido em uma máquina contaminada, o dispositivo poderá até ser contaminado, mas como o autorun.inf está protegido contra gravação, a praga não conseguirá inserir informação nenhuma no arquivo, portanto, sua execução automática será impedida. Note que, por conta dessa proteção, só é possível remover o arquivo autorun.inf formatando o dispositivo ou eliminando-o através de um sistema operacional que não seja Windows.

O USB Vaccine oferece soluções paliativas, eu sei, mas que quebram um galho, especialmente para quem tem um número significativo de máquinas para administrar e não pode gastar dinheiro com soluções mais efetivas. Para obter detalhes do programa e fazer download, o link é este aqui. Vale frisar que o USB Vaccine não requer instalação, basta clicar nele para executá-lo 😉

Emerson Alecrim